Ubuntu 10.04 está lançado! Já estou baixando

Depois de abandonar a versão 9.10 Karmic Koala do Ubuntu no meu notebook por ter me apaixonado pelo Windows 7, eis que a Canonical (que desenvolve o Ubuntu) me lança, aos 45 minutos do segundo tempo, a versão 10.04 do Ubuntu com uma interface lindíssima e cheia de novidades. Bom, perto daquela interface marrom, tudo é lindo. 😀

Já estou baixando a nova versão para instalar na partição vazia que sobrou do finado 9.10. Comecei a baixar pelo mirror brasileiro do Ubuntu, mas a velocidade não passava de 13kBps. Passei para o link do Bittorrent (viu, ele não serve só pra pirataria) e já consigo baixar aos 200kBps. Sugiro que usem o Bittorrent.

Tanto a versão de 32-bits quanto a de 64-bits já estão disponíveis.

O link para download do Ubuntu 10.04 é o seguinte:

http://www.ubuntu.com/getubuntu/download

Assim que eu instalar o sistema no notebook deixo minhas impressões aqui no blog. Fiquem ligados.

Veja sua partição do Linux no Windows

Outra coisa que todo mundo que tem Windows e Linux no mesmo computador precisa e procura fazer é ter acesso (ler e escrever) aos dados da partição Linux no Windows e Vice versa.

Quando você está no Linux, montar uma partição FAT32 ou NTFS é muito simples e todo mundo consegue fazer sem instalar nada. O inverso não é tão simples assim.

O Windows até hoje não tem suporte nativo a partições Ext2 ou Ext3, e, por isso, é preciso instalar um programinha que dá acesso a partições do Linux no Windows e cria um drive a mais no seu computador.

A solução para isso é o Ext2IFS, um programinha hiper simples e gratuito. Depois de instalado você verá um (ou mais) drives extras no seu Windows e poderá acessá-los normalmente, conforme as figuras abaixo.

ext2-1

ext2-2

Para baixar o programa, clique aqui.

Ele funciona sem nenhuma “malandragem” nos Windows NT4.0, 2000, XP, 2003, Vista e 2008, tanto nas versões de 32 bits quanto nas de 64 bits.

Para que ele funcione com o Windows 7, é preciso fingir que o Windows é o Vista, clicando com o botão direito no arquivo de instalação e escolhendo o modo de compatibilidade do Windows Vista, conforme a figura abaixo.

compatibilidade

Boa sorte!

Recuperando o Grub 2 no Ubuntu 9.10

Uma coisa que já tive que fazer algumas vezes e que sempre me esqueço de anotar como faz é a recuperação do bootloader grub 2 do Ubuntu, depois de instalar outro sistema operacional em outra partição do HD.

Ontem criei coragem e troquei meu terrível Windows Vista Professional 32 bits pelo sensacional Windows 7 Professional 64 bits. Depois de instalado, o Windows sobrescreve a MBR do HD como se só ele estivesse instalado lá e o grub acaba indo para o céu dos bootloaders.

Para recuperar o grub, existem várias maneiras, mas algumas delas não funcionaram comigo. Deixo abaixo a maneira mais simples que funcionou comigo.

Antes de mais nada você vai precisar do disco de instalação do seu Ubuntu. Se, assim como eu, você instalou o Ubuntu lá no passado e veio atualizando para as versões mais recentes, provavelmente você não terá esse disco. Isso vale para quem perdeu o disco também.

Neste caso, comece o tutorial no passo 1 logo abaixo. Caso você seja um sortudo e tenha o disco que usou para instalar seu Ubuntu, continue no passo 2.

Passo 1) Obtendo a instalação do Ubuntu 9.10 (32bits ou 64 bits)

Se você tem à mão uma mídia virgem de CD-R ou CD-RW, pode baixar o ISO do Ubuntu no site deles e gravar na mídia. O endereço para isso é o http://www.ubuntu.com/getubuntu/download. Lembre-se de baixar a mesma versão que está instalada no seu computador, isto é, se você instalou a de 64 bits baixe o ISO de 64 bits, ou vice-versa para 32 bits.

Caso não tenha uma mídia de CD ou DVD à mão ou não tenha um gravador de CD, a solução é arranjar um Pendrive de 1GB ou mais e baixar o programa UNetbootin, que baixa automagicamente a imagem e monta um pendrive “bootável” com três cliques.

Para baixar o UNetbootin, clique aqui. Ele é totalmente gratuito e simples de usar. Depois de baixá-lo, execute o programa siga os passos abaixo:

unetbootin

Escolha a versão que você tem instalada e sempre o Live. No meu caso era 9.10 64 bits
Escolha a versão que você tem instalada. No meu caso era 9.10 64 bits

Depois disso, escolha o seu drive USB do pendrive (meu caso F:) e clique em OK. O programa faz tudo sozinho. (Lembre-se que o pendrive será formatado e você perderá tudo que está nele. Se não quiser perder o conteúdo do pendrive, faça uma cópia antes).

Dependendo da sua conexão, o processo desse passo deve demorar de uma a duas horas. Vá fazer alguma coisa de útil, como lavar a louça para sua esposa ou mãe ou levar o lixo para a lixeira ou ler um capítulo de um livro, etc.

Passo 2) Executando o LiveCD do Ubuntu:

Reinicie o seu computador com o CD ou o Pendrive instalados e selecione na sua BIOS um dos dois para dar boot (inicializar).

Depois que a instalação do Ubuntu iniciar, escolha um idioma dentre as dezenas de idiomas disponíveis (de preferência um idioma que você saiba) e depois escolha a primeira opção que diz alguma coisa como “Executar o Ubuntu sem modificar o computador”.

Isso executará o Ubuntu em modo LiveCD, isto é, sem alterar nenhuma partição. Com isso podemos passar para o passo 3.

Passo 3) Recuperar o Grub

Abra um terminal (Aplicativos->Acessórios->Terminal) e digite os comandos a seguir. Se for copiar e colar em algum lugar, só copie o que não estiver em negrito. O que está em negrito é o prompt do terminal.

[ubuntu]$ sudo fdisk -l

Esse comando exibirá a lista de partições disponíveis, com o device respectivo. No meu caso, minha partição Linux estava em /dev/sda5. No seu caso pode estar com outro nome. Você vai ter que procurar esse dado e substituir /dev/sda5 pela partição do seu caso.

Depois de identificada a partição, monte-a na pasta /mnt com o seguinte comando:

[ubuntu]$ sudo mount /dev/sda5 /mnt
(lembre-se de trocar sda5 pela sua partição)

Se você tem o /boot em outra partição (exemplo: /dev/sda6), monte-a também usando o comando abaixo:

[ubuntu]$ sudo mount /dev/sda6 /mnt/boot
(Caso você não tenha o /boot em outra partição, pule esse passo)

Agora monte o resto dos devices com o comando abaixo:

[ubuntu]$ sudo mount --bind /dev /mnt/dev

Agora precisamos mudar a raiz para usar o grub-install. Execute o código abaixo:

[ubuntu]$ sudo chroot /mnt

Depois disso, o prompt vai mudar e você já vai estar executando comandos como root e não vai mais precisar usar o sudo, como abaixo:

[root]#

Depois disso, execute o seguinte comando para restaurar o seu grub original:

[root]# grub-install /dev/sda

Pronto! Agora é só desmontar tudo e reiniciar o computador:

[root]# exit
[ubuntu]$ umount /mnt/dev
[ubuntu]$ umount /mnt
[ubuntu]$ sudo shutdown -r now

Não se esqueça de retirar o CD ou o pendrive para não entrar novamente no LiveCD. Depois disso, quando o computador reiniciar, você verá seu bom e velho grub.

O passo 3 foi adaptado do tutorial em inglês do Linuxers.

Consertar os vídeos com cores trocadas no Ubuntu

Depois de uma atualização no meu Ubuntu 9.10 percebi que todos os vídeos estavam aparecendo com as cores trocadas, não importava em qual programa eu estava usando, VLC, Totem, MPlayer etc. Em qualquer um deles o vídeo aparecia com as cores trocadas, como a imagem abaixo.

Captura_de_tela-10082009019.mp4-1

Depois de quebrar muito a cabeça, descobri nesse post (em inglês) que a solução era muito simples, bastava acertar a barra de cores nas opções do Totem (o programa que reproduz vídeos no Ubuntu). Por algum motivo que eu não sei, essas preferências do Totem controlam todos os outros programas que tocam vídeo. Isso também acontece em outras versões do Ubuntu (9.04, 8.10, 8.04 etc)

Para consertar o problema, clique entrar no Totem, clicar em Editar (Edit) -> Preferências (Preferences), clicar na aba chamada Vídeo (Display) e acertar as barras de cores clicando em Restaurar Padrões (Reset to Defaults), como nas figuras abaixo (antes e depois).

Antes
Antes
Depois
Depois

Se tudo der certo, os vídeos vão voltar a aparecer corretamente depois dessa configuração.

Captura_de_tela-10082009019.mp4-2

Lançaram Ubuntu 9.10 Karmic Koala

Hoje, aos 45 minutos do segundo tempo, foi lançado o Ubuntu 9.10 Karmic Koala.

Digo “aos 45 minutos do segundo tempo” porque não sei se você sabe a razão de sempre ser .04 e .10 nas versões do Ubuntu? O “04” vem de Abril e o “10” de Outubro. Sacou?

Bom, depois das curiosidades, vamos ao frango:

Entre as mudanças do novo Ubuntu que você pode conferir em: http://bit.ly/zelet0 está o Ubuntu Spaces (Disco virtual de 2GB – Free)

Para quem não gosta do Windows, ou não tem grana para comprá-lo, fica a dica de uma excelente alternativa.

Dá para viver sem Windows? Parte 1 – Crossover

Não, infelizmente ainda existem alguns programas que só funcionam no Windows, mas, 90% do meu tempo, como muitos já sabem, eu uso o Ubuntu.

Escolhi essa distribuição do Linux por causa do desenvolvimento ágil que ela tem apresentado. Outra opção que eu escolheria seria a mãe do Ubuntu, a Debian.

Essa série vai falar sobre a vida que existe além do Windows e do MacOSX. O primeiro programa que vamos falar é do CrossOver.

Eu até diria que dá para viver sem o Windows, mas não consigo viver sem o Microsoft Office. Então, como fazer para juntar as duas coisas?

O CrossOver é um programa comercial que tem por objetivo permitir que programas nativos do Windows sejam executados no Linux (no Mac também, mas não vem ao caso).

Ele é baseado no famoso Wine, um projeto opensource que tem o mesmo objetivo. (http://www.winehq.org/)

A diferença entre o Wine e o CrossOver é, basicamente, o suporte a aplicativos (Pacote Office, principalmente), a integração com o Desktop e a facilidade de instalar e desinstalar programas. Tudo isso é mais complicado no Wine.

Se você quer uma versão gratuita, o Wine é para você. Mas tenha em mente que vai gastar um bom e precioso tempo para deixá-lo configurado direitinho como o CrossOver. Pode ser que esse tempo valha mais do que os US$ 40,00 (R$ 70,00) que ele custa.

Para baixar o CrossOver, visite o site abaixo e escolha a versão.

http://www.codeweavers.com/products/cxlinux/

Depois de instalado, você poderá instalar vários programas no seu Linux, que nem sonharia em ter, tais como o MS Office (eu uso o 2007 sem problema nenhum), Photoshop, Notepad++, DreamWeaver, dentre outros. Com um pouco de paciência você consegue instalar até o AutoCAD!

Eu ainda não consigo viver sem o Windows por causa do Ovi Suite, o Nokia Software Updater e o Nokia Music. Na hora que eu conseguir instalar isso no Ubuntu, não vou mais precisar do Windows. Não que o Windows seja ruim, mas o Ubuntu roda muito mais leve do que meu Vista que veio com o Notebook.

E você? Consegue viver sem o Windows?

Compartilhe o teclado e o mouse do PC com o Tablet

O usuário “vegetando” lá do Forum (se pudesse nos dizer seu nome seria bom) publicou um excelente tutorial de uso do Synergy no N800 (Também serve para 770 e N810).

O programa permite o compartilhamento do teclado e do mouse do computador com o seu tablet, criando uma experiência interessante de uso do aparelho.

O link para o texto completo do tutorial é o seguinte:

http://forum.nokiabr.com.br/viewtopic.php?f=8&t=75

Deixo abaixo um vídeo que mostra o funcionamento do Synergy.