Blackberry rodou, como eu disse.

Hoje a Blackberry anunciou que será comprada por um grupo privado por 4.7 Bilhões de obamas. O objetivo do comprador parece ser um desmanche para vender peças.

Com isto ficamos com 3 ecosistemas de celular: iOS, Android e Windows Phone.

Ruim para o consumidor pois diminui a concorrência. Bom para os desenvolvedores que têm menos plataformas para portar.

Os que me bateram nos posts que anunciei o fim da Blackberry e minhas profecias para o futuro podem fazer uma reverência para o analista que come ovo cozido na Cinelândia.

Blackberry morreu

A falta que Steve Jobs faz

Você pode confessar que estava com saudades de mim. Depois de encher as burras dos meus clientes com o nabo que o Google tomou fui passar as férias no Caribe, mais concretamente em Saint Marteen, pegar um jetblast de 747 e um pouco de sol (se bem que aqui no Rio agora está um calor do capeta…)

Mas vamos ao que interessa, caro leitor, dependente deste agora afortunado Analista.

Os ventos que sopram na Apple não são bons. O iOS6 com seus mapas micados tem sido considerado por muitos colegas meus aqui na Cinelândia quando comemos nossos ovos cozidos, não os nossos, mas você me entende, como o pior release que a Apple fez. Não fosse só a qualidade dos mapas, mas também o WiFi que é pior que mulher na TPM, além de bugs no teclado, no bluetooth, etc.

Além disso nosso amigo Scott Forstall, chefe do iOS, tomou o bilhete azul, não que isto seja ruim para ele pois alguma grana ele ganhou, além disso os funcionários, segundo fontes secretas, estão fazendo festa pela rolada de cabeça do chefe.

O fato é que a Apple de 2012 tem feito muito mais lambanças que a Apple de 2011 quando o velho Steve ainda vivia. Não que a Apple esteja mal, longe disto, valendo 550 bilhões de Obamas (ou Romneys, dia 6 se aproxima) a coisa está folgada, mas estamos percebendo que algo do seu poder de inovação foi-se com a morte de Steve Jobs.

E por fim o Windows 8. Nisto concordo com o Pedro Paulo aqui do Zeletron. O Windows 8 é bacana. E digo mais, o Windows Phone 8 com o apoio da Nokia vai incomodar os Androids da vida. O Google que se cuide porque Windows 8 RT comendo tablets Android e Windows Phone 8 comendo telefones Android, vai ter muito Android comido.

E o BlackBerry 10? Ouvi falar que o João Bernardo tomou um porre de RedBull lá no evento, mas não sei se o BB10 vai ser suficiente para ressuscitar a RIM. Vale a pena desenvolvedor gastar vela com defunto ruim?

BlackBerry Jam Sessions & Playbook

Como o Pedro Paulo disse no texto de ontem, fui à edição do Rio de Janeiro do BlackBerry Jam Sessions onde ficamos 10hs projetando e implementando um app para rodar no sistema deles (Tablet OS ou BB 10) e posso afirmar que é algo bem divertido, mas muito desgastante. Ao final, meu grupo ainda saiu vencedor do prêmio Melhor Design, e era de se esperar já que me uni a 3 excelentes alunos de Design da PUC-Rio para essa maratona.

Para o desenvolvimento, deram as seguintes opções: Web, Adobe Air, C++ (Qt & QML) e Android. Os programas deveriam rodar no emulador ou no próprio aparelho Dev Alpha que ainda não estava instalado com a versão do BlackBerry 10, mas com o sistema de tablet que acabou prejudicando um pouco a usabilidade. Espera-se que esse aparelho seja lançado em poucos meses.

Sobre o Playbook que é o tablet da BlackBerry lançado no fim do ano passado e que fui premiado com uma unidade, posso dizer que estou achei bem impressionante como a tela é responsiva (melhor que 95% dos tablets Android que usei) e o multitasking é bem interessante. O sistema usa um conceito bem parecido ao do Meego (que uso no meu Nokia N9) onde você arrasta o dedo de fora da tela para o meio para ir para a área de troca de aplicativos ou para o aplicativo seguinte, dependendo da direção do movimento.

Apesar do Tablet ter um sistema muito interessante, a App World ainda é um pouco pobre, tendo aplicativos muito mais simples que os equivalentes Android ou iOS e é esse o esse motivo de existirem os Jam Sessions.

Algo interessante é que os aplicativos Android podem ser portados para a tecnologia da BlackBerry com um simples empacotamento no formato deles. Quanto a compatibilidade, não sei dizer, mas eles dizem ser alta.

Waze – Rede social para evitar engarrafamentos

Imagine que você pudesse saber qual caminho está menos engarrafado na hora do rush? Já é possível ter uma ideia disso com o Google Maps, mas nem sempre ele acerta.

A ideia do Waze é capturar pessoas se movimentando pelas ruas em tempo real e deixar essa informação disponível para todo mundo.

Além disso, os usuários podem reportar radares fixos e móveis, blitz, acidentes, buracos, dentre outras coisas que podem atrapalhar o trânsito.

O programa é muito bem feito e está disponível para iOS, Android, Blackberry, Windows Mobile e até Symbian! 🙂 Basta deixar o programa ligado enquanto estiver dirigindo, para fornecer os dados de trânsito para toda a comunidade.

Além disso ele também mistura essa função de informação de trânsito com um jogo, onde você precisa passar por certos caminhos para coletar pontos e “doces virtuais”.

Deixo o vídeo abaixo, infelizmente só em inglês, que dá uma demonstração de uso do programa.

Sobre a sua privacidade, existe a possibilidade de usar o programa de forma anônima. Para isso, clique no menu, depois em “Meu Waze”, “Meu Perfil” e “Config. Privacidade”. Depois escolha a opção “Mostrar-me como anônimo”.

Para baixar o programa, procure por “Waze” na loja de Apps do seu celular ou visite o endereço:

http://world.waze.com/

RIM fazendo de tudo para perder mais mercado que a Nokia

Hoje já é o terceiro dia de silêncio nos serviços BIS (BlackBerry Internet Service) e BlackBerry Messenger, que estão fora do ar em várias partes do mundo desde segunda-feira.

E o pior, o vice-presidente de software e serviços da RIM, Rory O’Neil, tem más notícias para quem esperava uma solução rápida para os problemas. As tentativas da empresa para corrigir o problema fracassaram, e o problema parece estar se espalhando para os usuários do BlackBerry Enterprise Server (BES).

“Consertamos os componentes e recarregamos o serviço BlackBerry durante a noite e, infelizmente, quando o serviço voltou, nesta manhã, esses componentes não responderam da maneira que esperávamos”, admitiu O’Neil ao site V3.co.uk hoje. “O problema central está na forma de como os nossos data centers falam uns com os outros no nosso backbone, e temos tentado várias soluções para corrigir os problemas nos nossos core switches e é nisso que estamos trabalhando.”

Agora pela manhã, a expressão “Dear BlackBerry” (Prezada BlackBerry) entrou nos Trending Topics Mundiais do Twitter e, se buscarmos só por Blackberry, veremos que tem muitíssima gente querendo pular fora do barco e comprar um Android ou um iPhone (vi mais gente falando de iPhone).

Há uma hora atrás, no twitter oficial da empresa, @BlackBerry, eles pediram desculpas e postaram um link com algumas informações sobre a queda dos serviços BlackBerry. O endereço é o seguinte: http://www.rim.com/newsroom/service-update.shtml

No mesmo perfil do twitter eles confirmaram o fato, divulgado anteriormente, sobre o problema com os core switches da rede BlackBerry. Parece que algo muito sério aconteceu mesmo no backbone deles.

A RIM que já estava sangrando nos EUA por causa do Android e do iPhone, agora parece que vai sangrar ainda mais lá e no mundo inteiro por causa dos problemas de instabilidade na sua rede. O pior é que tudo começou nas regiões onde ela estava com a participação de mercado mais estável.

Boatos da venda da Nokia vêm com força total

As ações da Motorola se valorizaram 56.4% hoje. Até aí nada de novo. O Google está pagando um ágio de cerca de 60% no valor de mercado de sexta-feira da Motorola.

O que é novidade é a hipervalorização das ações da Nokia. Até começar escrever este texto estavam valorizadas em 12,69%!

O que quer dizer isto? Quer dizer que há fortíssimos boatos de que a empresa finlandesa vai passar a ter um novo dono em breve. E este dono, com 99,9% de probabilidade, vai ser aquele que é conhecido como William Gates III.

Melhor a Nokia ser sucursal da Microsoft que desaparecer (a RIM que perdeu 55,95% este ano que o diga)

Entrevista – Desenvolvimento Mobile

Conforme prometido, segue abaixo a entrevista com Mr C., que prefere revelar apenas uma das suas iniciais.

Há quanto tempo o sr desenvolve para o setor Mobile?
Há dois anos, mas a produção neste tempo foi bem intensa.

Qual sua plataforma preferida?
Do ponto de vista de conjunto, onde incluo aí a parte financeira, o iOS é disparado o melhor. Convém notar que outras plataformas tem coisas interessantes também. Eu gostei muito do QT nos Nokia, não sei qual será o futuro da plataforma.

Quais são os pontos fortes do iOS?
Apesar de muitos reclamarem da mão de ferro que a Apple coloca naquilo que vai dentro de seus produtos, é fato que o iOS é a plataforma mais uniforme e que faz com que o desenvolvedor seja disciplinado. Eu destacaria alguns pontos: uniformidade de resoluções: 320×480 ou 768×1024 (há o retina display, mas é transparente para o desenvolvedor). Outro ponto forte são as ferramentas de desenvolvimento: o XCode 4 está muito maduro e o simulador que vem com ele é muito bom. As API da Apple são muito bem documentadas e bastante coerentes. No entanto, a principal vantagem da plataforma é a capacidade e o potencial de fazer dinheiro com a aplicação. O modelo de loja do iOS é matador.

E os pontos fracos?
O principal ponto fraco do iOS, na minha opinião, é só permitir desenvolvimento em plataformas OSX. Isto encarece o desenvolvimento e dificulta a contratação de profissionais que já tenham sido expostos ao XCode. Outro ponto fraco é o balanço entre a loja ser monitorada (que é ótimo) e o tempo de avaliação dos aplicativos (que não poucas vezes chega a 8 dias). O uso de Objective-C pode ser também uma barreira, no entanto minha dica é: insista no Objective-C que você acabará vendo que ele é melhor que parece.

E o Android? Poderia nos falar de pontos fortes e fracos?
O Android é a plataforma mais exasperante que já vi em toda a minha vida. O Inferno de Dante deveria ter um círculo para a combinação Eclipse + Java + Fragmentação. Imagine desenvolver um aplicativo ou um jogo, tendo que levar em conta resoluções 320×240, 240×400, 320×480, 800×480, 1024×768, além disso cada aparelho pode ter tela resistiva ou capacitiva, para piorar a sopa há pessoas rodando Android 1.5 até 3.0. Há coisas que precisariam ser refeitas do zero para que o Android seja developer friendly.
Pode parecer implicância minha, reconheço que tenho bastante reserva para com a plataforma, mas a loja Android Market está mais próxima de um sexshop que de uma loja séria de aplicativos. O fato de você não ter nenhum tipo de controle prévio na loja faz com que aberrações abundem por lá.

E um ponto positivo do Android?
(risos) De fato só falei mal dele. Eu diria que a integração com os serviços Google pode ser útil para os desenvolvedores.

Alguma outra plataforma merece destaque?
Eu nunca deixaria de fora o Blackberry. É uma plataforma que tem usuários com muito poder aquisitivo e isto é interessante, mesmo considerando que compartilha alguns dos problemas do Android. Outra plataforma promissora é a do Windows Phone 7. A Microsoft é, na minha opinião, a que tem as melhores ferramentas de desenvolvimento.

Você fala do Visual Studio?
Sim. O Visual Studio é a IDE mais madura e mais poderosa que conheço. Gosto muito do Visual Studio. Pena que Steve Jobs não permite desenvolvimento iOS no Visual Studio (risos)

 

Situação do mercado de Smartphones 1S 2011

Com a Microsoft, pelo menos a do Brasil, fazendo um esforço desesperado para afundar o Windows Phone 7 (ou é incompetência ou não sei explicar) o Blackberry segue tendo uma sobrevida conforme os dados publicados pela Nielsen hoje.

 

Os dados confirmam o que este profeta vem dizendo, graças a suas fontes da Cinelândia. Android estagnou, Blackberry encolheu e Windows Phone ainda é só promessa.

 

O barco do Blackberry vai afundando

Meu primeiro post neste fantástico blog tinha o seguinte título: “Só vão sobrar três“. Foi um post muito comentado, apanhei mais que mulher de malandro (é uma figura de linguagem, feministas por favor não me processem), diziam que estava tomado de um espírito diabólico pois previa algo que não agradava aos leitores.

Eis que vejo muitas das minhas profecias prosperarem, podem ver os arquivos do blog, e decidi fazer uma retificação na profecia original dos sistemas operacionais que vão morrer.

Quando escrevi aquele texto em agosto de 2010 a situação do Android era muito ruim: loja em frangalhos, fragmentação absurda, plataforma de desenvolvimento ruim, etc. Também naquela altura a RIM parecia que dominava o nicho business. De uns tempos para cá, venho aconselhando meus clientes que comem ovo frito na Cinelândia (eu parei de comer) que tirem suas fichas da RIM.

Olhando as ações da RIM você tem uma noção do que acontece:

 

Ações da RIM: você perde 2 dólares para cada três que investiu

 

Portanto a profecia fica agora assim: sobrevivem iOS, WP7 e Android.

Puxa, mas você acha o Android bom? Não! O Android tem uma interface mais feia que bater na mãe por causa de comida, tem ainda uma enorme fragmentação, sua loja é tão infestada de vírus como um rapidshare, seu ambiente de desenvolvimento ainda é uma piada de péssimo gosto e a velocidade em que pululam porcarias chinesas com Android dentro é algo de fazer-nos ficar de cabelo em pé.

No entanto, o Android tem volume. Vai ser low end, mas vai sobreviver. Puxa e o Galaxy S? O Galaxy S é high end mas quem tem dinheiro para comprar ele estaria muito mais bem servido comprando um IPhone.

Já o BlackBerry, que tem seu nicho de mercado no mundo corporativo, vê sua fatia de mercado ir sendo comida por sistemas mais modernos, que oferecem tudo o que o Blackberry tem (menos aquela fonte horrível que eles desenvolveram BB Sans) e com isso o valor das ações da RIM vai derretendo. Com o valor de mercado hoje de 14B de dólares a RIM pode ser comprada com dinheiro de pinga da Microsoft ou da Apple.

 

Não vale a pena brigar por fabricante de celular

Uma quase flamewar começou no post Outra pedra no caminho da Nokia – Os N8 mortos e fez este humilde analista pensar um pouco: não vale a pena brigar por nenhum fabricante, sua lealdade para com ele pode ser grande mas a dele para com você é zero. E a Nokia, pelo menos no caso do NokiaBR que eu acompanhei de longe, mostrou o tamanho da lealdade dela.

Compre o celular que for melhor para você! Desenvolva para a plataforma que dê melhores resultados para você. Que se lixem os fabricantes, eles também não ligam para você!

Dell substitui 25000 Blackberries por Windows Phone 7

A Dell anunciou que está substituindo 25000 aparelhos usados por funcionários da empresa. Estes aparelhos eram Blackberry e serão agora Windows Phone 7.

Descontando o fato de que a Dell é uma antiga parceira da Microsoft, o fato é bastante relevante e mostra que o Windows Phone 7 pode vir com força no mercado e comer uma boa parte da fatia de outros fabricantes.

Neste caso foi a RIM quem sofreu, mas não acredito que ela seja a principal atingida pela chegada do Windows Phone 7. Na visão deste analista os principais atingidos serão Nokia Symbian e Android. O primeiro devido a sua interface ainda muito defasada da modernidade e o segundo por sua sopa de versões e a bagunça do Android Marketplace.

A Microsoft é grande e vem com apetite para cima das outras fabricantes de celular. A integração à plataforma XBox que os Windows Phone trazem pode ser também um grande chamariz.

[Breaking News] – Android Marketplace e Blackberry App World

[Ironic Mode On]

Depois de meu post arrasador o Google resolveu se mexer e liberou compra e venda de apps de Android em um monte de países, entre eles nosso sofrido Brasil.

[Ironic Mode Off]

E não foi só o Google que se mexeu e incluiu quase 35 países na lista de compradores e vendedores de apps. O pessoal da RIM também acordou para a realidade e está liberando (por tempo limitado) a taxa de inscrição de US$ 200,00 para a Blackberry App Marketplace.

Portanto aproveitem, embora eu ainda acredite que você ganha mais no iOS com tio Steve Jobs e na futura Windows Phone Market com o tio Steve Balmer.

Só vão sobreviver 3!

Este é meu primeiro post no Zeletron e procurarei escrever de vez em quando aqui analisando a indústria de celulares.

O título indica que só sobreviverão 3 sistemas operacionais, esta é a minha opinião. Pode ser que venha um troll e diga: Acabou de chegar no Blog e já está falando assim. Questão justa. É minha opinião e vou tentar explica-la neste post e nos seguintes.

1) Só sobreviverão 3 – É uma afirmativa que se baseia na questão desenvolvedores. Cada plataforma hoje tem um sistema de desenvolvimento, vendas e monetização distinto. Um código escrito para o iOS tem que ser muito mexido para rodar num Android. Há diferentes níveis de suporte a HTML5 nas diversas plataformas. Isto leva a creer que as fábricas de software vão escolher uma plataforma ou duas e sem software não há OS no mundo que sobreviva. Se olharmos para o mercado de videogames algo semelhante aconteceu com Microsoft, Nintendo e Sony.

2) Só sobreviverão iOS, Windows 7 e BlackBerry – As razões para esta afirmação são mais uma intuição, no entanto fazendo esforço é possível explicar algumas razões. O iOS está consolidado, tem uma loja com 250K apps, muitas de qualidade e mais de 5 bilhões de downloads. O BlackBerry é lider absoluto no mercado corporativo e parece muito pouco ameaçado neste setor, além disso o Blackberry OS6 com suporte a HTML5 vai vedar uma das atuais fragilidades da plataforma. E o Windows Mobile 7 é da Microsoft que tem na minha opinião a melhor IDE existente no mercado, que responde pelo nome de Visual Studio, e está com apetite para mobilizar os milhões de desenvolvedores de plataforma Microsoft ao redor do mundo.

3) Android, Symbian e outros vão morrer – O Android tomou dois golpes mortais recentemente, um deles diz respeito ao processo da Oracle e o outro a heterogeneidade das versões de Android. Some-se a isto o fato da Motorola ter anunciado que não irá oferecer upgrade para Android 2.1 e 2.2 nos aparelhos vendidos na América Latina e você tem um belo problema. Com uma loja (a Android Marketplace) lotada de aplicativos pornográficos e com uma plataforma que não vem remunerando bem desenvolvedores fora dos EUA e mais meia dúzia de países, o Android deve começar a definhar em breve. Eu vejo o Android se juntando ao defunto Wave e ao moribundo Buzz.

Opa, você não falou do Symbian. Pois é. Este só falta enterrar. Uma interface bem antiquada, um modelo de negócios da Ovi Store muito pouco atraente e um tiro atrás do outro que a gigante finlandesa vai dando no pé (N97, N900, fechamento de blogs, etc.) e com isso o que outrora foi um grande sistema operacional virou um espectro.

Puxa, mas eu não gostei da sua opinião e penso diferente. Beleza, a área dos comentários serve para isto.

Boa semana a todos e até a próxima.

UPDATE: Olha minha profecia se concretizando aí pessoal: http://www.zeletron.com.br/2011/02/a-nova-estrategia-da-nokia.html