Como ficar 15 dias sem celular, perder tudo que há nele e sobreviver

Estava com um problema na bateria do meu iPhone 4S desde o início deste ano. O problema me fazia carregar a bateria três vezes por dia quando usava normalmente e duas vezes por dia quando deixava ele parado em cima da mesa durante o expediente.

Em abril resolvi acionar a garantia da Apple. A primeira tentativa foi ir direto à recém inaugurada loja da Apple no Village Mall (esse shopping vale um post depois). Chegando lá, descobri que precisava marcar hora para ser atendido e que era melhor abrir um chamado por telefone na própria Apple. Foi o que eu fiz ali mesmo na loja, mas, como era domingo, precisaria aguardar até a segunda-feira para ser atendido por alguém. Sem problemas.

Na segunda liguei para lá e o atendimento foi diferente de qualquer atendimento de suporte que já recebi até hoje. Nada robótico, nenhum gerundismo, mas não sei se gostei de ser chamado de “cara” a cada vez que o atendente (analista de suporte, segundo a Apple) se referia a mim. Depois de instalar alguns perfis de teste no celular, o atendente viu que não estava funcionando e me pediu para zerar o celular. Como faço (fazia) backup diariamente no iCloud, zerei o celular e tentei instalar o tal perfil de análise da bateria, mas não funcionou.

Ele me pediu para recuperar o backup e usar por mais uns dias para ver se só de reinstalar os programas, o problema se resolvia. Recuperei o backup, reinstalei a tralha toda e nada. A bateria continuava terrível. Umas semanas depois liguei de novo para lá e me mandaram fazer a mesma coisa, zerar o celular, instalar tudo de novo. Insisti que já tinham me falado para fazer aquilo e não tinha funcionado. Depois de muita insistência (e vários “cara”), o sujeito resolveu me encaminhar para a assistência. Me deu o endereço de duas aqui no Rio.

No início do mês, fui a uma das duas assistências e fui rapidamente atendido. Me disseram que eu deveria deixar o celular lá zerado para que eles fizessem manutenção. Na mesma hora fiz o processo de restaurar as opções de fábrica e apagar tudo e deixei o celular para consertar lá. O prazo padrão era de 30 dias, mas disseram que antes disso deveria estar pronto, porque era só trocar a bateria.

Como não tenho outro celular, fiquei offline mesmo. Nada de Whatsapp, nada de ver Facebook na hora do almoço, nada de responder email na rua, etc. Ah, e nada de receber ou fazer ligações telefônicas na rua também. 😀

Em casa eu poderia usar o iPod ou o Galaxy Tab 7″ no WiFi. Na rua eu estaria como sempre estive desde 1976 até 1999, sem celular. Offline.

Aproveitei os tempos de trânsito no metrô para ler no Kindle. Viajei para Vitória sem celular e as únicas fotos que fiz foram com os olhos e estão na minha cabeça (a propósito, que cidade legal!). Marquei uma reunião num café com um cliente e, em vez de dizer “te ligo quando estiver chegando”, tive que dizer “tal hora estarei na porta do café”. Escandalizei algumas pessoas quando disse que estava sem celular e que não estava sentindo falta.

Nas poucas vezes que precisei telefonar na rua, recorri, sem sucesso, a orelhões. Todos os que tentei usar estavam quebrados e cobertos de propagandas pornográficas. Se há algum telefone público que funcione aqui no Rio de Janeiro, eu não encontrei. Sei que a Anatel deveria exigir isso da Oi, mas em tempos de agências loteadas a “cumpanheiros”, nem adianta ligar para lá para reclamar.

Durante o tempo de reparo, me mandaram um email da assistência dizendo que iria demorar mais uns dias o reparo porque a Apple estava demorando para entregar as peças para eles. Fazer o que? Esperar…

15 dias se passaram, meu celular ficou pronto e fui lá buscar. De volta a um WiFi, antes de fazer qualquer coisa ou instalar qualquer programa, resolvi recuperar o backup e, para minha surpresa, o celular dava erro na hora na hora de recuperar o backup do iCloud.

Telefonei de novo para a Apple e, depois de muita conversa e muitos testes, o sujeito chegou à seguinte conclusão: “Cara, eu nunca vi isso acontecer. Os três arquivos de backup no iCloud feitos pelo seu celular estão corrompidos. Não há o que fazer. Você devia ter feito backup pelo iTunes também. É mais garantido.”

angry_baby

Ducha de água fria… Por causa de uma bateria que eu mesmo poderia trocar em 10 minutos como fiz com o iPhone 4 que eu tive, fiquei 15 dias sem celular e agora havia perdido todos os meus dados.

Liguei de novo para a Apple na tentativa de cair com outra pessoa que talvez fosse mais esperta. Pior, pela primeira vez fui maltratado por telefone pela moça que me atendeu que disse que não tinha jeito, eu havia perdido tudo. Desliguei (fui desligado pela moça) e liguei novamente. Fui atendido por um sujeito atencioso que disse que ia tentar direto com o suporte interno deles. Demorou um tempão e voltou com a mesma resposta. “Não há como recuperar nenhum dos 3 últimos backups que seu telefone fez no iCloud”. A única coisa que ele me disse de diferente foi: “você pode tentar é recuperar esse backup em outro telefone para ver se o problema não é no aparelho”. Para isso eu precisaria apagar o iPhone da minha esposa e confiar no backup do iCloud ou do iTunes.

Fiz os dois backups no celular dela (iTunes e iCloud) e zerei o pobre do aparelho. Fui tentar recuperar o meu backup do iCloud no aparelho dela e deu o mesmo erro. Realmente o arquivo estava corrompido. Na hora de recuperar o backup do celular dela pelo iTunes, para minha surpresa, o celular dela não voltou com quase nada recuperado. Por sorte, consegui recuperar tudo no celular dela pelo backup do iCloud.

No fim da história, tive que ir instalando programa por programa no meu celular e recuperando o que pudesse nele. Basicamente só consegui recuperar os contatos e as conversas do Whatsapp (que não têm a menor importância). Aliás, havia mais de 1200 mensagens não lidas em grupos o Whatsapp… Obviamente não li quase nada disso.

Em uma tentativa de conseguir recuperar os dados, baixei um programa que custa 80 dólares que diz conseguir ver o que há no backup do iCloud (apesar de não conseguir colocar de volta no celular). Instalei a versão de testes gratuita e baixei um dos arquivos de 3.6GB. O programa conseguiu me mostrar todas as fotos e vídeos que havia no celular. Aí eu pergunto: Será que está corrompido mesmo o arquivo? Ainda não gastei os 80 dólares para tirar a prova, mas acho que vou fazer isso em breve.

Deste episódio tiro as seguintes consequências:

1) Dá para sobreviver perfeitamente sem celular. É impressionante como achamos que ficamos dependentes do celular. No entanto, sem ele, pouca coisa parou de funcionar na minha vida e o que parou, era completamente supérfulo e não fez muita falta. No caso de pessoas que precisam ser encontradas em qualquer lugar (médicos, técnicos, profissionais liberais, etc.) isso não dá certo e essas pessoas precisam de um celular. Mas no geral, ninguém morre se ficar offline por uns dias.

2) O backup do iCloud é uma porcaria. Como é que ele faz um backup e não verifica a integridade dos dados que recebeu? Como é que ele salva em cima de backups bons, haja visto que consegui recuperar outras vezes, um backup corrompido? Apple, você precisa rever isso!

3) O backup do iTunes não é a mesma coisa que o backup do iCloud. Várias coisas foram perdidas no celular da minha esposa mesmo depois de fazer o backup no iTunes e só com o backup do iCloud recuperei tudo. Em todo caso, se eu tivesse um backup do meu celular no iTunes, teria alguma coisa a mais de dados do que tenho hoje…

4) Nunca mais deixo nada na assistência se eu puder fazer o conserto sozinho. Se não for um defeito grave, vou tentar consertar em casa mesmo, comprando as peças em sites de peças. Já havia feito isso diversas vezes com outros iPhones, com o Mac e com o iPod. O tempo perdido e os dados perdidos não valeram a pena ter poupado essa bateria por ter levando na garantia. Se eu tivesse trocado em casa, com certeza não precisaria apagar tudo do aparelho para uma troca de bateria.

Apple, I'm not angry. I'm disappointed.

UPDATE 1:
Comprei o programa, mas, infelizmente ele não recupera tudo. Ele só recupera fotos, vídeos, PDF, contatos, calendários, mensagens, histórico de chamadas, mas não recupera arquivos do tipo plist nem sqlite, que eram os que eu mais precisa ver recuperados. As fotos eu recuperei do iPhoto, os contatos e calendários eu consegui baixar do iCloud (não do backup). Agora os dados dos programas mais importantes estavam guardados em arquivos plist e sqlite, que não puderam ser recuperados. Pedi suporte ao desenvolvedor, mas não sei se vou conseguir algo.

Atualizações do blog…

A raiva do meu 6555 passou. Na última quarta-feira, tive muita vontade de acabar com a existência dele como celular depois dele ter me deixado na mão.

Pensei em colocá-lo no microondas ou deixá-lo embaixo do pneu do primeiro carro estacionado na rua ou ainda deixá-lo dormir a noite inteira num copo de água com sal e vinagre, mas o povo do Coliseu levantou o polegar para ele e eu o deixei viver por mais um tempo (não sei quanto), apesar dele estar encostado na gaveta novamente. De qualquer forma, só passou a raiva do 6555, a indignação com a PLL Centro não vai passar tão cedo.

Mas nem tudo são más notícias:

Colaborador novo:

Como vocês puderam notar, o blog ganhou um colaborador novo, o Marcelo Barros, o autor do WordMobi, do Iamdoing e de vários outros projetos interessantes, um dos quais eu estou ajudando (não fiquem curiosos, em breve direi o que é). Seja muito bem-vindo, Marcelo!

500 posts

Outra boa notícia foi o marco de 500 posts no blog. O quingentésimo post do blog foi alcançado pelo Marcelo Barros com o post da atualização OTA (over the air) do 5800 Xpress Music dele. E que venham mais 500 posts!

Apesar de terem reclamado que a soma de posts na barra lateral não chegava a 500 (somavam 498 posts no dia), eu posso afirmar que chegamos mesmo ao quingentésimo post do NokiaBR porque dois posts foram apagados. Nesses dois eu anuncei algum aparelho e, depois que foram vendidos, não havia mais sentido deixá-los no ar.

Se quiserem ser preciosistas demais, esse aqui é o post de número 500 sem contar esses outros dois posts que foram apagados. Portanto, podem estourar o champagne!

Gostaria de agradecer imensamente a todos os leitores pela audiência diária e pela participação constante através de comentários, twittadas e e-mails. Vamos continuar nesse passo que vamos bem. Nesses 14 meses de blog, até agora já atingimos a marca de 500 posts e meio milhão de visitas (sem contar quase a mesma coisa de acessos via RSS).

O N800 já está comigo

Ontem, peguei meu N800 que já estava com o Pedro Paulo e comecei a mexer no bicho. Apesar de ainda não ter usado muito o internet tablet, as primeiras impressões foram ótimas. Já atualizei o sistema dele para o OS2008, apesar de a atualização ter dado pau nas duas primeiras tentativas no Ubuntu e ele ter ficado mortinho por uns 15 minutos. Só funcionou depois que eu tentei atualizar no Windows.

Em breve vou fazer um review do aparelho, mas vocês já podem dar uma espiada no internet tablet nesse álbum do Picasa que eu criei para isso.


http://picasaweb.google.com/javsmo/N800

Mais tarde teremos outras novidades. Fiquem atentos.

O dia em que meu Nokia me tirou do sério!

Meu Nokia 6555 comprado em 21/04/2008, foi responsável pelos R$ 500,00 mais mal gastos da minha vida.

Depois dele ter ido duas vezes para a assistência técnica (detalhes aqui, aqui, aqui e aqui) e de ter voltado com o mesmo problema por pura incompetência ou descaso da assistência técnica, deixei o aparelho quieto na gaveta por um ou dois meses. Depois disso, ele voltou a funcionar normalmente, inexplicavelmente.

Achei que pudesse voltar a usá-lo, pois é um desperdício deixar um celular com menos de um ano de uso, que custou R$500,00, encostado numa gaveta.

Há algumas semanas, o aparelho voltou a apresentar problemas e, não só derrubava as chamadas, mas também se deligava sem motivo nenhum, coisa que ele não fazia antes. Já troquei bateria, já fiz atualização de firmware e nada adiantou. Assim mesmo continuei usando.

Neste cenário é que aparece o dia 29/04/2009 (hoje!), dia em que esse %&#$*! celular me deixou na mão e me deu um baita prejuízo!

Encurtando a história, hoje, contratei um serviço de uma empresa para atender a um cliente meu, que fica num lugar de difícil acesso. Tudo estava certo e o serviço iria acontecer às 20h no cliente. Falei no celular o dia inteiro e ele funcionou perfeitamente bem. Até que, por volta das 17h (a última vez que eu o usei para falar), ele resolveu se desligar e eu só reparei isso às 19:45 quando vi que ele estava desligado e o liguei novamente.

Pronto isso foi o suficiente! A confusão estava feita e eu nem sabia! O cliente havia ligado quatrocentas vezes para mim e deixou um quadrilhão de mensagens pedindo para adiar o serviço e eu só fui descobrir isso quando a outra empresa já estava lá para fazer o bendito serviço que precisava ser adiado!

Depois de desligar a chamada do cliente, falei todos os palavrões que eu sabia e inventei mais uns dezoito deles! #$%@#&!!!

Agora vem a minha dúvida? Boto isso na conta do Papa? Ou na conta da PLL Centro (a porcaria da assistência técnica) que não conseguiu consertar o 6555?!

Atualização do Nokia 6555

Por aí só se fala das atualizações dos celulares Symbian ou os topo de linha. Por aqui também, mas isso vai mudar hoje!

Nessa semana fiz pela primeira vez a atualização do meu 6555, ele saiu da versão 3.31 e foi para a 3.45.

Depois de tê-lo mandado duas vezes para a assistência técnica e ele ter voltado aparentemente normal, deixei o aparelho com o meu pai por uns 20 dias. Na semana passada eu voltei a usá-lo porque meu pai se cansou de ter as chamadas derrubadas no meio da conversa. Também voltou a apresentar o problema de não completar chamadas.

Antes de mandá-lo pela terceira vez para a PLL Centro (a bendita assistência técnica daqui do Rio de Janeiro), resolvi ver se havia atualização de firmware disponível para ele e recebi essa telinha abaixo:


Fiz um siga-me na mesma hora para o meu outro celular e mandei bala na atualização.

Ao contrário das atualizações dos aparelhos Symbian, não perdi nada. Até o papel de parede ficou idêntico. Tanto é que assim que, quando acabou o processo, apertei o *#0000# para ver se ele havia realmente ficado na versão nova e lá estava a 3.45 instalada.

Melhorias? Só reparei uma, acabou o problema das chamadas cortadas no meio do caminho e chamadas que não eram completadas. Não tenho certeza, mas também parece que a bateria está durando mais do que durava.

Ainda não achei a lista de modificações e consertos desta versão, mas no meu caso, parece que foi a salvação da lavoura.

Agora meu pai voltou para o 2660 dele e eu estou usando o 6555 no lugar do E65, que está emprestado com meu irmão (aquele que tinha um Siemens, eca!). Vou ficar testando o 6555 até ter certeza de que ele ficou curado da mania de deixar as chamadas mudas.

Meu 6555 na assitência – Parte IV – O Retorno do Jedi


Hoje cheguei em casa e, novamente, o pacote da PLL estava à minha espera.

Testei o celular com algumas chamadas tanto com o chip da TIM quanto com o chip da Oi e, aparentemente, o problema foi resolvido. Vou fazer um teste melhor nesse fim de semana.

Aparentemente, a PLL consertou o celular. Vamos aguardar o teste no dia-a-dia. 🙂

Meu 6555 na assitência – Parte III – De novo na PLL

Hoje postei de novo o celular 6555 para a PLL porque o call center da Nokia me disse que eles são a única assistência técnica aqui do Rio de Janeiro. Espero que o celular volte consertado ou que credenciem uma assistência decente aqui na cidade.

Já estamos na parte III dessa história. Vamos ver se ela não vira uma novela Mexicana.

Data Local Situação
24/09/2008 14:27 AC TIJUCA – RIO DE JANEIRO/RJ Encaminhado
Em trânsito para CTE BENFICA/RJ – RIO DE JANEIRO/RJ
24/09/2008 13:28 AC TIJUCA – RIO DE JANEIRO/RJ Postado

Meu 6555 na assitência – Parte II – Bola fora da PLL


Acabei de chegar em casa e me deparei com uma caixa de SEDEX para mim. Fiquei curioso, afinal de contas, não comprei nada em nenhum lugar e não estava esperando nenhuma encomenda.

Quando vi o remetente da encomenda (PLL Centro) vi logo que que só poderia ser a devolução do meu 6555 que havia ido para o conserto na garantia na semana passada.

Como sou um sujeito otimista, pensei que tinham consertado muito rápido e fiquei contente, mas só por 10 segundos. Logo em seguida me lembrei que o celular havia chegado na assistência técnica na sexta-feira às 18:10 (veja esse post aqui) e na etiqueta da caixa estava escrito que ele tinha sido postado de volta na segunda-feira. (Uau! Assistência The Flash!)

Das duas uma, ou eles estão sem nenhum celular para consertar – muito pouco provável – ou não fizeram nada e me mandaram de volta o aparelho.

Para acabar com o mistério, peguei o telefone e coloquei o SIM Card para testar. Logo na primeira chamada para o telefone de casa ele tocou uma vez para mim e ficou mudo, enquanto continuava tocando no telefone de casa. Fiz outro idêntico teste e a mesma coisa aconteceu. No terceiro teste, pedi para a minha esposa me telefonar. A chamada foi muito bem por 1 minuto e ficou muda logo em seguida. Grrrrrr!!!

Resultado, o aparelho voltou igualzinho. Igualzinho não, voltou cheio de etiquetas coladas em todas as partes possíveis e imagináveis.

Vocês lembram que eu falei na primeira postagem dessa série que já imaginava qual era a assistência técnica que recebeu o celular? Pois é, eu estava pensando justamente na PLL. Meus temores se concretizaram.

Quando eu mandei meu 7610 para a garantia em 2006, ele foi para a PLL, e voltou com o mesmo defeito de uns pixels mortos no display (que tem até hoje) e demorou 40 dias para voltar. Só fizeram um update de firmware nele, como se isso fosse resolver um problema do display.

Além dessa minha experiência com a PLL em 2006, uma amiga da minha esposa tem recordações assustadoras de quando mandou seu Nokia 5200 para a assistência e ele foi parar também na PLL. Ela já se ofereceu para escrever um artigo aqui no blog sobre essa experiência que ela não quer ter novamente.

Agora é a minha vez de reclamar dessa assistência técnica, mais uma vez. O aparelho voltou na caixa, sem a cópia da nota fiscal (eu havia mandado duas cópias) e sem nenhum relatório de reparo ou motivo de devolução. Simplesmente mandaram o aparelho e o carregador de volta sem nenhuma explicação ou comunicação. Nem um papel de pão com um bilhete dizendo porque eles não quiseram consertar o celular!

Para completar a brincadeira, escreveram no destinatário “JOZÉ ANTONIO VIANA DE MAGALHCES OLIVEIRA”[sic]. O digníssimo portador do Q.I. de alface que escreveu isso nem se deu o trabalho de reler o que havia escrito. Esquecer um “N” no Vianna, vá lá; mas JOZÉ e MAGALHCES é muito desleixo!

Amanhã vou ligar de novo para a Nokia para ver como me resolvem esse assunto. Não coloquei “Parte Final” no título da postagem porque acho que isso está longe de ser resolvido.

Termino dizendo: Essa foi só mais uma pisada de bola, bola fora e gol contra da PLL Centro.




Meu 6555 na assitência – Parte I

Estou há algum tempo tentando arranjar um espacinho na agenda para conseguir colocar o 6555 no conserto. Ele vinha apresentando um problema chato que derrubava todas as chamadas depois de um tempo aleatório (curto).

Depois que eu ganhei o E51 da TIM (descrito nesse post), resolvi aposentar temporariamente o 6555 para consertá-lo. E assim fiz.

O primeiro passo foi telefonar para a Nokia (4003-2525) e perguntar o que fazer.

Ele foram muito diretos nas perguntas e em pouco tempo eu já tinha o procedimento para mandar o celular para a garantia.

O primeiro passo seria mandar pelo correio o celular e o carregador (sem chip e sem cartão de memória) para a assistência técnica.

Para isso eles dão um número de postagem e você só tem que levar o celular e o carregador numa agência dos correios próxima (escolhida por eles) e lá você recebe um formulário e uma caixa para enviar o aparelho.

Depois, com o número do objeto que o correio me deu, consegui ver que o celular já foi entregue no dia seguinte numa assistência técnica (que não sei qual é, mas imagino qual seja) no centro da cidade.

Data Local Situação
12/09/2008 18:10 CEE CENTRO – RIO DE JANEIRO/RJ Entregue
12/09/2008 14:43 CEE CENTRO – RIO DE JANEIRO/RJ Saiu para entrega
12/09/2008 02:12 CTE BENFICA/RJ – RIO DE JANEIRO/RJ Encaminhado
Encaminhado para CEE CENTRO – RIO DE JANEIRO/RJ
11/09/2008 15:45 AC TIJUCA – RIO DE JANEIRO/RJ Encaminhado
Em trânsito para CTE BENFICA/RJ – RIO DE JANEIRO/RJ
11/09/2008 15:06 AC TIJUCA – RIO DE JANEIRO/RJ Postado

Então foi dada a largada. Vamos ver quanto tempo demoram para consertar e para me devolver o aparelho.

Eu não fiquei maluco não (nem sem sinal)

Leiam o comentário do Luis Otávio na postagem sobre o 3G da TIM e me digam se eu estava sem sinal.

Aproveito o post para dizer que o meu E61 está piorando a cada dia que passa. Hoje tentei de tudo, formatar das duas maneiras possíveis, reinstalar o firmware original dele, mas o safado continua reiniciando na conexão de dados. Já vi que vou ter que me despencar lá para a Barra da Tijuca para colocar o celular na assistência técnica. E ainda vou ficar sem celular por um bom tempo. Isto se ele voltar consertado. Fora a grana para o reparo…

Voltando ao assunto do 3G da TIM, parece que vai ser lançado em breve. Vamos aguardar ansiosamente…

Reparo Remoto – Nokia Care

Você está com alguma dúvida de como usar seu celular Nokia? Está com algum problema de software que o impede de usar o aparelho? “Seus problemas acabaram! Agora você tem o Reparo Remoto da Nokia Care!”

É sério! Hoje eu testei o serviço de Reparo Remoto da Nokia e me surpreendi com o atendimento. Vou explicar como funciona:

Você visita o site da Nokia do Brasil e vai na seção de “Suporte e Software” e depois em “Assistência Técnica e Reciclagem” (Para os mais preguiçosos o link direto é esse aqui http://www.nokia.com.br/A4524097) e clica na opção “Reparo Remoto” para agendar o serviço.

Para fazer o agendamento você vai precisar do número de série do celular (IMEI) que pode ser obtido pela seqüência de teclas *#06# ou vendo atrás da bateria do celular na etiqueta do aparelho, de um telefone fixo ou celular para contato (diferente do aparelho que você quer suporte).

No meu caso eu só podia agendar para o dia seguinte ou mais para a frente, mas hoje eu visitei o site e vi que ainda podia agendar para hoje mesmo. Agendei para o sábado de manhã para testar mesmo o serviço.

Depois de fazer o agendamento, você recebe um e-mail confirmando o dia e a hora do atendimento (forneça um e-mail válido para não perder essa mensagem).

Na hora marcada (existe um intervalo de 1h no agendamento) eles te telefonam e você pode tirar todas as suas dúvidas de utilização do aparelho. No meu caso, a chamada estava marcada para o intervalo de 10h às 11h de hoje (24/11).

Eu já estava abrindo o Blogger, pensando que ia escrever um post sobre o atraso do serviço, quando, às 10:59 no meu relógio, toca o telefone e uma pessoa da Nokia está do outro lado da linha para falar sobre o meu problema no E50.

Eu esperava que num sábado de manhã um “robô de telemarketing” me atendesse com aquelas frases pré-fabricadas do tipo “vou estar transferindo…”, “vou estar passando a informação…”, “infelizmente não tenho como ajudá-lo…”, “Aguarde enquanto localizo seu cadastro…”, etc.

Ao contrário, a moça que me telefonou não usou nenhum gerundismo, conversou comigo sobre o problema que eu tinha no aparelho e, como era um problema físico do microfone do E50 (ele mesmo), ia me passar o telefone e o endereço da assistência técnica.

Outra coisa que me chamou a atenção foi que ela já sabia qual era a melhor assistência técnica daqui do Rio (como ainda não testei não digo o nome) e me encaminhou para ela.

Eu perguntei sobre a PCS Cellular (que já me deu muita dor de cabeça com o meu Nokia 7610) e ela me desaconselhou a ir nessa assistência. Também perguntei sobre a BigCell e ela me informou que ela tinha sido descredenciada.

(Ela só me deu o telefone da PCS Cellular porque eu insisti muito. Não fui só eu que tive problemas com essa assistência técnica. Uma amiga da minha esposa está escrevendo um texto enorme contando a sua odisséia com essa assistência técnica e seu Nokia 5200. Espero publicá-lo em breve aqui.)

Por último, ela me perguntou se poderia me transferir para uma gravação que faria uma pesquisa de satisfação e eu disse que sim. Com cinco ou seis perguntas informei pelo teclado que tinha ficado satisfeito com o atendimento e pronto. Mais um cliente satisfeito!

Outro ponto positivo para a Nokia!

Agora que vocês sabem desse recurso, usem e abusem dele. É gratuito e funciona!