Use sua partição do Bootcamp sem precisar sair do Mac OS X

Eu gosto do Mac e acho que quase tudo que eu usava no Windows tem uma versão ou uma alternativa que rode nativamente nele. No entanto, há algumas poucas coisas que não consigo fazer com ele. O Visual Studio, por exemplo, é um dos programas que eu acho que não vão ser portados para Mac tão cedo.

Uma solução é gastar R$200,00 no Parallels e mais R$90,00 a cada atualização para poder rodar o Windows de dentro do Mac. A performance não é ruim, mas eu acho muito caro e, se você deixar de comprar uma atualização, não tem direito a comprar uma outra com desconto. A política da Parallels não é das que mais pensam no consumidor, muito pelo contrário e, talvez por isso, tantas pessoas têm migrado para soluções mais baratas ou grátis, como VMWare e Virtualbox.

Outra solução para isso é instalar o Windows em numa partição através do Bootcamp e, quando quiser usar o Windows, reiniciar o computador por ele. Desta forma a performance é igual à de um Windows sendo executado num PC, já que não está sendo executado em conjunto com o Mac OS X. O que acontece é que há vezes que você precisa fazer uma coisa rápida no Windows e gostaria de poder rodar o programa sem ter que reiniciar o computador.

Ontem eu consegui fazer o VirtualBox, que é gratuito, executar o Windows da minha partição do Bootcamp de dentro do Mac, sem precisar criar outra imagem de disco. Desta forma ele acessa a própria partição para executar o Windows e você não precisa sair do Mac e parar o que está fazendo lá.

Este tutorial supõe que você já tenha o Windows instalado numa partição e que consiga usá-lo pelo Bootcamp. Eu estou usando o Mac OS X 10.9.5 e o VirtualBox 4.3.16. Além disso, você precisa ter coragem para usar o terminal do seu Mac. 🙂

1. Instale o VirtualBox no seu Mac:
Vá ao site do VirtualBox e baixe a última versão para Mac OS X. O link é este aqui. https://www.virtualbox.org/wiki/Downloads

2. Verifique as partições do seu disco:
Depois de instalar o VirtualBox, abra o Terminal (Eu costumo abrir pelo Spotlight) e digite o seguinte comando:

sudo diskutil list

O programa vai pedir uma senha. Use a sua senha de login no Mac.
A resposta será algo assim (dependendo do seu disco):

/dev/disk0
   #: TYPE NAME SIZE IDENTIFIER
   0: GUID_partition_scheme *500.1 GB disk0
   1: EFI EFI 209.7 MB disk0s1
   2: Apple_HFS Macintosh HD 370.5 GB disk0s2
   3: Apple_Boot Recovery HD 650.0 MB disk0s3
   4: Microsoft Basic Data BOOTCAMP 128.8 GB disk0s4

No caso do meu disco, a partição do meu Windows é a número 4 e usa o device disk0s4, que está em /dev/disk0s4

Atenção: Guarde esta informação acima. Eu vou usar /dev/disk0s4 até o fim do post, mas esse valor pode ser diferente no seu. Use o disco que estiver a sua partição do Bootcamp.

3. Desmonte a partição do Bootcamp.
Por padrão, o Mac monta a partição do Bootcamp toda vez que inicia. No terminal, digite o seguinte:

sudo umount -f /Volumes/Bootcamp

4. Mude as permissões de acesso do /dev/disk0s4.
O Windows ou o Bootcamp protegem a partição cada vez que você inicia o computador por ele, mas o VirtualBox precisa ter acesso total a ela para funcionar. Execute o comando abaixo no terminal:

sudo chmod 777 /dev/disk0s4

5. Crie um disco virtual que aponte para a partição do Windows.
Em seguida, crie o disco Virtual. Não se preocupe com espaço, ele não vai copiar a partição inteira para esse disco virtual, só vai fazer dois arquivos para guardar as informações de acesso à partição.
No terminal digite o seguinte comando:

sudo VBoxManage internalcommands createrawvmdk -filename Win7.vmdk -rawdisk /dev/disk0 -partitions 4
Atenção de novo! o parâmetro /dev/disk0 está certo. Não mude!
O número 4, logo depois de -partitions, é o número da sua partição do Windows.

Este comando irá criar dois arquivos na sua pasta Home, Win7.vmdk e Win7-pt.vmdk. Não mude de pasta esses arquivos!

6. Mude a permissão dos arquivos criados.

No terminal, digite o seguinte comando, trocando [[NOME DO SEU USUARIO]] pelo nome do seu usuário.

sudo chown [[NOME DO SEU USUARIO]] *.vmdk

Caso você não execute esse passo ou não execute o passo 4, você vai receber uma mensagem de erro do VirtualBox com o seguinte código: VERR_ACCESS_DENIED

Estamos quase lá! Coragem!

7. Crie a máquina virtual no VirtualBox

Inicie o VirtualBox e crie uma nova Máquina Virtual chamada “Win7” e selecione a versão do seu Windows (no meu caso era Windows 7 64bits). Eu coloquei um pouco mais de memória que o recomendado (512MB). Sugiro que você coloque pelo menos 1024, ou mais, se seu Mac permitir.

Na hora de escolher o disco, marque a opção “Do not add a virtual hard drive”. Nós faremos isso depois. Ele vai reclamar que não tem disco. Basta clicar em Continuar.

8. Configure a máquina virtual e adicione o disco virtual

Selecione a máquina virtual Win7 e clique em “Settings”. Clique em “System” e depois em “Processor”. Aumente para 2 o número de CPUs para você ter mais performance.

Depois clique em “Display” e aumente a memória para 128MB e marque as duas “Extended features”.

Por último clique em Storage. Selecione Controller: IDE. Mude o type para ICH6 (pelo que eu li, não funciona direito com PIX3 ou PIX4).

Depois clique em “Add attachment” (um disquete com um +) e escolha add Hard Drive. e clique em “Choose existing disk”. Vá para a pasta que você salvou o arquivo Win7.vmdk (se você fez como eu falei acima, ele está na sua pasta Home) e escolha ele.

Clique em “Ok” e corra para o abraço! Você já pode iniciar sua máquina virtual. Clique em Start e veja que maravilha!

9. Crie um script para liberar as permissões antes de executar o VirtualBox

Toda vez que você reinicia o computador, o Mac monta a partição do Bootcamp e muda as permissões para protegê-la. Para executar o seu Windows sem precisar entrar no terminal toda hora, crie um Apple Script conforme abaixo e salve no seu Desktop:

--Make the BOOTCAMP Partition writeable
 
do shell script "chmod 777 /dev/disk0s4" with administrator privileges
 
tell application "Finder"
 
	if exists "BOOTCAMP" then
 
		--Eject BOOTCAMP Volume if Mounted
 
		do shell script "umount -f /Volumes/Bootcamp" with administrator privileges
 
	end if
 
end tell
 
--Launch Virtual Machine
 
do shell script "vboxmanage startvm Win7"

Para fazer isso, vá no Spotlight e busque AppleScript Editor. Cole o texto acima no editor e clique em “Compilar”. Depois salve o arquivo no seu Desktop. Sempre que quiser usar, clique no ícone do script e mande executá-lo.

Fontes:

http://www.kevinrockwood.info/2010/04/windows7-in-osx-with-bootcamp-and-virtualbox/
https://www.virtualbox.org/manual/ch09.html#rawdisk
https://www.virtualbox.org/wiki/Migrate_Windows

Esqueci a senha do meu Windows, e agora?

Ontem minha irmã me chamou no MSN para perguntar se eu sabia recuperar a senha do Windows (no caso dela Windows 7, mas esses passos funcionam com XP e Vista também), porque ela tinha colocado uma senha e não se lembrava mais.

Depois parar de rir muito dela, para isso que servem os irmãos, saí catando na internet uma solução para o problema. Encontrei várias baseadas em programas, geralmente pagos, ou de origem duvidosa. Como não queria piorar o problema, resolvi continuar a procurar até que encontrei essa aqui, que funcionou de primeira.

A idéia é simples, baixar o CD de instalação do Ubuntu, rodar o liveCD e instalar um programa que vai zerar a senha do usuário em questão.

Como o povo gosta de um passo a passo, vamos a ele:

Passo 1: Baixe e grave o CD de instalação do Ubuntu neste endereço. (Se você já tiver um, mesmo que seja mais antigo, pode usá-lo)

Passo 2: Baixe o programa chntpw.deb e coloque-o num pendrive para instalá-lo depois. (Se esse link não estiver funcionando, tente baixar da página de pacotes do Debian neste link)

Passo 3: Inicie o computador pelo CD do Ubuntu e escolha a opção de LiveCD (botão Try Ubuntu)

Passo 4: Instale o programa chntpw.deb que está no Pendrive do Passo 2. Caso tenha pulado o passo 2, retorne ao passo 2. 🙂

Passo 5: Monte o HD do Windows clicando em Places -> NOME_DO_SEU_HD_DO_WINDOWS

Isso fará o Ubuntu abrir uma janela com o conteúdo do HD do seu Windows. Você pode fechá-la. O HD já vai estar montado.

Passo 6: Abra um terminal.

Passo 7: Digite

cd /media/

e aperte a tecla Tab para ele completar com o nome do HD. Caso ele não complete, aperte Tab duas vezes seguidas para ele mostrar as opções disponíveis. Você vai terminar com algo assim:
cd /media/NomeDoHD/

Complete o comando (Letras maiúsculas e minúsculas são diferentes!) assim:
cd /media/NomeDoHD/Windows/System32/config/

e aperte Enter.

Passo 8: Digite o comando

sudo chntpw -u NOME_DO_USUARIO SAM

onde NOME_DO_USUARIO é o nome do usuário administrador, por exemplo:
sudo chntpw -u Mario SAM

Não tenho certeza, mas tudo indica que se o nome do usuário tiver espaços, basta colocar uma contra-barra antes dos espaços, assim ó:
sudo chntpw -u Joaquim\ Manoel SAM

Passo 9: Nessa hora ele vai mostrar um monte de texto que você pode ignorar, e vai perguntar o que você quer fazer. Escolha a opção 1, para remover a senha do usuário. (Bastará apertar Enter para entrar, ou deixar a senha em branco).

– – – – User Edit Menu:
1 – Clear (blank) user password
2 – Edit (set new) user password (careful with this on XP or Vista)
3 – Promote user (make user an administrator)
(4 – Unlock and enable user account) [seems unlocked already]
q – Quit editing user, back to user select
Select: [q] >

Passo 10: Se tudo der certo, você verá a mensagem abaixo. Aperte “y” para salvar e reinicie o computador sem o CD do Ubuntu.

Password cleared!
Hives that have changed:
# Name
0
Write hive files? (y/n) [n] :

Não poderia ser mais simples. Com esse programa você pode fazer outras coisas, inclusive promover um usuário a administrador. Mas isso é outro papo. Nada como o Ubuntu para tornar a vida dos usuários do Windows mais fácil.

E não se esqueça, coloque uma senha que você se lembre! 🙂

Transfira seus contatos e compromissos do Symbian para o iPhone

Você se encheu do Symbian, e resolveu abandonar de vez a Nokia, comprando seu primeiro iPhone. E agora? Como transferir seus 453456 contatos do seu celular Symbian para o iPhone?

Não sei se existem outras formas de fazer isso, mas a que eu encontrei, e que funcionou comigo, foi usar o Google Sync para fazer o trabalho de conversar com os dois aparelhos. Ele funciona tanto no Nokia quanto no iPhone.

A maior parte do que vai ser escrito neste post serve para o caso de migrar para o Android também, só que no caso do Android isso é transparente e não há necessidade de fazer um post exclusivo para ele.

  • Faça um backup do seu Nokia com o Ovi Suite ou Nokia PC Suite. Vai que alguma coisa dá errado, né? 😉
  • Instale a última versão do Mail for Exchange no seu Nokia (Baixe na Ovi Store clicando aqui)
  • Logo após instalar o programa e execute-o. Ele vai pedir para criar um perfil para sincronizar.

Crie o seu perfil inicial com os dados da sua conta do GMail, conforme a imagem abaixo, não se esqueça de colocar o @gmail.com no nome de usuário:

Pressione OK. Vai dar um erro de certificado. Aceite o certificado. Vai dar um erro de novo. Preencha com os dados a seguir:

No campo do ponto de acesso, use o seu preferido, (3G, WiFi, etc).

Continue nas abas seguintes para configurar a sincronização do calendário e contatos. Não sincronize e-mails nem tarefas. O e-mail você não precisará mais, as tarefas não sincronizam com o Google Tasks.

Depois de configurar, salve as configurações e sincronize seu celular com o Google Sync, clicando em Opções, Sincronizar. Pode ser que ele reclame de novo do certificado. Aceite o certificado e siga em frente.

Depois de sincronizar o celular Nokia com o Google Sync, você precisa configurar seu iPhone para sincronizar também com o Google Sync.

Vá em Ajustes (Settings) e depois em Mail, Contatos, Calendários.

Adicione uma conta nova e escolha o tipo Exchange.

Preencha com os dados da sua conta do GMail e pressione “Seguinte”.

Ele vai reclamar do servidor. Preencha com “m.google.com”

Escolha os serviços a sincronizar (desmarcando e-mail) e, a menos que você queira apagar os dados que já colocou no iPhone, escolha a opção “Manter no meu iPhone”.

Pronto! Feche os Ajustes e aguarde algus segundos para ver seus contatos e compromissos todos no iPhone.

Agora você já pode aposentar seu velho Nokia e passar a usar seu iPhone com todos os contatos e compromissos da agenda. Como vocês viram pelos screenshots, o mesmo processo funciona para iPod Touch.

Como formatar o HTC Touch 2

Na semana passada a HTC me mandou o HTC Touch 2 (ou HTC T3333) para eu testar.

Apesar de ser um celular animado por um Windows Mobile, gostei muito desse aparelho.

Vou fazer o review ainda nessa semana, mas, como é de costume, segue o procedimento de formatar (ou Hard Reset) o aparelho, para deixá-lo como veio de fábrica.

Antes de começar, faça um backup geral dos dados e dos programas que você tem instalados no aparelho.

Não se esqueça de fazer o procedimento com a bateria carregada, para evitar surpresas desagradáveis.

1) Desligue o aparelho

2) Segure simultaneamente as duas teclas de volume (na lateral do aparelho)

3) Ainda segurando as duas teclas de volume, aperte e solte a tecla de terminar a chamada (Ou de ligar o aparelho)

Nesse momento o celular vai se ligar e vai exibir a seguinte mensagem na tela:

4) Aperte a tecla de aumentar o volume para concluir o hard reset.

Esse procedimento vai demorar uns 2 minutos, e, ao final dele, o celular vai pedir para reiniciar o aparelho, apertando a tecla de aumentar o volume.

Pronto. Agora seu aparelho está como veio de fábrica.

Formate seu HTC Touch Pro

Amanhã devolvo o HTC Touch Pro que a HTC gentilmente me emprestou para testar. Antes de postar o review do aparelho, vou mostrar como apagar todos os dados que você deixou nele (agenda, contatos, chamadas, sms, senhas de e-mail etc.). Essa informação também é útil para aquelas pessoas que venderam seu aparelho para terceiros e querem limpar o conteúdo da memória.

Para não perder o conteúdo do aparelho, sugiro fazer um backup dos dados antes de prosseguir.

1) Ligue o aparelho e o vire de cabeça para baixo (ou de “ponta cabeça” à moda dos paulistas 🙂 ).
2) Retire a Stylus
3) Pressione as teclas ENTER e Volume para baixo (ela vai estar em cima, já que o aparelho está invertido)
4) Segurando as teclas mencionadas acima, pressione com a stylus o minúsculo botão de RESET que vai estar virado para cima. (É aquele botãozinho que fica embaixo do ícone do fone).
5) Siga os comandos que aparecerem na tela

A imagem abaixo explica melhor como fazer o processo.

Fonte

Curso de desenvolvimento mobile – 10 vagas

Depois de vários posts sobre desenvolvimento mobile percebi que poderíamos fazer um curso ao vivo e a cores.

Como será a primeira edição do Zeletron Mobile Training vamos oferecer 10 vagas.

Bom, aí você pergunta: onde vai ser?
Eu respondo: Rio ou São Paulo – depende dos interessados.
Quando vai ser? em junho em data a ser definida
Vai ter custo? Sim. Mas nada extravagante.

Como será feita a seleção? pode deixar um comentário neste post ou enviar uma mensagem para o twitter deste blog que entraremos em contato.

Que plataformas serão abordadas? iPhone e Android. Talvez Nokia.

Aguardo vossos comentários e sugestões.

Tutorial de modo root no Motorla Milestone

Quem tem celular com sistema Android já se deparou com alguns programas que exigem o modo root para funcionar. Esse modo dá ao dono do aparelho com sistema Android o acesso total ao sistema Linux. No fundo, root é o nome da conta de administrador dos sistemas Linux em geral.

Esse tutorial do Tekimobile ensina como fazer para conseguir acesso root no seu Motorola Milestone. Visite o post do André Luiz para ver como fazer isso.

http://www.tekimobile.com/2010/04/tutorial-acesso-root-no-android.html

Capturando a tela no iPod Touch e iPhone

Uma das primeiras coisas que eu procurei na AppStore foi um programa para capturar telas (screenshot) no iPod Touch. Encontrei só um aplicativo pago e, como ainda não estava precisando, deixei para lá.

Hoje estava pensando em escrever um post sobre um aplicativo (que vou escrever amanhã) e resolvi procurar no Google como fazer para capturar imagens da tela.

Para isso, basta segurar a tecla redonda lá de baixo e, enquanto a segura, apertar e soltar a tecla de bloqueio lá de cima. Com isso a tela vai ficar branca por um instante, indicando que a captura foi feita.

Deixo abaixo duas imagens capturadas por esse método. Como vocês poderão reparar eu escrevi o post no iPod.

Formatando seu HTC Magic

Muito bem, existem várias razões para você querer formatar o seu celular e zerar todo o conteúdo dele: Você pode estar querendo dar uma geral na bagunça que ficou depois de instalar a Android Market inteira, ou então vendeu o aparelho e quer limpar seus dados, ou até pelo bem da ciência. Não importa.

Para apagar todo o conteúdo da memória do aparelho e deixá-lo como veio de fábrica, desligue o celular, pressione a tecla da casinha e a tecla de voltar, com a seta para a esquerda (marcadas com 1 na figura abaixo). Com as duas pressionadas, ligue o celular, apertando a tecla vermelha (marcada com 2 na figura abaixo).

Depois disso, o aparelho vai entrar no modo de setup e vai perguntar se você deseja apagar tudo. Escolha Yes e depois de pronto Yes novamente, para ele reiniciar.

Prontinho. O HTC Magic está como veio de fábrica. Ah, e não se esqueça de formatar o microSD indo em Configurações -> Cartão SD e armazenamento -> Formatar cartão SD.

Obviamente, depois desses passos todos não sobrará mais nenhum dado seu no celular, tal como agenda, fotos, mensagens etc. Faça um backup dos dados que você quiser manter antes de formatar o seu celular.

A dica foi do leitor Marcel. Obrigado!

Como transformar um iPhone podre num iPhone novo

Imagine que você comprou seu iPod ou iPhone no Mercado Livre ou de um amigo muito descuidado. O que fazer para que ele volte a ter o mesmo brilho de quando era novinho?

Esse post em inglês dá a dica. Vejam o antes e depois!

O método envolve lixas fina secas (500 a 1500) para retirar os arranhões mais fundos,

lixa d’água fina (1500 a 2000) com muito pouca água (não queremos matar o aparelho),

politriz e composto polidor.

O efeito colateral do método é remover a maçã e todos os textos da tampa do aparelho, mas ele fica novinho em folha!

Segundo o autor, esse método funciona em quase qualquer aparelho com carcaça de acrílico. Não garanto que seu aparelho vá ficar como o do post, por diversas razões, mas, provavelmente você vai conseguir chegar bem perto se tiver paciência para polir. Também não garanto que seu aparelho vá sobreviver, visto que o processo envolve alguns riscos (tem água e produtos abrasivos envolvidos!).

Vale lembrar que o iPhone tem uma camada protetora de riscos na parte traseira do aparelho (acredite se quiser). Depois desse processo ele arranhará facilmente. Sugiro colocá-lo numa capa depois do processo.

Boa sorte! (Se você tiver sucesso, mande para cá suas fotos do aparelho renovado)

Atualizando os links do NokiaBR para o Zeletron

As pessoas que têm blogs baseados no WordPress, com acesso ao banco de dados do blog, e que quiserem me ajudar trocando os links antigos do NokiaBR para os do Zeletron, podem executar essas 3 queries abaixo nos seus bancos de dados que elas farão o trabalho de acertar os links para o endereço certo. Isso também servirá para os blogs parceiros acertarem as imagens que usavam diretamente do NokiaBR.

Elas trocam todas as URLs http://blog.nokiabr.com.br/ para http://www.zeletron.com.br, em imagens e links. Como eu trouxe todo o conteúdo para cá com os mesmos nomes, os links irão funcionar normalmente.

Não se esqueçam de fazer um backup do Banco de Dados antes de executar as queries. Mesmo elas sendo inofensivas, sempre é bom prevenir.

/*Atualiza o conteudo dos posts*/
UPDATE wp_posts SET post_content = REPLACE(post_content,
                                           'http://blog.nokiabr.com.br/',
                                           'http://www.zeletron.com.br/');
 
/*Atualiza os resumos*/
UPDATE wp_posts SET post_excerpt = REPLACE(post_excerpt,
                                           'http://blog.nokiabr.com.br/',
                                           'http://www.zeletron.com.br/');
 
/*Atualiza os metadados dos posts*/
UPDATE wp_postmeta SET meta_value = REPLACE(meta_value,
                                            'http://blog.nokiabr.com.br/',
                                            'http://www.zeletron.com.br/');

Infelizmente não sei como resolver para o Blogger ou outra plataforma de publicação.


Atualização: Se tiverem links para www.nokiabr.com.br e nokiabr.blogspot.com basta trocar blog.nokiabr.com.br nas queries por essas urls.
(Dica do Vinicius Martins)

Recuperando o Grub 2 no Ubuntu 9.10

Uma coisa que já tive que fazer algumas vezes e que sempre me esqueço de anotar como faz é a recuperação do bootloader grub 2 do Ubuntu, depois de instalar outro sistema operacional em outra partição do HD.

Ontem criei coragem e troquei meu terrível Windows Vista Professional 32 bits pelo sensacional Windows 7 Professional 64 bits. Depois de instalado, o Windows sobrescreve a MBR do HD como se só ele estivesse instalado lá e o grub acaba indo para o céu dos bootloaders.

Para recuperar o grub, existem várias maneiras, mas algumas delas não funcionaram comigo. Deixo abaixo a maneira mais simples que funcionou comigo.

Antes de mais nada você vai precisar do disco de instalação do seu Ubuntu. Se, assim como eu, você instalou o Ubuntu lá no passado e veio atualizando para as versões mais recentes, provavelmente você não terá esse disco. Isso vale para quem perdeu o disco também.

Neste caso, comece o tutorial no passo 1 logo abaixo. Caso você seja um sortudo e tenha o disco que usou para instalar seu Ubuntu, continue no passo 2.

Passo 1) Obtendo a instalação do Ubuntu 9.10 (32bits ou 64 bits)

Se você tem à mão uma mídia virgem de CD-R ou CD-RW, pode baixar o ISO do Ubuntu no site deles e gravar na mídia. O endereço para isso é o http://www.ubuntu.com/getubuntu/download. Lembre-se de baixar a mesma versão que está instalada no seu computador, isto é, se você instalou a de 64 bits baixe o ISO de 64 bits, ou vice-versa para 32 bits.

Caso não tenha uma mídia de CD ou DVD à mão ou não tenha um gravador de CD, a solução é arranjar um Pendrive de 1GB ou mais e baixar o programa UNetbootin, que baixa automagicamente a imagem e monta um pendrive “bootável” com três cliques.

Para baixar o UNetbootin, clique aqui. Ele é totalmente gratuito e simples de usar. Depois de baixá-lo, execute o programa siga os passos abaixo:

unetbootin

Escolha a versão que você tem instalada e sempre o Live. No meu caso era 9.10 64 bits
Escolha a versão que você tem instalada. No meu caso era 9.10 64 bits

Depois disso, escolha o seu drive USB do pendrive (meu caso F:) e clique em OK. O programa faz tudo sozinho. (Lembre-se que o pendrive será formatado e você perderá tudo que está nele. Se não quiser perder o conteúdo do pendrive, faça uma cópia antes).

Dependendo da sua conexão, o processo desse passo deve demorar de uma a duas horas. Vá fazer alguma coisa de útil, como lavar a louça para sua esposa ou mãe ou levar o lixo para a lixeira ou ler um capítulo de um livro, etc.

Passo 2) Executando o LiveCD do Ubuntu:

Reinicie o seu computador com o CD ou o Pendrive instalados e selecione na sua BIOS um dos dois para dar boot (inicializar).

Depois que a instalação do Ubuntu iniciar, escolha um idioma dentre as dezenas de idiomas disponíveis (de preferência um idioma que você saiba) e depois escolha a primeira opção que diz alguma coisa como “Executar o Ubuntu sem modificar o computador”.

Isso executará o Ubuntu em modo LiveCD, isto é, sem alterar nenhuma partição. Com isso podemos passar para o passo 3.

Passo 3) Recuperar o Grub

Abra um terminal (Aplicativos->Acessórios->Terminal) e digite os comandos a seguir. Se for copiar e colar em algum lugar, só copie o que não estiver em negrito. O que está em negrito é o prompt do terminal.

[ubuntu]$ sudo fdisk -l

Esse comando exibirá a lista de partições disponíveis, com o device respectivo. No meu caso, minha partição Linux estava em /dev/sda5. No seu caso pode estar com outro nome. Você vai ter que procurar esse dado e substituir /dev/sda5 pela partição do seu caso.

Depois de identificada a partição, monte-a na pasta /mnt com o seguinte comando:

[ubuntu]$ sudo mount /dev/sda5 /mnt
(lembre-se de trocar sda5 pela sua partição)

Se você tem o /boot em outra partição (exemplo: /dev/sda6), monte-a também usando o comando abaixo:

[ubuntu]$ sudo mount /dev/sda6 /mnt/boot
(Caso você não tenha o /boot em outra partição, pule esse passo)

Agora monte o resto dos devices com o comando abaixo:

[ubuntu]$ sudo mount --bind /dev /mnt/dev

Agora precisamos mudar a raiz para usar o grub-install. Execute o código abaixo:

[ubuntu]$ sudo chroot /mnt

Depois disso, o prompt vai mudar e você já vai estar executando comandos como root e não vai mais precisar usar o sudo, como abaixo:

[root]#

Depois disso, execute o seguinte comando para restaurar o seu grub original:

[root]# grub-install /dev/sda

Pronto! Agora é só desmontar tudo e reiniciar o computador:

[root]# exit
[ubuntu]$ umount /mnt/dev
[ubuntu]$ umount /mnt
[ubuntu]$ sudo shutdown -r now

Não se esqueça de retirar o CD ou o pendrive para não entrar novamente no LiveCD. Depois disso, quando o computador reiniciar, você verá seu bom e velho grub.

O passo 3 foi adaptado do tutorial em inglês do Linuxers.

Mapeando acentos no N900 com teclado US

Se tinha algo que estava me incomodando no N900 era a digitação de acentos (o meu modelo segue o teclado americano). Perde-se um tempo enorme já que é preciso exibir a janela de símbolos e escolher o acento desejado através de um toque na tela. Depois, voltar para o teclado e digitar a letra a ser acentuada.

Pensei que o xmodmap resolveria o problema mas vi no fórum do Maemo que ele não está funcionando adequadamente ainda. A estratégia alternativa é via xkb, alterando o mapeamento do teclado. O melhor link que achei sobre o assunto foi o blog The world won’t listen. No fundo, é preciso alterar o arquivo /usr/share/X11/xkb/symbols/nokia_vndr/rx-51, indicando as alternativas de mapeamento.

No meu caso, eu usei a tecla de função (shift azul) para acessar os acentos grave, agudo, circunflexo e til nas teclas de direção up, down, left e right. Também aproveitei para mapear o cedilha na combinação shift azul + backspace, como pode ser visto nesta montagem perfeita:

Abaixo, o trecho alterado, que fica bem no final do arquivo. As quatro linhas comentadas são as originais, seguidas pelas cinco linhas novas. Eu usei o vi para fazer a edição, direto no aparelho, como super usuário (root). Veja como virar root neste post e use o leafpad caso não saiba usar o vi. Todo cuidado é pouco e não me responsabilizo por qualquer dano. Tudo por sua conta e risco, naturalmente. Fazer uma cópia do arquivo original é sempre uma boa idéia. O arquivo completo, compactado, pode ser baixado daqui.

    //key 	{ type[Group1] = "ONE_LEVEL", symbols[Group1] = [	Up	] };
    //key 	{ type[Group1] = "ONE_LEVEL", symbols[Group1] = [	Left	] };
    //key 	{ type[Group1] = "ONE_LEVEL", symbols[Group1] = [	Down	] };
    //key 	{ type[Group1] = "ONE_LEVEL", symbols[Group1] = [	Right	] };
    key 	{ type[Group1] = "PC_FN_LEVEL2", symbols[Group1] = [	Up,dead_acute	] };
    key 	{ type[Group1] = "PC_FN_LEVEL2", symbols[Group1] = [	Left,dead_circumflex	] };
    key 	{ type[Group1] = "PC_FN_LEVEL2", symbols[Group1] = [	Down,dead_grave	] };
    key 	{ type[Group1] = "PC_FN_LEVEL2", symbols[Group1] = [	Right,dead_tilde	] };
    key 	{ type[Group1] = "PC_FN_LEVEL2", symbols[Group1] = [	BackSpace,ccedilla	] };

Parece estranho, mas você acostuma rapidinho. Enquanto não temos um teclado brasileiro no N900, acredito que a dica pode ser útil para os que estão importando o aparelho.