Mini Helicópteros com filmagem

O preço dos mini-helicópteros com capacidade de filmagem e alguma capacidade de vôo autônomo anda caindo drasticamente. O que há alguns anos era um sonho distante, agora pode ser adquirido por cerca de 500 dilmas no Mercado Livre ou outros sistemas de importabando similares.

Obviamente que se você morar nos EUA você pode comprar isto no HobbyKing, DIY Drones ou até montar o seu com peças compradas na SparkFun.

Para quem quer ter um Hobby ou comprar um brinquedo para o filho (velha desculpa para comprar um brinquedo para o pai) é uma boa sugestão.

Só não caia na tentação de espionar os seus vizinhos ou você pode ter sua própria versão de Black Hawk Down.

microquad_1

Acelerando o emulador de Android no Mac e no Windows

Executar o emulador de Android no Mac em qualquer sistema operacional é terrível.

Você abre o programa, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, …….(parece que vai abrir)……, espera, espera, espera, espera e ele abre. Aí manda ligar, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera, espera,… Bom você já sabe, né?

Procurando uma solução para isso, encontrei esse post aqui, que fala como resolver o problema para o 4.0.3, mas funcionou para mim também com o 4.2.2.

Os passos a seguir são para o Mac, mas funcionam também para o Windows com algumas mudanças.

Passo 1

Abra o Android SDK Manager e procure por “Intel Atom x86 System Image” dentro de Android 4.X.X.
Obs.: Também tem um dentro de 2.3.3 se você quiser testar no Gingerbread também.

Passo 2

Faça o download do “Intel Atom x86 System Image” e espere terminar de instalar.

Passo 3

Vá para a pasta /extras/intel/Hardware_Acceleration_Execution_Manager/ e abra o arquivo haxm-macosx_r02.dmg (IntelHaxm.exe no Windows). Dentro dele há um IntelHAXM_1.0.1.mpkg. Execute o programa.

No Windows, se o programa reclamar que a virtualização não está ativada. Você vai ter que ativá-la na BIOS do seu computador (Procure no Google como ativar para a sua BIOS).

Passo 4

Siga os passos do instalador e escolha a quantidade de RAM que você deseja reservar para o emulador. Para mudar isso depois, basta executar esse instalador novamente. Não abuse desse valor para não deixar seu Mac lento enquanto estiver usando o emulador.

Passo 5

Feche o Android SDK Manager e abra-o novamente. Isso não tem no tutorial original, mas comigo só funcionou depois de fazer isso.

Passo 6

Abra o AVD Manager e crie um novo Device.
Escolha “Android 4.X.X – API Level XX” (onde XX corresponde à sua versão instalada).
Na parte de CPU/ABI, escolha “Intel Atom (x86)”
Marque o checkbox “Use Host GPU”
Deixe desmarcado os “Snapshots”. (Ou você usa Snapshots ou a GPU).

Passo 6

Use o emulador e seja feliz.

Passo 7

Use o tempo livre que você acaba de ganhar para fazer algo de útil ou ajudar alguém. 🙂

Apple anuncia novos produtos, iPad 4 e iPad Mini

Há poucos minutos a Apple anunciou o lançamento do iPad 4 e do iPad Mini.
– iPad 4 – A6X (2x mais rápido que o iPad3), Cabo Lightning.
– iPad Mini – Tela 7.9″, 768×1024, Apple A5, Facetime HD, 5MP Camera, 4G LTE, Cabo Lightning, 10 horas bateria. A partir de US$ 329.00

Novo iBooks (3.0)
– Scroll contínuo, iCloud, Share via Facebook e Twitter, novas fontes.

Novo iBooks Author
– Novas fontes, fórmulas matemáticas, livros atualizáveis.

Novos Macs
MacBook 13″ com retina display 2560×1600. 1,9cm de espessura. 8GB Ram, Intel i5 ou i7, Bluetooth 4.0, HD SSD 128 até 768GB
Mac Mini – i5 ou i7 Ivy Bridge, Bluetooth 4.0.
iMac – Este foi a grande novidade em termos de Mac. 5mm de espessura. Nvidia Kepler, Bluetooth 4.0, i5 ou i7, 8GB Ram, Apple Fusion Drive (128 GB SSD, 1TB a 3TB HD).

Algumas curiosidades: 200 milhões de aparelhos já foram atualizados para o iOS6 (escutou Android?)

Resumo dos Números:

  • 5 milhões iPhone 5s vendidos no primeiro fim de semana.
  • 3 milhões iPods vendidos ( os nano novos e os touch novos)
  • 124 milhões docs no iCloud.
  • 300 bilhões de iMessages (28000/seg)
  • 160 milhões contas no game center
  • 70 milhões fotos compartilhadas.
  • 700,000 apps na app store
  • 275,000 iPad apps
  • 35 bilhões de apps downloads
  • US$6.5 bilhões pagos a desenvolvedores (e a minha parte??? :)..
  • 100 milhões de iPads vendidos até agora.

Colocaram um iPad ao lado do Nexus 7″ e deram uma detonada no Nexus: “They failed miserably

Mario Kart para gente grande

O nome do veículo é ChibiKart e foi feito por alunos do MIT. É como um carrinho de rolimã, só que ele sobe ladeira. 🙂

Ele tem 4 motores que ficam diretamente nas rodas e fazem o kart chegar a 30km/h (Duvido que chegue a essa velocidade comigo em cima, mas tudo bem).

Já falei muito! Vejam o vídeos abaixo.

Página do projeto: http://www.etotheipiplusone.net/?page_id=1987

Nokia mostra as garras e quer voltar a dominar os Smartphones

Em poucos meses a Nokia já se tornou a maior distribuidora de Windows Phone, que diga-se de passagem é um belo sistema operacional.

Com seu sistema de Mapas a Nokia dá uma importante contribuição ao ecosistema da Microsoft (que salvou a Nokia de afundar) e se coloca numa posição de ser uma das três forças em termos Smartphone (junto com a Apple e o Google).

Hoje a Nokia lançou mais um Windows Phone, desta vez voltado ao público jovem e com uma proposta de custo mais acessível. O Lumia 610 vai manter as regras de hardware da Microsoft, afinal de contas a péssima experiência dos Androids com fragmentação de hardware e software mostrou que não se deve por um sistema moderno num hardware porco. A única concessão que foi feita é a ausência da câmera frontal.

As principais especificações do Lumia 610 são:

  • Internal memory: 8 GB
  • RAM: 256 MB
  • Skydrive storage available
  • Screen size: 3.7” LCD display
  • Resolution: WVGA 800 x 480 pixels
  • HSDPA CAT 7, 7.2 Mbps; HSUPA CAT 6, 5.76 Mbps
  • WLAN IEEE802.11 b/g/n
  • USB 2.0 high-speed through micro USB connector
  • Bluetooth wireless technology 2.1 + EDR
  • Nokia 3.5 mm AHJ connector + Windows Phone controls
  • WCDMA 850/900/1900/2100
  • GSM 850/900/1800/1900
  • Windows Phone 7.5 Mango
  • Nokia Maps (pre-installed)
  • Nokia Drive
  • Office Applications (Excel, Word, Powerpoint, One Note)
  • Internet Explorer 9 with desktop rendering
  • 5 MP camera; Auto Focus,LED flash,VGA@30fps,Dedicated camera key; Auto Focus; Face detection & Red eye reduction; Anti-shake; GeoTagging
  • Modes: Panorama, Scenes, Image effects
  • 28 mm wide angle; Large aperture/low F2.2
  • Video Camera: 720p
  • XBOX Live Hub

Parece que vão indo em bom caminho. Espero que a Nokia volte a ser o que era e não o espectro que vimos não faz muito.

 

Resolvendo facilmente o problema do botão do iPhone

Essa é a dica do ano para quem tem um iPhone!

Sabe aquele problema de você apertar o botão home uma, duas, três, quatro, cinco vezes até ele funcionar? Pois é, parece que não é problema só de hardware, pode ser que seu iPhone precise recalibrar o botão. Há uns três meses eu troquei meu botão home justamente por isso, e agora ele estava voltando a dar o mesmo problema. Testei esses passos e ele voltou a ser como antes!

Antes que me xinguem, que digam que estou louco, que isso é história da carochinha, efeito placebo, que isso é impossível; tente no seu iPhone se ele estiver com o problema. Se não funcionar, aí você pode me xingar com propriedade. Mesmo assim, se não funcionar, seu botão pode estar quebrado mesmo. 🙂

Li dica no site “Cult of Mac“, que, por sua vez, tirou do site “iDownloadblog.com

Vamos aos passos para calibrar seu botão Home:

Passo 1: Abra o aplicativo “Bolsa” (Stocks) ou o “Tempo” (Weather) ou ainda o Relógio. (Eu testei com o “Bolsa”)

Passo 2: Fique segurando só o botão de “Liga/Desliga” até aparecer a mensagem “Desligar”. Quando ela aparecer, solte o botão.

Passo 3: Aperte o botão home e fique segurando até que a mensagem “Desligar” e o aplicativo aberto sejam fechadas. Pronto. Seu botão home deve estar mais esperto agora.

E aí? Testou no seu iPhone? Funcionou? Deixe seu recado após o bip!

Salvando a tela do seu Galaxy Tab 10.1 da famosa “mancha de óleo”

Parece ser um problema recorrente ter uma mancha parecida com uma mancha de óleo na tela do Galaxy Tab, como essa abaixo:

A mancha é muito mais visível ao vivo. Nessa foto ela está entre os dois reflexos de luminária.
A mancha é muito mais visível ao vivo. Nessa foto ela está entre os dois reflexos de luminária.

Se seu aparelho é nacional e está na garantia, parece que a Samsung troca. Tenho meus pés atrás com qualquer garantia nesse país, mas tudo bem.

Caso seu aparelho não esteja mais na garantia a Samsung vai cobrar pelo conserto. Caso tenha comprado fora do país eles nem mexem no aparelho (a Nokia faz o mesmo e outras empresas também). Se um desses for o seu caso veja como resolver o problema no blog do Alexandre Novello. O aparelho dele ficou assim:

Agora sem a mancha. (Não reparem no banco da praça) :)
Agora sem a mancha. (Não reparem no banco da praça)

O post que ele conta como tirou a mancha é esse.

Nokia World, primeiro dia, resumo pra passar

Primeiramente, queria me desculpar pela qualidade das fotos postadas na minha timeline do evento. Tinha que decidir entre um E7 ou N8. Infelizmente o teclado do E7 faz diferença na hora de postar rapidamente a informação. Foi assim durante toda a apresentação da manhã e acho que foi possível dar uma boa visão do que aconteceu, em tempo real. Não tem como usar um notebook e tirar fotos ao mesmo tempo quando se está sozinho. Postei, desta forma, muita coisa com segundos de atraso.

Diferente do ano anterior, as apresentações saíram do estilo mais sóbrio e foram na linha americana, com mais brincadeiras e candidatos a Steve Balmer ou Steve Jobs. A reação geral foi boa, ainda mais que a maioria estaria feliz com apenas um telefone novo, rodando Windows Phone 7.5. Mas foram dois. Fora os outros quatro S40, com foco em casos de uso variados. Entre no site da Nokia e terá um detalhamento de todos os telefones (compare o Lumia 800 e Lumia 710, ou compares os modelos Asha 200, Asha 201, Asha 300 e Asha 303).

Achei os novos S40, linha denominada Asha, bem posicionados, para mercados emergentes (inclua-se). O sucesso de vendas do Nokia C3 no Brasil confirma a lógica desses lançamentos e acredito mesmo que terá uma boa saída. Cada telefone desses era apresentado através de um personagem, um usuário final fictício (ou não) em algum lugar do mundo (emergente). Foi uma boa sacada.

Já os novos Nokia WP7, denominados de Lumia 800 e 710, são bem atraentes, em especial o 800, que por fora é praticamente um Nokia N9 sem câmera frontal ou NFC (fiz um twitter review do N9 ontem). As especificações são boas, com processadores single core de 1.4Ghz e acelerador gráfico 3D, talvez um pouco longe do hardware de um Samsung Nexus. No entanto, o desempenho, até onde pude testar, era excelente e apropriado para o software. Isto deve indicar que o Android exige mais da CPU.

Gostar ou não do WP7 é uma experiência pessoal, recomendo que teste quando puder. Eu vejo pontos inovadores nele, que vão além daquela fonte sedutora que usam (Segoe). O Metro, nome da interface, com seus “quadradinhos” (tiles) e aplicações em “panorama”, agradam muita gente. Também acho positivo ter o Office, Nokia Drive (maps…) e Nokia Music juntos. E, pra quem joga, a integração com Xbox. No fundo, você acaba levando o melhor das duas companhias por um preço da concorrência, no máximo.

Na cobertura do twitter, a pergunta mais pertinente pra mim foi a que queria saber no que o telefone WP7 da Nokia se diferenciava dos demais. Na minha visão, o relacionamento da Nokia com dezenas de operadoras é o primeiro fator, seguido do Nokia Drive (maps) e Nokia Music.

A gente deve ter este aparelho no começo do ano que vem, talvez fevereiro. Ele já tem suporte ao Português do Brasil, basta trocar e rebootar (sem piadinhas, ok ?). Aliás, o N9 também tem suporte total, para os interessados nele. Em particular, achei sensacional o N9 e estou levando um comigo pro Brasil. A fonte, chamada Pure Nokia, é muito similar à fonte da Microsoft.

Detectando Vazamento de Gás – Um nariz eletrônico

Depois do episódio da explosão de gás no Rio de Janeiro na semana que passou, lembrei que tinha na gaveta um sensor MQ6 de GLP e fiz um experimento que mostra como é simples e barato construir um sensor de gás.

Lembrando que no caso do GLP a mínima concentração para explosão é 2,5% de GLP para 97,5% de ar e a máxima concentração para explosão é 9,5% de GLP para 90,5% de ar [ref].

Creio que o @marcelobarros e o @jbvsmo podem depois escrever um post mais detalhado sobre o assunto mas aqui vão umas idéias iniciais

O sensor: http://www.sparkfun.com/products/9405 (US$ 4.95)

Montagem:

Programa para Arduino (pode usar qualquer microcontrolador que tenha uma porta analógica, mas o que eu tinha à mão era o Arduino)

int sensorValue; 
 
void setup()
{
  Serial.begin(9600);      
}
 
void loop() 
{
  sensorValue = analogRead(0);       // pino 0 le os valores
  Serial.println(sensorValue, DEC);  // tasca os valores na porta serial
  delay(100);                        // esperar 100ms e ai le novamente
}

Quem quiser ler um post muito mais completo que o meu visite: http://suhanko.com/2011/10/14/eletronica-digital-com-arduino-sensor-de-gas-mq4/ e siga no Twitter o Djames

Entrando no mundo dos HDs híbridos

Depois de lotar o HD original do meu Macbook Pro e de perder a paciência com a lerdeza dele (um Toshiba de 250GB @5400RPM), resolvi procurar uma solução maior e mais ágil para o HD do meu notebook.

Quando se pensa em “mais rápido” a primeira coisa que vem à cabeça é o SSD, aquele dispositivo de memória não volátil que aumenta imensamente a performance do computador. Infelizmente, a idéia de SSD nem chega a ser cogitada por causa do preço infeliz que ele ainda custa e porque o maior SSD que se encontra para vender por aí é o de 160GB, ou seja, pouco mais da metade do espaço do meu HD que já estava lotado. (Só por curiosidade, um SSD de 160GB custa aproximadamente R$ 1.000,00)

Procurando HDs de 7200RPM para notebook, o mais barato que eu encontrei de 500GB custava R$ 230,00 (note que estou falando de 7200 RPM, os de 5400 RPM custam bem mais barato).

Olhando por curiosidade os HDs mais caros de 7200RPM me deparei com uma opção interessante chamada Seagate Momentus XT, um HD híbrido. Ele tem 4GB de SSD e um disco rígido de 500GB. O preço não chega a ser um chute no …, na canela, apesar de não ser nada barato, R$ 335,00. Mas e a performance?

Fui pesquisar mais sobre o assunto e reparei que o HD híbrido da Seagate prometia estar, no quesito performance, entre os HDs de 10.000RPM e os SSD. 😮 Espantoso… Segundo a Seagate, o Momentus XT é esperto o suficiente para fazer um buffer no SSD do que você está acessando e, com 4GB de memória não volátil, as coisas passam a ser quase instantâneas.

Em tese, o HD híbrido possui o melhor de dois mundos. Por um lado a capacidade de armazenamento barata de discos rígidos e por outro a velocidade do SSD.

Ontem comprei o tal HD da Seagate e instalei no notebook.

Desmontar o Macbook Pro para colocar o HD não foi uma tarefa tão complicada, mesmo com a lâmpada queimando e me fazendo ir para a cozinha desmontar o bicho. Antes que alguém venha me zoar, não era uma lâmpada comum, e não pude trocar na hora.

Voltando ao assunto, um punhado de parafusos mínimos segura a tampa do Mac e, lá dentro, dois outros parafusos seguram o HD ao corpo do notebook. Mais quatro parafusos servem de apoio para ele. Nada do outro mundo.

HD instalado, hora de trazer a vida de volta ao notebook, recuperando o backup do Time Machine. Em mais ou menos duas horas o notebook estava pronto para usar novamente, exatamente como eu havia deixado antes de desmontá-lo. Agora com o dobro de HD.

Para começar, o boot, que antes demorava pouco mais de 1 minuto e 30 segundos, passou a durar 30 segundos. Eu filmei o “antes”, mas como a luz queimou, acabei não filmando o “depois”. 😀 Qualquer hora dessas filmo o “depois”.

Depois de dar boot, tudo passou a ser quase instantâneo. Eu clico no ícone do Safari e, póóim!, aparece o Safari. Antes, eu clicava, contava até 4, e o Safari aparecia carregando as miniaturas dos sites len-ta-men-te. O mesmo passou a acontecer com todos os outros programas. Tudo quase instantâneo.

Resolvi escrever esse post e o título dele iria ser “Não tem dinheiro para SSD? Vai de HD híbrido!”, mas resolvi, antes de ser tão otimista, procurar os defeitos desse HD Momentus XT. Pra que? 🙁

Para minha surpresa, logo de cara encontrei um montão de gente reclamando do Momentus XT justamente no Macbook Pro! Todos com problemas de dados corrompidos quando usavam com o Snow Leopard.

Resumindo a história, esse HD regula exatamente o que é guardado no SSD e o que vai para o disco rígido. Na prática, tudo vai para o disco rígido, mas algumas coisas ficam espelhadas no SSD ou ficam lá por algum tempo antes de irem para o disco, para aumentar a performance. Quem decide o que fica no SSD é o firmware, que, na versão SD23 não funcionava de jeito nenhum com Macbook Pro com Snow Leopard (não me pergunte o porquê). Nas versões seguintes a Seagate foi resolvendo os problemas e parece que a versão atual SD26, ainda não deu problema com os Macbook Pro.

Fui correndo ver a versão do meu firmware e, para minha tranquilidade, o bicho já veio com a SD26. Menos mal.

É muito cedo para comemorar, mas, por enquanto, estou muito contente com o HD. O tempo para carregar as coisas diminuiu muitíssimo e, o que é melhor, a bateria continua aguentando as mesmas 5 ou 6 horas de antes. Achei que, por ser um HD de 7200 RPM, ele gastaria mais, mas até agora está indo muito bem. Hoje ainda não usei o computador ligado à tomada e ainda tenho 30% de carga, o que me dá umas 2h de uso.

Ainda não posso fazer um post com o título que eu ia usar antes, mas, apesar de ter lido sobre esses problemas, acho que a performance desse HD é impressionante e o preço não chega a ser proibitivo como o do SSD. Quem sabe, se ele se comportar bem nos próximos meses, eu não faça o tal post que eu iria fazer hoje? Vamos torcer que sim!

Proporta TurboCharger Backpack no Show do U2

Ontem, como muitos devem ter ficado sabendo, houve um show do U2 no Morumbi, em São Paulo. Mesmo não morando na Terra da Garoa, viajei com minha esposa para lá, para que ela pudesse assistir ao show.

Particularmente eu detesto qualquer tipo de show, inclusive das bandas que eu gosto (como é o caso do U2). Prefiro assistir aos shows sentado no sofá pagando o valor de um DVD e não por dez vezes preço e com uma muvuca me comprimindo… Como já tinha feito a boa ação de ir com ela nesse mesmo show em outra cidade, ela acabou indo com umas amigas e os respectivos maridos e eu fui encontrar meu amigo Richard (do Richard Max Tech) e a Fernanda, noiva dele.

Quando estávamos saindo do hotel disse para ela colocar na bolsa a bateria extra para iPhone 4 que a Proporta me enviou para testar.

TurboCharger Back Pack
É capa e é carregador - Proporta TurboCharger Back Pack

Na hora, ela achou que não fosse precisar, mas era óbvio que, chegando às 16h para um show que só começaria às 22:30, às 00:30, na saída do espetáculo, ela já estaria sem bateria.

Dito e feito, graças à capa da Proporta, ela devia ser a única pessoa no Morumbi, que tinha bateria num smartphone. Todas as amigas e os respectivos maridos estavam incomunicáveis e ela estava com o celular funcionando, podendo usar o GPS e ainda achar uma cooperativa pela Internet e ligar para lá para chamar um táxi.

Resultado, o TurboCharger Backpack salvou a pele de 5 pessoas ontem. 🙂

A capa Proporta Turbo Charger tem uma bateria interna de 1700 mAh que, segundo a fabricante, é capaz de carregar o iPhone 4 um pouco mais de uma vez.

O mais maneiro dessa capa, é o tamanho. É sério, o iPhone fica só um pouco maior e pouco mais pesado do que é normalmente. Por essa foto abaixo, dá para se ter uma idéia de como ele fica. Ela encaixa perfeitamente no aparelho e ainda é possível sincronizar enquanto ela está conectada ao celular.

A capa sem o iPhone
A parte de cima sai para que você encaixe o iPhone.
Turbo Charger com o iPhone
Turbo Charger com o iPhone (Foto: Proporta)

Essa capa/bateria custa atualmente US$ 35,96 (+/- R$ 57,00) e o frete para qualquer lugar do planeta custa US$ 4,95 (+/- R$ 8,00). Acima de 50 dólares, já é possível ter frete grátis, dependendo dos produtos.

No site da Proporta, você encontra essa capa e vários outros produtos muito bacanas. Vale a visita.

Samsung Galaxy 5 – Android 2.1 review

Num projeto recente que realizamos precisavamos de um Android para testar o sistema que estava sendo produzido, fui buscar algumas opções de Android com preço baixo e deparei-me com o Samsung Galaxy 5.

Após utilizá-lo, apenas para desenvolvimento, por três meses, posso dizer que pelo preço do aparelho (600,00 sem subsídios) pode ser uma excelente opção para quem quer ter um Smartphone e não pode pagar os tubos de dinheiro.

Vamos as especificações:

  • Quadriband GSM / Triband UMTS
  • Android 2.1 Eclair (Aqui a diferença para os caras da Motorola que se bobear vendem android 1.5)
  • Apesar de o site da Samsung dizer que o aparelho pesa 102kg, não se assuste, ele pesa isto em gramas…
  • Display: 320×240 256k cores – Aqui o ponto fraco do aparelho, o Android funciona em 320×240 mas algumas coisas podem ficar meio esquisitas nesta resolução.
  • Teclado Virtual QWERTY com tecnologia SWIPE, eu não usei muito, mas a primeira vista não gostei muito deste SWIPE.
  • Câmera, sem flash 2MP.
  • Bluetooth, Wifi 802.11b/g e AGPS, Rádio FM
  • 100MB de memória interna e Slot MicroSD para até 16GB
  • Acesso ao Android Market (Que aliás, aos poucos, está melhorando)

Se você quer um smartphone barato, prático e com um sistema operacional moderno, o Samsung Galaxy 5 é uma boa pedida (full disclosure: a Samsung nunca me deu nada, nem tchau)

Touchpad de Papel – Faça você mesmo


Quebrou seu mouse, seu notebook está com pau no touchpad, não tem nada para fazer? Todos seus problemas terminaram com o super touchpad tabajara. Consiste num pedaço de papel e quatro divisores de voltagem. O papel está todo rabiscado com grafite, se você não sabe que grafite é condutor pode parar por aqui. Uma pulseirinha anti-estática ajuda a eliminar o ruido que você cabra da peste recebe da rede elétrica e de outras fontes de energia.

Além disso você vai precisar de um kit Arduino para fazer a programação. É mais barato ir no standcenter ou muambocenter da sua cidade, mas certamente este aqui é mais divertido. Feito pelo Dr. West: link aqui.

Veja o vídeo:

Este post original foi no Hackaday de hoje, traduzimos e adaptamos um pouco.