Trabalhar nos EUA ou na Europa?

Com a situação política e econômica brasileira se deteriorando rapidamente, muitas pessoas tem começado a considerar outras saídas para o Brasil como por exemplo o Aeroporto do Galeão e de Guarulhos. A menos que alguém tenha um par e rapidamente consiga mudar a cleptocracia reinante no Brasil parece que os aeroportos serão as saídas para os cidadãos que querem ter um mínimo de segurança e oportunidade.

Este analista que muitas vezes adota um tom jocoso, agora se dedica a analisar as diferenças, prós e contras de EUA e Europa.

Estados Unidos: “God bless America” vs The Old World

Se você quer uma política de “moderate risk, high reward” e quer um Estado que não interfira na sua vida e deixe você tomar suas próprias decisões a América é o lugar para você.

Cada um negocia o seu

Como você pode ver, as leis trabalhistas nos EUA são as mais liberais do mundo. Cada um negocia o seu. E em muitas áreas isto significa mais oportunidades. Como você pode ver no gráfico abaixo:

devsalary_02

 

Também flexibilidade é um dos pontos fortes dos EUA. Com zero dias de férias parece algo ruim certo? Errado. Ao não encher as empresas com regras draconianas, o governo permite que setores onde para achar um funcionário é uma briga de foice em cabine telefônica no escuro, as empresas tratem seus funcionários como reis.

Obviamente que os países em que se paga doze meses de licença maternidade, 30 dias úteis de férias, seis meses de seguro desemprego, seguro saúde grátis, remédio grátis e aviso prévio de 6 meses alguém tem que pagar por isso. E aí todo mundo paga, quem usa e quem não usa.

20150319_Tax_Fo

É claro que tem um monte de vantagens de trabalhar na Europa, principalmente na Alemanha onde não há limite de velocidade nas estradas :), mas em resumo eu diria:

Você acha que o estado deve fazer o mínimo e garantir a segurança. Quer ter muitas oportunidades e um risco moderado? Gosta de Coca-cola zero refill? Arrume um emprego nos EUA.

Você acha que um estado babá é bom, quer oportunidades moderadas com baixo risco, gosta de vinhos ou cervejas? Arrume um emprego na Alemanha, Inglaterra, Espanha ou França (nesta ordem)

Quer um estado que quer ser babá mas come sua comida? Que tem regras rigorosas para quem é honesto e laxas para quem é ladrão? Quer preencher 20 mil formulários para receber USD 50 e ver gente recebendo USD 100 mi por baixo do pano? Quer pagar imposto europeu recebendo serviço da Burkina Faso? Então aqui é o paradise para você. Curta a Dilma!

IPad para pessoas com muita experiência profissional – Entrevista exclusiva

Meu pai trabalhou durante mais de 30 anos na Telerj (atual Oi) e já há dez anos trabalha numa empresa de tecnologia e telecomunicações. Apesar de ter pouca idade, 68 atualmente, e de ter comandado os mecanismos que possibilitaram o surgimento da Internet no Brasil (video-texto, frame relay, centrais digitais), mas nunca foi um usuário de computador feliz. O computador sempre foi visto por ele como um inimigo, ou pelo menos como uma alguém inoportuno com quem temos que conviver. Há 45 dias, após muita insistência, passou a usar um IPad, e aqui vão suas impressões após um mês e meio de uso. Como você poderá notar, o IPad e outras metáforas inteligentes de interface como a proposta para o Windows 8, podem ajudar a superar a distância entre pessoas que nasceram já num ambiente digital e os mais seniors.

1) Qual a principal vantagem do IPad?

Primeiro a portabilidade, é fantastico num ambiente em que há wireless. Não conseguia levar o computador comigo para tirar dúvidas, agora quando tenho qualquer dúvida técnica levanto e levo o IPad para fazer a pergunta que preciso.

2) A interface é mais fácil?

A interface é muito mais fácil, é nitidamente mais fácil. Não conseguia fazer multitask mas agora eu consigo achar um e-mail rapidamente. O touch é muito melhor que o mouse, tinha mais dificuldade de usar o mouse e com o touch fiquei bem mais a vontade. O tempo que gastava para entrar nos serviços que tinha que fazer cortou-se pela metade. O conforto é muito maior.

3) IPad lhe deu mais autonomia?

Completamente!  Dependo muito menos das pessoas que antes incomodava diariamente, uso Voip, e-mail como nunca usei na vida. E ainda há muito espaço para aprendizado. Com o que eu já domino vejo que é muito mais fácil que um desktop. O sistema é muito mais amigável. Aumentou meu poder de ler artigos, livros e de produzir.

4) Que aplicativos você usa mais?

E-Mail, Safari, ISilo, iBooks. Algumas vezes o aplicativo do Youtube.

5) Substituiu completamente seu computador?

100%. Não tenho mais computador.

6) Comparando com a tecnologia que viu nascer na Telerj qual a comparação que faz?

Isto é outro paradigma diferente, que finalmente conseguiu aproximar o homem da máquina. É claro que o avanço tecnológico sempre me agradou muito, só não acho que o avanço deva atrapalhar o raciocínio e a concentração. Neste caso do IPad, por exemplo, o fato de ter um aplicativo em foco de cada vez, ajuda muito na concentração. É bem superior ao computador.

7) O que poderia melhorar?

Um programa de ditado em português. Sempre tive secretária e ditava as coisas, atualmente as secretárias não funcionam muito assim, portanto seria bom que houvesse um programa para ditar diretamente no IPad.

8 ) Mensagem final?

Depois de ter um IPad. Não gostaria nunca mais de ver um computador convencional na frente. O IPad é extremamente inteligente.

Americano de 82 anos usando IPad, cortesia Google Images
Americano de 82 anos usando IPad, cortesia Google Images