Problemas com o tema do blog

Desde o falecido NokiaBR eu usava um tema comercial do WordPress chamado Thesis, que me custou bastante caro na época, mas que era imbatível para algumas coisas que o WordPress não tinha nos idos de 2009.

Há mais ou menos um ano, esse tema teve um upgrade de versão e passou a se chamar Thesis 2. Na época li correndo o e-mail e entendi, errado, que o upgrade iria ser pago para todos e resolvi não gastar dinheiro com isso, ficando ainda na versão 1.8 que ainda funcionava.

O tempo passou e semana passada, depois de atualizar o blog para o WordPress 4, o tema velho parou de funcionar.

Primeiro demorei para saber que havia algum problema, porque ele não acontecia sempre e algumas páginas funcionavam (as que eu testei). Hoje tentei entrar numa página antiga e ela não abriu. Fui ver o log do apache e me deparei com a seguinte mensagem:

[notice] child pid XXXXX exit signal Segmentation fault (11)

Depois de eliminar a possibilidade de ser problema no Apache, porque os outros sites que rodam no mesmo servidor estavam aparentemente bem, tentei desativar todos os plugins sem resultado. Quando desativei o tema, o blog voltou a funcionar.

Fui ver o site do Thesis para ver se havia alguma atualização para o 1.8 que fosse gratuita para mim e, para minha surpresa, a minha licença tinha direito a atualização permanente (lifetime).

Baixei o Thesis 2 e instalei, mas ele não aproveita as configurações do Thesis 1.x. Por isso tive que configurar tudo manualmente.

Ainda me falta colocar o logotipo do blog no tema novo e traduzir tudo para português, mas, pelo menos, o blog está funcionando novamente. Vou fazendo os acertos aos poucos, tenham paciência, por favor. 🙂

Agora bateu o record

Que o jornalismo online e offline anda um lixo no Brasil todos sabemos. Agora não ter a mínima noção de valor das coisas é a cereja do bolo.

Veja abaixo a notícia, comento depois.

Captura de Tela 2014-08-24 às 07.03.11

Pronto, acabaram os problemas da Ucrânia. Dois milhões de Euros investidos no Exército vai fazer dela uma super potência que assombrará a Rússia por muitos e muitos anos.

Não que dois milhões de euros seja pouca coisa em si, para mim é uma fortuna, agora para um exército é troco de pinga.

Se o jornalista se desse ao trabalho de fazer uma pequena busca na Internet veria que o exército da Ucrânia tem quase 130 mil pessoas e um orçamento anual de 20 Bilhões de Grívnias que dá US$ 1.5 Bi. Se você investe 2 milhões de Euros você pode gastar 15 euros com cada soldado e isso dá para comprar um estilingue para cada um.

Tremei Rússia.

G1 segue na sua saga de burrice

Não saber traduzir a notícia vá lá. Não ter nenhuma noção de geografia e não se dar o trabalho de consultar mapa aí é complicado.

Captura de Tela 2014-08-16 às 22.56.39

Captura de Tela 2014-08-16 às 22.57.12

Proibir vôos e diferente de fechar fronteira, neste é caso bastante difícil fechar a fronteira que não há.

Jornalismo digital (e não digital também) segue cavando no fundo do poço.

Como ficar 15 dias sem celular, perder tudo que há nele e sobreviver

Estava com um problema na bateria do meu iPhone 4S desde o início deste ano. O problema me fazia carregar a bateria três vezes por dia quando usava normalmente e duas vezes por dia quando deixava ele parado em cima da mesa durante o expediente.

Em abril resolvi acionar a garantia da Apple. A primeira tentativa foi ir direto à recém inaugurada loja da Apple no Village Mall (esse shopping vale um post depois). Chegando lá, descobri que precisava marcar hora para ser atendido e que era melhor abrir um chamado por telefone na própria Apple. Foi o que eu fiz ali mesmo na loja, mas, como era domingo, precisaria aguardar até a segunda-feira para ser atendido por alguém. Sem problemas.

Na segunda liguei para lá e o atendimento foi diferente de qualquer atendimento de suporte que já recebi até hoje. Nada robótico, nenhum gerundismo, mas não sei se gostei de ser chamado de “cara” a cada vez que o atendente (analista de suporte, segundo a Apple) se referia a mim. Depois de instalar alguns perfis de teste no celular, o atendente viu que não estava funcionando e me pediu para zerar o celular. Como faço (fazia) backup diariamente no iCloud, zerei o celular e tentei instalar o tal perfil de análise da bateria, mas não funcionou.

Ele me pediu para recuperar o backup e usar por mais uns dias para ver se só de reinstalar os programas, o problema se resolvia. Recuperei o backup, reinstalei a tralha toda e nada. A bateria continuava terrível. Umas semanas depois liguei de novo para lá e me mandaram fazer a mesma coisa, zerar o celular, instalar tudo de novo. Insisti que já tinham me falado para fazer aquilo e não tinha funcionado. Depois de muita insistência (e vários “cara”), o sujeito resolveu me encaminhar para a assistência. Me deu o endereço de duas aqui no Rio.

No início do mês, fui a uma das duas assistências e fui rapidamente atendido. Me disseram que eu deveria deixar o celular lá zerado para que eles fizessem manutenção. Na mesma hora fiz o processo de restaurar as opções de fábrica e apagar tudo e deixei o celular para consertar lá. O prazo padrão era de 30 dias, mas disseram que antes disso deveria estar pronto, porque era só trocar a bateria.

Como não tenho outro celular, fiquei offline mesmo. Nada de Whatsapp, nada de ver Facebook na hora do almoço, nada de responder email na rua, etc. Ah, e nada de receber ou fazer ligações telefônicas na rua também. 😀

Em casa eu poderia usar o iPod ou o Galaxy Tab 7″ no WiFi. Na rua eu estaria como sempre estive desde 1976 até 1999, sem celular. Offline.

Aproveitei os tempos de trânsito no metrô para ler no Kindle. Viajei para Vitória sem celular e as únicas fotos que fiz foram com os olhos e estão na minha cabeça (a propósito, que cidade legal!). Marquei uma reunião num café com um cliente e, em vez de dizer “te ligo quando estiver chegando”, tive que dizer “tal hora estarei na porta do café”. Escandalizei algumas pessoas quando disse que estava sem celular e que não estava sentindo falta.

Nas poucas vezes que precisei telefonar na rua, recorri, sem sucesso, a orelhões. Todos os que tentei usar estavam quebrados e cobertos de propagandas pornográficas. Se há algum telefone público que funcione aqui no Rio de Janeiro, eu não encontrei. Sei que a Anatel deveria exigir isso da Oi, mas em tempos de agências loteadas a “cumpanheiros”, nem adianta ligar para lá para reclamar.

Durante o tempo de reparo, me mandaram um email da assistência dizendo que iria demorar mais uns dias o reparo porque a Apple estava demorando para entregar as peças para eles. Fazer o que? Esperar…

15 dias se passaram, meu celular ficou pronto e fui lá buscar. De volta a um WiFi, antes de fazer qualquer coisa ou instalar qualquer programa, resolvi recuperar o backup e, para minha surpresa, o celular dava erro na hora na hora de recuperar o backup do iCloud.

Telefonei de novo para a Apple e, depois de muita conversa e muitos testes, o sujeito chegou à seguinte conclusão: “Cara, eu nunca vi isso acontecer. Os três arquivos de backup no iCloud feitos pelo seu celular estão corrompidos. Não há o que fazer. Você devia ter feito backup pelo iTunes também. É mais garantido.”

angry_baby

Ducha de água fria… Por causa de uma bateria que eu mesmo poderia trocar em 10 minutos como fiz com o iPhone 4 que eu tive, fiquei 15 dias sem celular e agora havia perdido todos os meus dados.

Liguei de novo para a Apple na tentativa de cair com outra pessoa que talvez fosse mais esperta. Pior, pela primeira vez fui maltratado por telefone pela moça que me atendeu que disse que não tinha jeito, eu havia perdido tudo. Desliguei (fui desligado pela moça) e liguei novamente. Fui atendido por um sujeito atencioso que disse que ia tentar direto com o suporte interno deles. Demorou um tempão e voltou com a mesma resposta. “Não há como recuperar nenhum dos 3 últimos backups que seu telefone fez no iCloud”. A única coisa que ele me disse de diferente foi: “você pode tentar é recuperar esse backup em outro telefone para ver se o problema não é no aparelho”. Para isso eu precisaria apagar o iPhone da minha esposa e confiar no backup do iCloud ou do iTunes.

Fiz os dois backups no celular dela (iTunes e iCloud) e zerei o pobre do aparelho. Fui tentar recuperar o meu backup do iCloud no aparelho dela e deu o mesmo erro. Realmente o arquivo estava corrompido. Na hora de recuperar o backup do celular dela pelo iTunes, para minha surpresa, o celular dela não voltou com quase nada recuperado. Por sorte, consegui recuperar tudo no celular dela pelo backup do iCloud.

No fim da história, tive que ir instalando programa por programa no meu celular e recuperando o que pudesse nele. Basicamente só consegui recuperar os contatos e as conversas do Whatsapp (que não têm a menor importância). Aliás, havia mais de 1200 mensagens não lidas em grupos o Whatsapp… Obviamente não li quase nada disso.

Em uma tentativa de conseguir recuperar os dados, baixei um programa que custa 80 dólares que diz conseguir ver o que há no backup do iCloud (apesar de não conseguir colocar de volta no celular). Instalei a versão de testes gratuita e baixei um dos arquivos de 3.6GB. O programa conseguiu me mostrar todas as fotos e vídeos que havia no celular. Aí eu pergunto: Será que está corrompido mesmo o arquivo? Ainda não gastei os 80 dólares para tirar a prova, mas acho que vou fazer isso em breve.

Deste episódio tiro as seguintes consequências:

1) Dá para sobreviver perfeitamente sem celular. É impressionante como achamos que ficamos dependentes do celular. No entanto, sem ele, pouca coisa parou de funcionar na minha vida e o que parou, era completamente supérfulo e não fez muita falta. No caso de pessoas que precisam ser encontradas em qualquer lugar (médicos, técnicos, profissionais liberais, etc.) isso não dá certo e essas pessoas precisam de um celular. Mas no geral, ninguém morre se ficar offline por uns dias.

2) O backup do iCloud é uma porcaria. Como é que ele faz um backup e não verifica a integridade dos dados que recebeu? Como é que ele salva em cima de backups bons, haja visto que consegui recuperar outras vezes, um backup corrompido? Apple, você precisa rever isso!

3) O backup do iTunes não é a mesma coisa que o backup do iCloud. Várias coisas foram perdidas no celular da minha esposa mesmo depois de fazer o backup no iTunes e só com o backup do iCloud recuperei tudo. Em todo caso, se eu tivesse um backup do meu celular no iTunes, teria alguma coisa a mais de dados do que tenho hoje…

4) Nunca mais deixo nada na assistência se eu puder fazer o conserto sozinho. Se não for um defeito grave, vou tentar consertar em casa mesmo, comprando as peças em sites de peças. Já havia feito isso diversas vezes com outros iPhones, com o Mac e com o iPod. O tempo perdido e os dados perdidos não valeram a pena ter poupado essa bateria por ter levando na garantia. Se eu tivesse trocado em casa, com certeza não precisaria apagar tudo do aparelho para uma troca de bateria.

Apple, I'm not angry. I'm disappointed.

UPDATE 1:
Comprei o programa, mas, infelizmente ele não recupera tudo. Ele só recupera fotos, vídeos, PDF, contatos, calendários, mensagens, histórico de chamadas, mas não recupera arquivos do tipo plist nem sqlite, que eram os que eu mais precisa ver recuperados. As fotos eu recuperei do iPhoto, os contatos e calendários eu consegui baixar do iCloud (não do backup). Agora os dados dos programas mais importantes estavam guardados em arquivos plist e sqlite, que não puderam ser recuperados. Pedi suporte ao desenvolvedor, mas não sei se vou conseguir algo.

Há setenta anos o Dia D. A homenagem que o Google não fez

Todos vemos que o Google faz homenagens para todos os tipos de datas, das mais estapafúrdias até algumas realmente importantes. No entanto hoje, 06 de Junho de 2014, 70 anos depois da maior operação da história da humanidade, que garantiu a liberdade ao mundo e pavimentou o caminho do fim da segunda guerra mundial, não houve homenagem, resolveram homenagear o criador do jogo Go.

O Google é uma das empresas mais “politicamente corretas” que existe e faz Doodle para parada gay, para dia do Gnomo, para aniversário do Lord Byron, mas tem ignorado Páscoa, e outras coisas mais importantes.

Fica aqui a nossa homenagem aos homens e mulheres que fizeram a história:




D-Day_Statement_to_Soldiers,_Sailors,_and_Airmen_of_the_Allied_Expeditionary_Force_-_NARA_-_186473

Explicando para leigos o problema com OpenSSL Heartbeat – CVE-2014-0160

Este vídeo abaixo explica em linhas gerais o problema com o OpenSSL que talvez tenha sido o pior bug de segurança da história da Internet.

Se quiser se aprofundar no assunto olhe o site oficial do bug.

Além disso como sempre, quando o assunto é segurança, eu recomendo a leitura do blog do Bruce Schneier. Você pode testar se um site foi afetado aqui: http://filippo.io/Heartbleed/

Sony não sabe brincar. Apanha de um garotinho e faz coisa feia.

Vocês devem lembrar do post de ontem em que o garotinho de cinco anos recusa num programa de TV um tablet Sony Xperia. Fez bem ele, Android para criaça é tortura.

Mas parece que o pessoal não gostou da brincadeira e o video foi editado no Youtube. Pior, não avisa que foi editado fazendo com que os que linkaram o video percam credibilidade.

Infelizmente para eles o vídeo ficou no cache do navegador e aqui vai na íntegra

Veja o vídeo na íntegra

Em sites, o diabo está nos detalhes

Você recebe um e-mail de uma empresa que quer falar com você sobre negócios, entra no site da empresa, vai no sobre para saber quem são os caras e dá de frente com a foto abaixo:

pingjam.com/about

O que há de errado? 🙂

Nota posterior: Veja meu chat surreal com eles:

→Hi

Pingjam: Hello

Pingjam: How can I help you today?

→You have a problem at page http://pingjam.com/about/

Pingjam: I will ask our web team to take a look at it. What is the problem you are seeing?

→the picture

→there’s toilette paper over the table.

Pingjam: LOL

→That’s bad for business. My boss saw it and gave up using your services.

Pingjam: Really? Because one of our programmers had a cold?

→The main usage of toilette paper is not for colds

→I was just giving one feedback.

Pingjam: 🙂 Thanks. Summer is starting here and we’ll take a new photo of the office.

Pingjam: Can I help you with anything else?

Pingjam: Wait, wait!

Pingjam: My co-worker just fixed the photo, can you reload he about page and tell me what you think?

→That’s better. 🙂

→cheers

Nova foto:

Nova foto

Sistema de Anúncios do Facebook é ruim

Sistema de Anúncios do Facebook é ruim.

Se você usou seu rico dinheirinho para comprar ações do Facebook quando eles fizeram o IPO é provável que esteja chorando até agora. É fato que as ações dele já estiveram pior e que o processo de Orkutização do Facebook não ajuda muito a imagem dele aqui no Brasil.

Para uma empresa cuja principal fonte de receitas vem de anúncios é bastante preocupante que o sistema de publicidade deles seja tão ruim comparado com o Google ou até mesmo com outras empresas de ads menores como Chartboost.

A grande reclamação dos usuários é que os anúncios levam muito tempo para serem aprovados e isto quebra as pernas de quem tem uma campanha urgente que é um dos grandes apelos da propaganda do Facebook.

Alguns usuários se queixam que gastaram dinheiro para montar uma campanha para uma liquidação ou uma promoção especial de vendas e ao fazer uma pequena alteração no texto do anúncio ele voltou para aprovação e passou mais de um dia fora do ar.

Ou eles abrem os olhos e arrumam a entrada de dinheiro ou vão continuar amargando resultados financeiros medíocres.

Olha eu de novo aqui

Atualizou hoje seu Mountain Lion? Perdeu os Applets Java no browser.

Interrompo brevemente meu silêncio forçado pela quantidade de trabalho, para falar de um problema da atualização de hoje do Mac OS X Mountain Lion.

Depois que eu atualizei meu Macbook hoje, não consegui mais entrar no site de nenhum banco. Desconfiado da atualização, fui ver o que ela trazia de novidade (Eu sei, devia ter feito isso antes de instalar) e, para minha surpresa, ela dizia simplesmente o seguinte:

http://support.apple.com/kb/HT5493
This update uninstalls the Apple-provided Java applet plug-in from all web browsers. To use applets on a web page, click on the region labeled “Missing plug-in” to go download the latest version of the Java applet plug-in from Oracle.”

Ou, na minha versão, “Retiramos o plug-in do Java que já estava pré-instalado pela Apple para todos os browsers. Se quiser usar alguma coisa com Java, baixe novamente no site da Oracle”.

A solução para essa baboseira que a Apple fez, é justamente baixar de novo o Java, que já tem uma atualização para corrigir essa “atualização” da Apple.

http://www.java.com/en/download/mac_download.jsp?locale=en

Já não é a primeira vez que eles fazem uma coisa dessas.

Vou te contar, a Apple está cansando minha beleza…

A noite em o mundo Linux caiu

Ontem o mundo perdeu um segundo. Isto acontece algumas vezes para regular os relógios. Como vocês sabem, os anos de 366 dias são uma forma de acertar os ponteiros. Na verdade eles acontecem em anos múltiplos de 4 quando não são múltiplos de 100 a menos que sejam também múltiplos de 400 a não ser que sejam múltiplos de 1600. E por aí vai

Tudo isto para falar que ontem este avanço de 1 segundo para acertar os relógios fez com que muitas maquinas Linux crasharem. Não há relatos de servidores Windows ou FreeBSD que tenham crashado. O preju foi razoável.

Ainda bem que não sou fã do Linux…

20120701-104418.jpg