Resolvendo o problema do Java nos Browsers de Macs com OS X Lion

Depois da última atualização do meu Mac, reparei que os módulos de segurança do Santander e do Itaú pararam de funcionar e já não podia fazer nenhuma transação bancária, só consultas.

Apurando o problema, vi que ambos são feitos em Java e que nenhum outro applet em Java estava funcionando.

Após algumas buscas achei a solução nesse site aqui.

1) Abra o painel de controle do Java colando o código abaixo no terminal.

/Applications/Utilities/Java\ Preferences.app/Contents/MacOS/Java\ Preferences

2) Marque o checkbox indicado na figura abaixo.

3) Feche os browsers (Cmd+Q)

Pronto, quando os browsers forem iniciados novamente, eles conseguirão rodar os applets.

Que mancada essa da Apple! Ou será que foi da Oracle?

Nokia Lumia 710 – Primeiras impressões

Desde que comprei meu iPhone 4 em novembro de 2010, não compro um telefone novo, e não iria comprar um, ainda mais da Nokia, não fosse pelo desenvolvimento de aplicativos. Estou muito satisfeito com o iPhone 4.

Explico o porquê da escolha. Estamos portando alguns aplicativos do iOS para Windows Phone 7.5 e, por esse motivo, comprei um Nokia Lumia 710, o telefone entry-level da Nokia com Windows Phone 7.5. O famoso pé-de-boi.

A compra do telefone na loja online da Nokia foi perfeita. Comprei na quinta-feira e recebi no sábado. Parece que a troca do Submarino pelo Ricardo Eletro foi acertada (já vai tarde Submarino). Não sei se outras pessoas tiveram algum problema, mas eu nunca recebi um produto comprado pela Internet tão rápido como esse Lumia 710. Honra seja feita.

À primeira vista, o aparelho me pareceu bastante frágil, talvez pela tampa plástica barulhenta e pelo aparelho ser todo de plástico; talvez pelo fato de usar diariamente um aparelho de alumínio e vidro Gorilla (o iPhone 4). O fato é que o Lumia 710 me pareceu muito frágil. Em todo caso, estou usando bastante o bicho desde sábado e até agora ainda não aconteceu nenhum sinistro com ele. Vamos ver se é só impressão. Em comparação com o N9 (irmão quase gêmeo do Lumia 800), o acabamento do Lumia 710 é bem mais fraco. O N9 é o aparelho mais lindo e bem acabado que já vi até hoje. Pena que rode MeeGo. Talvez o João Bernardo possa fazer um review do celular dele um dia desses… 😉

Mas voltemos ao Lumia 710. Na caixa, vem um fone de ouvido que ainda não abri, um carregador de parede, que ainda não abri, um generoso cabo USB-micro USB que tenho usado para carregar o celular, uma bateria BP-3L, um pequeno manual de acesso rápido e o Lumia 710. Ao contrário do que disseram no release da Nokia outro dia, o meu Lumia 710 não foi fabricado no Brasil. Na caixa vem um “Made in Korea”, o que me surpreendeu. Esperava um “Fabricado no Brasil”, mas tudo bem.

Ele usa o mesmo micro SIM que o iPhone usa, mas só descobri isso depois de comprar o SIM card pré pago da TIM, achando que ele usava SIM card normal. Resultado, tive que cortar o chip. Se você não comprar na operadora, tome o cuidado de arrumar um cortador de chip ou uma tesoura bem afiada com um molde em papel. Parece que isso está virando um padrão. O Lumia 800 também usa micro SIM e o N9 também.

Não vou falar aqui do Sistema Windows Phone 7.5 por enquanto, até porque o Mark fez um post só sobre isso há algum tempo atrás e ficou muito bom. Talvez eu faça um post sobre o WP7.5 em breve, talvez. O que digo é que até agora estou gostando muito do sistema. Ao contrário dos Androids que usei e não me acostumei, esse sistema tem me agradado muito.

Esse post é só para dar as primeiras impressões de um aparelho que estou usando há pouco tempo. Acho que essa combinação Nokia + Microsoft pode trazer enormes benefícios tanto para a Microsoft quanto para a Nokia. Uma aumenta consideravelmente o mercado do seu sistema operacional. A outra ressurge de um nebuloso passado recente formado por pesadelos tais como N97, N900, N8 e outros Meecos. 😉

Deixo abaixo umas fotos do celular. Daqui a alguns dias faço um resumo geral do aparelho + sistema.

Na caixa cabiam duas caixas do aparelho.

Gostei do cliente de e-mails. Faz thread de mensagens e é leve.

Parabéns Rio de Janeiro

Meio atrasado, mas em tempo de desejar os parabéns à minha cidade querida de São Sebastião do Rio de Janeiro, que completou 447 anos no dia 01 de março, fiz um Stop Motion bem simples.

No sábado passado fui ao mirante Santa Marta, apoiei a câmera no muro e fiquei tirando fotos a cada 10 segundos, mais ou menos. Dei umas tremidas, já que não estava com tripé, esqueci de bater algumas vezes, mas o vídeo ficou aceitável. No meio do filme, em um frame tem até um urubu passando. 😀

Para fazer o stop motion, fiz um scriptzinho em bash para converter as fotos para o tamanho definitivo e uni-las à musica para gerar um vídeo. Sou um zero à esquerda em bash e entendo menos ainda de FFmpeg, por isso não reparem se encontrarem alguma batatada no script. A proposta não é mostrar como se faz, e sim como foi feito. 😀

Para fazer isso, usei o ImageMagick para redimensionar as fotos e o ffmpeg para criar o vídeo. O áudio eu cortei de um mp3 com o Audacity.

Como a numeração das fotos não estavam começando em 1, tive que renomeá-las antes, porque o ffmpeg precisa que estejam em sequência os números e que comece em 1.

#!/bin/bash
 
j=1
 
mkdir output
 
echo "Renomeando os arquivos..."
for i in $(ls -tr *.JPG); do
	eval $(printf "cp $i output/IMG_%04d.jpg\n" $j)
	j=$((j + 1))
done
 
cd output
 
for i in $(ls -tr *.jpg); do
	echo "Redimensionando $i para 1440x1080..."
	convert  "$i" -resize 1440x1080 -normalize "$i";
done
 
echo "Criando o video..."
 
ffmpeg -r 8.6 -i IMG_%04d.JPG -i cidademaravilhosa.wav -b 7593k rio447anos.avi

Uma observação: Eu tirei 258 fotos e a música cortada tem 30 segundos. Por isso esse framerate doido de 8,6 (258 ÷ 30).

Segue abaixo o vídeo. O filme está em 1080p. Se clicar para assistir no Youtube e mudar para 1080p vai conseguir ver em tela cheia em FullHD.

O Mercado Livre acabou! Para mim.

Sou usuário do Mercado Livre há 12 anos. Eu era usuário de um site de leilões que foi comprado em 2000 pelo Mercado Livre. Há vários meses não consigo vender nada por lá por um simples motivo. Eles não têm mais controle nenhum sobre a veracidade dos dados de contato dos usuários.

Você coloca um anúncio e logo em seguida vai um gaiato com perfil falso e compra o produto. Você tenta contato com o sujeito, que nunca responde. Geralmente com e-mails do Hotmail e do Bol e telefones falsos. Dois dias depois você qualifica negativamente o infeliz e depois de N dias eles devolvem só o valor da comissão. NÃO DEVOLVEM O VALOR DO ANÚNCIO!

Além de ficarem com o dinheiro do anúncio, você perde a venda. Nas últimas três vendas que tentei no Mercado Livre, estava quase para fechar com uma pessoa que estava ativamente perguntando, e outro safado foi lá e fechou a compra com dados falsos.

E acho até que não adianta tentar contato com o Mercado Livre. Eles fazem de tudo para você não falar com eles. Até chegar no formulário de contato, você tem que percorrer um longo caminho de FAQs e perguntas. Aí você preenche o formulário, depois de passar por várias etapas e ele dá erro e não manda a mensagem. Aí você insiste, repete tudo de novo e dá o mesmo erro. Aí você tenta com uma mensagem idiota de 3 ou 4 palavras e o formulário funciona.

Vamos ver se respondem o e-mail. Estou aguardando um retorno deles, mas tenho minhas dúvidas se vão me responder. E se responderem, tenho mais dúvidas ainda se vão devolver os valores gastos em anúncios perdidos por falta de controle deles.

É uma pena um site do porte do Mercado Livre ficar entregue a gangues de usuários falsos que saem comprando seus produtos e atrapalhando suas vendas.

iTunes Rental – Testei e gostei

Para os mais apressados, o título do post diz tudo. 😀 Para os outros sugiro a leitura.

Quando saiu o Netflix aqui no Brasil, fiquei animado com o serviço, mas me bastou um dia usando para cancelar a conta. O motivo é simples: Só tem filme de sessão da tarde no Netflix. Filmes velhos, filmes ruins, poucos títulos… Em resumo, não gostei nada. Desde então estava procurando um serviço semelhante que funcionasse.

Ontem, pela primeira vez, resolvi alugar um filme no iTunes para assistir aqui em casa com o notebook ligado à TV. Não é perfeito, mas gostei da experiência. (No fim do post falo da ligação do notebook com a TV)

Em primeiro lugar, a seleção de filmes do iTunes é bem maior e mais variada, além de trazer vários títulos recentes. Além disso, ao contrário do Netflix, caso você tenha uma conta na iTunes Store dos EUA, é possível alugar os filmes que ainda não estão disponíveis na loja brasileira. O único porém disso é ter que assistir sem legendas ou com legendas em inglês. Se você sabe inglês, a seleção de filmes na iTunes store norte-americana é bem maior do que a brasileira.

Um ponto ruim da iTunes Store é que alguns filmes não estão disponíveis para aluguel (outros não estão para compra). Essa, pelo que andei vendo nos comentários, é a maior reclamação dos usuários.

Outro ponto negativo é ter que baixar o filme inteiro antes de poder exibi-lo. Neste ponto o Netflix ganha, já que ele permite que o vídeo seja exibido sem precisar fazer o download inteiro. Por outro lado, o iTunes permite que se assista aos vídeos desconectado. Você pode alugar vários vídeos entrar num avião e assistir sem estar conectado à Internet. Apesar de haver alguns posts dizendo que isso não é possível, eles são antigos. Acabei de desligar a rede do notebook e mandei tocar o vídeo que aluguei ontem e funcionou perfeitamente.

Quando fazemos o aluguel de um filme no iTunes, é preciso baixá-lo, como foi dito acima. Depois disso, você tem até 30 dias para começar a assistir. Assim que se aperta o play, você tem 24 horas para poder ver o filme. Uma coisa que li em um post é que se você começar a assistir, der pause e voltar a assistir quase na hora de terminar o prazo de 24h, ele avisa que o filme vai demorar mais do que o prazo, mas te deixa terminar de assistir. Não fiz esse teste.

Um último detalhe é que os vídeos alugados ficam numa seção separada dos vídeos comprados, conforme a imagem abaixo.

Por último, algumas pessoas já me perguntaram como ligar o computador na TV. Existem várias maneiras. Muitas TVs hoje em dia têm entrada VGA e HDMI.

  1. Se seu computador tem porta HDMI é preferível ligar direto no HDMI da TV. Neste caso um cabo só levará audio e vídeo.
  2. Se ele não tem HDMI, mas tem mini Displayport (Macbooks novos e alguns notebooks HP, Dell e Lenovo) existe um adaptador mini Displayport<->HDMI. Neste caso também basta um cabo para audio e vídeo.
  3. Se ele tem DVI ou miniDVI, você vai precisar de um adaptador para HDMI (vídeo) e um cabo para o som.
  4. Se só tem VGA você pode ligá-lo direto via VGA e ligar o som com um cabo à parte.

No site Deal Extreme é possível encontrar qualquer cabo ou adaptador citado acima.

Abelhas Estressadas para Android

Depois do sucesso do jogo no iPhone, os desenvolvedores do “Abelhas Estressadas” resolveram lançar também uma versão para o Android.

O jogo é totalmente gratuito no Android (com propagandas). Se você estava com inveja dos donos de iPhone por não poder jogar o Abelhas Estressadas, não fique mais, baixe aqui na Android Market.

Se você ainda não conhece o jogo, veja o vídeo abaixo e instale no seu celular, seja ele um iPhone ou um Android. Ah, funciona perfeitamente no iPad também!

Waze – Rede social para evitar engarrafamentos

Imagine que você pudesse saber qual caminho está menos engarrafado na hora do rush? Já é possível ter uma ideia disso com o Google Maps, mas nem sempre ele acerta.

A ideia do Waze é capturar pessoas se movimentando pelas ruas em tempo real e deixar essa informação disponível para todo mundo.

Além disso, os usuários podem reportar radares fixos e móveis, blitz, acidentes, buracos, dentre outras coisas que podem atrapalhar o trânsito.

O programa é muito bem feito e está disponível para iOS, Android, Blackberry, Windows Mobile e até Symbian! 🙂 Basta deixar o programa ligado enquanto estiver dirigindo, para fornecer os dados de trânsito para toda a comunidade.

Além disso ele também mistura essa função de informação de trânsito com um jogo, onde você precisa passar por certos caminhos para coletar pontos e “doces virtuais”.

Deixo o vídeo abaixo, infelizmente só em inglês, que dá uma demonstração de uso do programa.

Sobre a sua privacidade, existe a possibilidade de usar o programa de forma anônima. Para isso, clique no menu, depois em “Meu Waze”, “Meu Perfil” e “Config. Privacidade”. Depois escolha a opção “Mostrar-me como anônimo”.

Para baixar o programa, procure por “Waze” na loja de Apps do seu celular ou visite o endereço:

http://world.waze.com/

Tchau Flickr – Até nunca mais.

Se arrependimento matasse eu já estava morto há quase um ano, quando resolvi transformar minha conta grátis do Flickr para a conta Pro.

Poucos dias depois de me tornar um “Pro” no Flickr, descobri um monte de coisas que o Picasa faz que nem o Flickr Pro faz e, com quase um ano inteiro pela frente, já estava arrependido de ter pago pelo péssimo serviço deles.

Para começar, a interface de upload de fotos deles é péssima. Muito lenta, o organizador via browser é cheio de macetes e bugs e, o pior de tudo, você não tem como baixar suas fotos originais todas de uma vez. Precisa ir foto por foto, clicando em “Todos os tamanhos”, depois “Tamanho original”, depois “Download de imagem no tamanho original”. Outra alternativa é baixar com algum programa de terceiros, pago é claro.

A ideia tacanha deles é que desta forma, você faça upload de todas as suas fotos e, como não pode pegá-las de volta de uma maneira prática, fique refém da assinatura Flickr Pro ou COMPRE um CD com suas próprias fotos!

Minha assinatura do Flickr Pro termina no dia 08/01/2012 e hoje estou apagando todas as fotos que tenho cópia e fazendo o tedioso trabalho de baixar as que não tenho cópia porque foram enviadas diretamente da câmera ou do celular para lá.

Sem dúvida, foram os R$ 46,00 (US$ 24,95) mais mal gastos do ano passado.

A dica de hoje é: Não use o Flickr e NUNCA faça upgrade da sua conta do Flickr para o Pro. O Picasa faz muito mais coisas de graça e, se você precisar de mais espaço, em vez de pagar US$24,95 por ano para ter espaço ilimitado (e funções limitadíssimas), vai pagar US$5,00 reais por 20GB por ano e ainda aumenta a capacidade do seu GMail.

Deixo abaixo a resposta do FAQ deles a respeito do download de fotos:

http://www.flickr.com/help/photos/#91

How do I download a photo?

Select the photo and open the actions menu, then click the ‘”View all Sizes” link inside the menu. On the next page, choose the size you want to download and click the link in the “Download” section.

Bear in mind, you may not have permission to download the original file so you will not see “View all Sizes” in the actions menu or the “Download” section on the “All sizes” page of every photo. Please read “I’d like to use a photo I found on Flickr. How do I do that?”

On your own photos, you will always see the “All Sizes” button and the original is available with a pro subscription. There is no batch download option but you can have a CD made from QOOP.

Atualizando a Interface Gráfica durante um processo demorado no iOS

Já faz algum tempo que não colocamos uma dica de Objective-C aqui no Zeletron. Deixo abaixo uma dica legal.

Indicar que um processo demorado está sendo executado e que o aplicativo não está travado é uma das indicações do HIG (Human Interface Guidelines) do iOS. Para isso existem indicadores de atividade e barras de progresso, que indicam ao usuário que o programa está em execução ou o quanto falta para terminar a tarefa (no caso do ProgressView).

Activity Indicator
Activity Indicator
Progress View
Progress View

O problema é que qualquer alteração na interface gráfica precisa ser feita na Thread principal do programa e, se o processo demorado está rodando na thread principal, você vai ter problemas para atualizar um ProgressView ou mostrar um ActivityIndicator.

A dica é simples, você separa o código demorado numa thread em background e, sempre que precisar atualizar a interface gráfica, manda o programa fazer isso na thread principal. Assim, ó:

//Evento de um botão de "salvar"
- (IBAction)eventoBotaoSalvar:(id)sender {
    //Manda salvar numa thread em background
    [NSThread detachNewThreadSelector:@selector(salvaUmMonteDeCoisas) 
                             toTarget:self 
                           withObject:nil];
}
 
//--------------------------------------------------
//Dois métodos simples que atualizam a interface gráfica
//--------------------------------------------------
//Mostra o Activity Indicator
- (void)mostraActivityIndicator{
    self.meuActivityIndicator.hidden = NO;
}
 
//Esconde o Activity Indicator
- (void)escondeActivityIndicator{
    self.meuActivityIndicator.hidden = YES;
}
//--------------------------------------------------
 
//Salva a tralha toda
- (void)salvaUmMonteDeCoisas{
    //Mostra o ActivityIndicator antes de começar
    [self performSelectorOnMainThread:@selector(mostraActivityIndicator) 
                           withObject:nil 
                        waitUntilDone:NO];
 
    //Salva tudo (pode demorar à vontade)
    for (NSDictionary *d in meuArrayDeDicionarios){
        [self salvaDicionario:d];
    }
 
    //Depois de terminar tira o ActivityIndicator
    [self performSelectorOnMainThread:@selector(escondeActivityIndicator) 
                           withObject:nil 
                        waitUntilDone:NO];
}

Dessa forma, o programa não fica travado enquanto você está salvando aquele monte de dados. Você pode, inclusive, criar o ActivityIndicator na status bar do aparelho e deixar o usuário fazer outras coisas enquanto o App está salvando.

O código acima é só um exemplo de como podemos usar o detachNewThreadSelector e o performSelectorOnMainThread. Você pode encontrar, eventualmente, erros de sintaxe nele, mas a ideia é essa: Manda executar uma tarefa demorada em background e, sempre que precisar, atualiza a interface na thread principal.

Resolvendo facilmente o problema do botão do iPhone

Essa é a dica do ano para quem tem um iPhone!

Sabe aquele problema de você apertar o botão home uma, duas, três, quatro, cinco vezes até ele funcionar? Pois é, parece que não é problema só de hardware, pode ser que seu iPhone precise recalibrar o botão. Há uns três meses eu troquei meu botão home justamente por isso, e agora ele estava voltando a dar o mesmo problema. Testei esses passos e ele voltou a ser como antes!

Antes que me xinguem, que digam que estou louco, que isso é história da carochinha, efeito placebo, que isso é impossível; tente no seu iPhone se ele estiver com o problema. Se não funcionar, aí você pode me xingar com propriedade. Mesmo assim, se não funcionar, seu botão pode estar quebrado mesmo. 🙂

Li dica no site “Cult of Mac“, que, por sua vez, tirou do site “iDownloadblog.com

Vamos aos passos para calibrar seu botão Home:

Passo 1: Abra o aplicativo “Bolsa” (Stocks) ou o “Tempo” (Weather) ou ainda o Relógio. (Eu testei com o “Bolsa”)

Passo 2: Fique segurando só o botão de “Liga/Desliga” até aparecer a mensagem “Desligar”. Quando ela aparecer, solte o botão.

Passo 3: Aperte o botão home e fique segurando até que a mensagem “Desligar” e o aplicativo aberto sejam fechadas. Pronto. Seu botão home deve estar mais esperto agora.

E aí? Testou no seu iPhone? Funcionou? Deixe seu recado após o bip!

Internet Explorer 6 – Microsoft desligando os aparelhos

Nessa semana, a Microsoft finalmente resolveu que vai desligar os aparelhos do já morto Internet Explorer 6. Eles decidiram que em algum momento do próximo mês vão acabar compulsoriamente com o navegador, que já tem mais de uma década de vida, atualizando os sistemas “automaticamente”.

“Há 10 anos atrás, um browser nasceu. Seu nome era Internet Explorer 6. Agora que nós já estamos em 2011, numa era de modernos padrões da Web, é hora de dizer adeus.”

Este texto está no site “Internet Explorer 6 Countdown” que a Microsoft criou para acompanhar o número de usuários do IE6 até ele ficar abaixo de 1% dos computadores do mundo.

 

A cada país que for ficando abaixo de 1% eles vão colocando esse país em verde no mapa e fazendo menção a isso no rodapé da página.

A China é a campeã, com 27,9%. A Coréia do Sul está em segundo lugar no ranking de maiores utilizadores do IE6, com 8,9%. No Brasil estamos bem, com 1,4%.

Essa medida da Microsoft de banir de vez a praga do Internet Explorer 6 já vem tarde, mas antes isso do que nunca.

Windows Phone 7.5 – Marketplace

Mais um post do Mark Bierast, como convidado do Zeletron para falar sobre a Marketplace, a loja de aplicativos do Windows Phone. Com vocês, o Mark:

 


Bom pessoal, hoje vou falar um pouco sobre a tão comentada loja de aplicativos do Windows Phone, em sua versão Brasileira. Embora saiba que existam algumas formas “alternativas” de se registrar na loja americana, prefiro usar a daqui mesmo, evitando qualquer confusão futura.

Sobre o registro, fiz pelo próprio aparelho, de forma bastante simples. Ele vai pedir um Windows ID, que nada mais é que um email do Hotmail. Eu não tinha, criei um na hora e pronto, fica sendo seu ID. É através dele que você vai se logar na Market e baixar seus aplicativos, sejam pagos, sejam grátis. É possível também criar um ID usando outro email que não seja o Hotmail, mas preferi criar um para separar compras de iOS, WP, etc.

Sobre os aplicativos pagos, basta que após clicar em comprar você digite seu número de cartão e pronto, ele guarda e o deixa atrelado à sua ID, como a Apple Store faz. Aqui inclusive usei o mesmo cartão, um Visa Internacional.

Como usuário de iOS há alguns anos, nada mais natural que a primeira coisa a fazer fosse procurar os mesmos aplicativos, ou pelo menos equivalentes, para o Windows phone. Então, basicamente, vou focar nesta busca e seus resultados; vamos a eles:

 

WhatsApp: O famoso aplicativo de troca de mensagens que tem a principal vantagem de ser multi-plataforma. Existem versões para iOS, Android, Symbian e para Windows Phone, grátis, sem sustos e com bom funcionamento. Aqui, me loguei, coloquei o número de confirmação que ele envia por SMS ou por ligação (ele te liga se não conseguir mandar SMS).

Facebook: A famosa e atualmente mais conhecida rede social para ler as novidades e compartilhar algumas fotos, textos e links com meus amigos e mesmo conferir as novidades e promoções de algumas empresas. Grátis também, e essencial para o Windows Phone pois, como falei no outro post, ele usa o Facebook para importar seus contatos, fotos, galerias. Tudo, é parte da “integração” do sistema com seu usuário.

Twitter: Esse não teria como ficar de fora. Recém chegado ao Market do Brasil, acho que fui um dos primeiros a baixar. Além de grátis, também traz todas as funções que eu tenho no iOS. Ele também faz parte da integração do sistema, como o Facebook, o que significa atualizações no EU de forma automática, além de poder enviar suas fotos direto para ele, entre outras coisas.

Foursquare: Mais uma brincadeira social totalmente viciante. Funciona muito bem no Windows Phone mas, como usa sua localização, vai depender um pouco da qualidade do GPS do aparelho. No HTC funcionou bem rápido. Grátis também e com uma interface bem bonita.

RunKeeper: Esse eu usava todo santo dia em minhas caminhadas e corridas matinais. Isso antes de ir para a academia, agora, com a esteira, uso aos finais de semana. É um ótimo gerenciador de atividades físicas (são mais de dez no total). No Windows Phone, é grátis, no iOS, eu paguei, embora hoje esteja grátis lá também.

GReadr: Como todo fã de tecnologia, eu uso um agregador de feeds RSS para estar sempre por dentro dos lançamentos de tecnologias em todas as plataformas de forma rápida e resumida. O assunto me interessou, eu clico e leio a matéria completa. O meu agregador principal é o Google Reader, por ser o que mais me agradou no uso com o Mac em casa, no PC do trabalho e por aí vai. Assim fica tudo sincronizado, o que já li, o que falta, independente de onde eu esteja. No iOS eu sempre usei o FeedlerRSS, que faz exatamente a mesma coisa que o GReadr, acessa a biblioteca do Google Reader, e sincroniza com ele, ou seja, leu no aplicativo, já marca como lido no Google e vice-versa.

Previsão do Tempo: Tanto no iOS quanto no Windows Phone, achei que os aplicativos nativos (no Windows Phone a HTC tem o Hub, a Samsung tem o dela também), suprem muito bem para consulta e previsão dos próximos dias. Sem problema nenhum aqui também.

Bancos: Bom, neste quesito eu senti falta, no Windows Phone, do aplicativo do Itaú. Ele até foi lançado, mas graças a Deus que sumiu do Market, pois era muito ruim, nem usar a câmera como leitor de código de barras ele fazia, embora tenha a função tanto no iOS como no Android. O Banco do Brasil e o Bradesco já têm seus aplicativos oficiais no WP. Pode parecer supérfluo, mas eu uso muito no iphone, principalmente depois que implementaram a função de leitor de código de barras pela câmera, só uso ele, pois ficar digitando aquelas enormes sequências de números ninguém merece.

Música: Bom, em ambos (iOS e WP), também uso os nativos, que suprem 100% das minhas necessidades musicais. Ambos separam músicas, artistas, álbuns com as capas e principal para meu uso, Podcasts separados das músicas. Como acompanho cerca de 20, tem que ser organizado, senão vira bagunça. 100% aqui também.

Acompanhamento de encomendas / Correios: Uso para as compras de bugigangas eletrônicas, aparelhos, e demais encomendas. Com as compras on-line e Mercado Livre, é essencial para o meu uso saber a quantas anda a entrega do próximo Hardware ou Gadget. É um bom aplicativo, ajuda demais e evita ter que ficar entrando no site dos correios toda hora. No iOS eu uso o Pacotes, que, além de rastrear tudo, ainda me manda notificações por push cada vez que o status do objeto muda. Já no WP, estou usando o Rastreador Sedex, que só ficou devendo por enquanto no push, mas mantém arquivado os números dos objetos e, ao clicar nele, atualiza automaticamente. Mandei um email ao desenvolvedor perguntando sobre o push, ele me informou que em breve haverá uma atualização do WP que implementará o recurso, e ele o fará. Muito bom e grátis.

Bom pessoal, estes são meus aplicativos de “Tela Inicial”, ou seja, os que eu mais uso. Sei que faltou muita a coisa a falar sobre o Market ainda, mas a ideia é ir uma página por vez… Na próxima acho que seria legal falar sobre os Jogos, Skype, e o cliente nativo de e-mail, muito bom, que merece um post a parte, o que acham? Eu pessoalmente só uso “jogos de fila”, ou seja, jogos que possam me distrair por alguns minutos e só. Mas isso fica para um próximo Post.

Salvando a tela do seu Galaxy Tab 10.1 da famosa “mancha de óleo”

Parece ser um problema recorrente ter uma mancha parecida com uma mancha de óleo na tela do Galaxy Tab, como essa abaixo:

A mancha é muito mais visível ao vivo. Nessa foto ela está entre os dois reflexos de luminária.
A mancha é muito mais visível ao vivo. Nessa foto ela está entre os dois reflexos de luminária.

Se seu aparelho é nacional e está na garantia, parece que a Samsung troca. Tenho meus pés atrás com qualquer garantia nesse país, mas tudo bem.

Caso seu aparelho não esteja mais na garantia a Samsung vai cobrar pelo conserto. Caso tenha comprado fora do país eles nem mexem no aparelho (a Nokia faz o mesmo e outras empresas também). Se um desses for o seu caso veja como resolver o problema no blog do Alexandre Novello. O aparelho dele ficou assim:

Agora sem a mancha. (Não reparem no banco da praça) :)
Agora sem a mancha. (Não reparem no banco da praça)

O post que ele conta como tirou a mancha é esse.