Trabalhar em outro país

mundo-bolinha-de-gude
Como vocês podem ver, esse blog anda mais parado que saci de patinete.

Em primeiro lugar, por um excesso de trabalho nos últimos, talvez, 18 ou 20 meses e ultimamente por causa de uma mudança radical na minha vida, quando resolvi procurar um trabalho fora do Brasil, consegui um e vim morar na Alemanha.

Andam me pedindo esse post há alguns meses, mas só agora tive um tempo para sentar e colocar as ideias no papel WordPress para que essa experiência possa ser útil para outras pessoas.

Mas vamos logo ao frango (no meu caso salsicha).

Querer!

O primeiro passo para mudar de país é realmente querer. E querer neste caso é querer mesmo! Não é aquela vontade que dá quando você viaja para um lugar legal e diz: “Pô, moraria fácil aqui”. Querer significa colocar os meios necessários para conseguir o que se quer e isto significa planejar, nem que seja um pouco, a ideia de morar em outro país e correr atrás dos itens planejados. Dá bastante trabalho, mas se você não quer ter esse trabalho, você não quer morar em outro lugar.

Esse primeiro passo é realmente difícil. É muito fácil nos acostumarmos com a nossa vida no lugar onde já estamos estabelecidos há muitos anos, muitas vezes durante a vida toda. Mesmo que você não esteja muito satisfeito com seu trabalho ou o lugar onde mora, mudar, às vezes, dá tanto trabalho que é mais fácil, ou mais cômodo, continuar do jeito que está. É preciso conseguir um novo emprego, conseguir visto de residência, aprender ou reforçar uma nova língua (ou mais de uma), fazer a mudança da família, resolver um monte de coisas burocráticas, etc.

Planejamento

Mas digamos que você realmente quer mudar de país. Pois bem, dado o primeiro passo, começa a fase de planejamento e, em geral, essa fase começa com a seguinte pergunta: “Do que vou viver no outro país?”. Sim, é preciso se sustentar, assim como você já o faz (ou deveria fazer) no lugar onde vive.

Para os que, assim como eu, trabalham com desenvolvimento de software, há uma certa demanda alta por profissionais de informática em diversos países, tais como EUA, Canadá, Alemanha, Inglaterra, Austrália, etc.

Procurar emprego de desenvolvedor de software ficou mais fácil com a ferramenta do Stackoverflow chamada Careers (careers.stackoverflow.com). Foi com essa ferramenta que consegui o trabalho que tenho hoje na Alemanha. Há também a opção do Indeed (www.indeed.com), mas não cheguei a usá-la. Ainda existem outras ferramentas de busca de emprego fora essas duas citadas acima. Se você tem alguma experiência com outra, por favor, conte como foi nos comentários.

Com essas ferramentas, você pode procurar vagas no mundo todo e filtrar aquelas que oferecem “Relocation”.

No caso do Careers, você tem que criar o seu perfil com um currículo o mais completo possível e aplicar para as vagas oferecidas nos mais diversos países.

Criar uma conta no site dependia, há um tempo atrás, de um convite. Hoje verifiquei que além dos convites é possível criar uma conta através do link https://careers.stackoverflow.com/users/register

Conseguindo uma entrevista

Seguem minhas dicas para conseguir uma entrevista através do Careers:

  1. Tenha um bom perfil no Careers preenchendo o máximo de campos que eles deixam à disposição.
    • Escolha suas melhores respostas e perguntas no Stackoverflow e faça um link para elas.
    • Não se esqueça dos seus projetos de código aberto (Github, Sourceforge, etc.).
    • Escreva tudo em inglês e, se possível, peça para alguém revisar.
    • Tente acertar a mão na quantidade de informação, para não ficar com mais de 3 páginas na versão em PDF. Um currículo longo desanima quem está do outro lado lendo centenas deles.
  2. Escolha um país, e depois as cidades, que você realmente gostaria viver. Se você não gostaria de morar em Amsterdã, por exemplo, nem veja as vagas de lá.
    • Abra o Google Maps e veja naquele país todas as cidades que você imagina que gostaria de morar.
    • Busque vagas que ofereçam “Relocation”.
    • Busque por cidade e mande currículo para todas que encontrar com o seu perfil.
  3. Crie uma conta no Skype. Você vai precisar para as entrevistas.
  4. Fique atento às diferenças de horários nas entrevistas.

Preparando a entrevista

Antes de uma entrevista, em geral as empresas aplicam testes para filtrar os candidatos que realmente têm condição de ocupar a vaga oferecida. O que aplicaram em mim foi o teste do Codility (https://codility.com/programmers/). É possível treinar com o Codility antes de fazer um teste de verdade. Veja no link acima como treinar e gaste um tempo com isso. Mesmo que você não passe em nenhuma entrevista, pelo menos seu código ficará melhor. 😀

Esteja pronto para receber um e-mail te convidando para uma entrevista via Skype. Em alguns casos o entrevistador pede para você compartilhar a tela do seu computador para ver se você é realmente capaz de executar uma tarefa. Em outros casos a entrevista é com vídeo e você tem que responder a perguntas ao vivo, como uma entrevista normal de trabalho.

Nos dois casos é bom se preparar antes. Se for uma entrevista com teste ao vivo, é bom saber que ferramentas serão necessárias e instalar tudo no seu computador e testar para ver se tudo está funcionando. Se for uma entrevista com vídeo, capriche no visual como se fosse uma entrevista ao vivo. Você pode até estar de bermuda e sem desodorante, mas uma camisa social e uma gravata vão bem (no caso dos homens, é claro).

Em todos os casos, prepare-se para responder muitas perguntas. Faça as perguntas no papel e anote as respostas. Leia várias vezes antes da entrevista e responda com convicção. Treine responder perguntas como: “Por que você quer sair do (Brasil / seu emprego atual)?”, “Por que você escolheu trabalhar com a gente?”, “Como/Onde você quer estar daqui a (1, 5, 10) ano(s)?”, “Qual é o seu maior defeito? E a maior qualidade?”, “O que você sabe a respeito da empresa?”, “Quanto você quer ganhar?” e outras tantas que toda entrevista de emprego tem. Reforço a dica: ESCREVA AS RESPOSTAS E LEIA VÁRIAS VEZES ANTES.

Salários

Pesquise os salários médios nas cidades que você está enviando currículos. Existem diversos sites para isso. No caso dos EUA, o Indeed oferece uma boa ferramenta de busca de salários (http://www.indeed.com/salary). O PayScale também tem informações, inclusive de outros países além dos EUA.(http://www.payscale.com).

Outra dica para procurar salários é buscar no Google “salary survey <país desejado>”. Você vai encontrar sites como o Salary Explorer e outros muitos com a informação que você precisa.

Alguns países têm mais restrições a estrangeiros, como é o caso da Inglaterra, mas países com os EUA, Alemanha, Canadá, Austrália e outros, estão bem abertos à contratação de estrangeiros. Isso não quer dizer que você não vai conseguir um emprego em Londres, mas saiba que vai ser mais difícil.

Deu tudo certo e agora?

Vencida a etapa de entrevistas você vai precisar começar a etapa burocrática. É preciso ter um contrato muito bem definido, em papel, assinado pelas partes, para poder ir ao consulado do país que você pretende se mudar e começar o processo de pedido de visto. Provavelmente você vai precisar traduzir histórico escolar, diploma, certidão de casamento, currículo e outras coisas. Prepare o bolso para traduções juramentadas, legalizações e próprio visto, que não costuma ser barato em nenhum país. A mudança em si é outra coisa que exige uma quantidade razoável de dinheiro. Veja com a empresa que está te contratando se eles têm algum incentivo para a mudança, como pagamento de passagens, hospedagem nas primeiras semanas, etc.

Quando conseguir o visto, prepare a parte brasileira da mudança. Se você paga aluguel no Brasil, veja com o dono do apartamento se é possível terminar o contrato ou consiga um outro inquilino para te substituir. Venda carro e tudo que não puder levar com você. Faça um bazar de garagem, mesmo que você não tenha garagem. Cancele tudo que puder ainda no Brasil, inclusive telefone celular. Tudo vai ser mais difícil de cancelar no exterior. Faça uma procuração de plenos poderes e deixe com seus pais ou pessoas de toda confiança, lembre-se são plenos poderes. 🙂

E depois?

Bom, ainda não sei o depois. Estou completando o terceiro mês longe da minha cidade natal, Rio de Janeiro, e até agora a experiência tem sido excelente para mim. Várias coisas diferentes, alguns desafios próprios de mudar para outro país, mas no geral está tudo bem.

Cada país tem sua peculiaridade em termos de burocracias e hábitos locais. Não é o caso deste post entrar no detalhe da mudança em si, até porque quero que ele seja genérico e sirva para mudanças para outros países. Talvez até faça uma continuação do assunto depois, entrando no detalhe da Alemanha, mas não agora.

E você? Está pensando em mudar de país? Já mudou? Deixe suas experiências e dúvidas nos comentários!

Comments on this entry are closed.

  • Mario Menezes

    Com o agravamento da situação do Brasil eu acho que você fez a escolha certa. Eu estou pensando em mudar mas tenho dúvidas como meu filho ia se adaptar num outro país. Como foi para sua família?

  • José Antonio

    Mário, não tenho filhos, mas em geral as crianças têm uma adaptação muito mais rápida que os pais. Tenho colegas que vieram para cá com os filhos e eles já estão melhores no alemão que os próprios pais.

    Aqui na Alemanha, inclusive, há incentivo para famílias com crianças. O governo dá um desconto no imposto para cada filho que você tiver. Há outros países com o mesmo tipo de incentivo.

  • Pedro Paulo

    Uma coisa que fiquei em dúvida lendo o texto foi: Quanto custa uma tradução de documentos?

  • Tem uma tabela para isso, mas acho que varia de cidade para cidade, por que essa tabela é da Junta Comercial. Ainda por cima depende do documento.

    No meu caso cada lauda custou entre 45 e 55 reais. O preço é por lauda traduzida, ou seja, se, por exemplo, o diploma traduzido ficar com 3 páginas, você paga por 3 laudas.

    Mas o mais caro é a legalização de documentos no consulado. Isso também depende do consulado, mas no meu caso, custou em torno de 60 euros cada legalização.

  • Grande coragem. Sucesso!

  • Eve

    Ótimo texto! Bom pra enviar para aqueles amigos que depois de te ver bem em outro país, ficam perguntando como faz pra ir tb.
    Estou fazendo 3 meses hoje desde que chegamos ao Canadá. Aplicamos, eu e meu esposo, pro processo de residência permanente, onde não há trabalho garantido, você se vira pra encontrar o seu, mas facilita bastante a busca por emprego, já que a maioria das empresas não faz relocation e depois de 4 anos podemos solicitar a cidadania canadense. Chegamos aqui com 6 malas e muita expectativa. Estou agora na minha segunda semana de trabalho, numa área que queria entrar há tempos, perto de casa (vou de bike) e com um salário que sobra razoavelmente no final do mês, bem diferente do Brasil. Até o momento, só alegrias. Única coisa que pega é a saudade, que me acorda de noite e aperta o peito. Mas a gente vai seguindo em frente. Boa sorte aí também.

  • José Antonio boa noite!
    Lembro de você desde o blog anterior e sempre sua visão somente se alargou. Desejo muito sucesso, na verdade, um gradioso sucesso pra você e toda a sua família! Sds. Força e Honra!

  • José Antonio dos Santos

    Td bem Xará?

    Lembro muito bem do NokiaBr, gostava muito daquela época…. Me surpreendi quando abri este blog e li sobre sua mudança. Admito que sou medroso, sempre pensei em emigrar para o Canadá, sou Engenheiro Civil, 31 anos, mas sempre fiquei e ainda fico no dilema, ser um estrangeiro/emigrante em um bom país ou viver no seu país mesmo com as dificuldades…

    Admiro sua iniciativa, lhe desejo muito êxito na nova jornada!

    Abraço!!

  • Obrigado Fernando e José Antonio Xará!

  • Ola amigo, amei a sua história, confesso que sair do país sempre foi um dos meus desejos, hoje tenho família e não sei mais se isso é possível, fiquei curioso como a Eve foi para o Canadá e que tipo de trabalho faz lá, como funciona para que isso ocorra, desejo sucesso a todos!

  • Alessandro

    Boa sorte na nova etapa de vida! Acompanho você desde o NokiaBR e fico feliz que esteja indo tudo bem contigo. Não creio que a pessoa que sai do Brasil possa ser taxada de corajosa, pois acredito que corajoso é quem fica no Brasil! Não vou enumerar as vantagens de se viver em um país organizado, pois a maioria já deve saber, mas admiro quem consegue viver no caos que se transformou o nosso país. Recomendo a todos que possam, sair o mais rapidamente possível.

  • Jobson

    Grande José Antonio!!!
    Tinha tempos que eu não aparecia por aqui, e me deparei com esse seu post!!! Rapaz, parabéns!!! Só posso lhe desejar parabéns, saúde e sucesso!!! Competência mostrou que tens.
    Um grande abraço! E que tudo corra como o planejado!!!