Google vende Motorola para a Lenovo: e o preju?

O Google resolveu que não vale a pena brincar de fazer celular e decidiu vender a Motorola para os chineses da Lenovo. No comunicado oficial tem toda aquela lenga-lenga de que é uma nova posição estratégica, que a Lenovo consegue fazer a Motorola render mais, blá, blá, blá.

Mas até o mais mané dos investidores sabe que eles compraram a Motorola por USD 12.5 Bi e estão vendendo por USD 2.8 Bi. Por mais que tenham já vendido antes uma parte da Motorola por USD 3 Bi fica um preju que foi para a conta do Abreu.

O que mais me irrita no Google é esta cultura de não sabe para onde vai. Uma hora o Google Buzz vai ser o máximo, o Google Wave vai revolucionar o e-mail, outra hora os dois morrem, o Google Reader morre sem saber a doença e o Orkut sobrevive por aparelhos.

E o que chama mais atenção é olhar o índice P/E (Price-Earnings Ratio) das ações do Google e ver que está valendo 31.80 enquanto da Apple e Microsoft estão na casa dos 12.

Moto rola

Dividir para vender

Todos que trabalhamos ou curtimos tecnologia temos muitos produtos que vão se acumulando em nossas casas sem que haja nenhuma esperança de uso. Não vendemos porque pensamos que valem pouco e não jogamos no lixo porque aqui no Brasil jogar coisa eletrônica no lixo parece um desperdício tolo.

Como diz o poeta americano Tom Zart: “One man’s trash is another man’s treasure” e pode ser uma forma útil de se livrar de coisas que você não usa mais para começar o ano mais leve.

Um MacBook White por exemplo, usado, em uma página de vendas de computadores on-line pode valer uns R$ 1200,00 o que não é de se desprezar, mas se você quiser ganhar muito mais que isto aqui vai uma dica que já utilizei: separe as peças.

Vamos às contas:

  • Top Case: R$ 350,00
  • Placa Lógica: R$ 1100,00
  • Display LCD: R$ 300,00
  • Trackpad: R$ 100,00
  • Bateria: R$ 150,00
  • Placa Magsafe: R$ 100,00
  • Bottom Case: R$ 100,00
  • Placa Wifi: R$ 50,00
  • Webcam: R$ 50,00
  • Memória: R$ 50,00
  • HD SATA: R$ 50,00
  • Carregador Magsafe: R$ 130,00
  • SuperDrive DVD: R$ 150,00

Só aí, sendo conservador, você já consegue mais do dobro do valor inicial do produto.

É claro que dá mais trabalho, mas o retorno em geral é muito melhor, principalmente em produtos em que peças de reposição são valorizadas como é o caso dos produtos da Apple.

Esta dica serve também para quem tem um computador deste tipo com defeito. Meu bom e velho MacBook White A1342 sofreu já várias doenças em sua longa vida, mas ele funciona bem e com alguns transplantes (SSD, 8GB RAM, etc) é bastante rápido. A melhor forma de arrumar ele é comprar um do mesmo modelo que esteja quebrado, trocar as peças que você precisa e vender o resto das peças. Com um pouco de trabalho o conserto sai de graça ou você ainda pode ganhar uma graninha.

O vídeo do Numberphile que me enganou, por pouco tempo

Antes de começar, um aviso. Este post é longo contém bastante matemática. Nada muito complexo, mas uma quantidade grande. Se você é sensível, não continue a ler. 🙂

Muitos devem conhecer o canal do Youtube chamado Numberphile que tem vídeos quase semanais sobre os mais diversos assuntos relacionados à Matemática. Se você ainda não conhece e gosta de matemática, recomendo que dê uma olhada. São vídeos interessantes e muito bem feitos. Aqui no blog já comentamos sobre ele algumas vezes.

Muitas vezes quem apresenta os vídeos é algum professor de matemática, mas muitas vezes também, quem o faz é algum professor de física. Este é o caso do vídeo desta semana. Foi apresentado por dois simpáticos professores do depto. de Física da Universidade de Nottingham, Ed Copeland and Tony Padilla.

O vídeo desta semana, e o vídeo relacionado com as cenas extras, renderam um caso curioso. No primeiro momento, ontem, logo depois de assistir aos dois vídeos, achei o assunto incrível. Até dei “joinha” nos dois vídeos. Mandei uma mensagem para o Pedro Paulo assim: “O segundo vídeo dessa semana do Numberphile está excelente.” e ele respondeu, “vou ver”. Mas não viu.

Fiquei pensando no assunto. Estava com uma pulga atrás da orelha (um monte de pulgas, pelo visto). Hoje insisti com o Pedro Paulo que visse o vídeo para poder discutir o assunto com mais alguém. Até que ele viu hoje. Depois de assistir ao vídeo, ele confirmou o que eu desconfiava. Tem angu nesse caroço (ou seria ao contrário?)…

Continuar lendo O vídeo do Numberphile que me enganou, por pouco tempo