Coreia do Norte ameaça atacar os EUA com armas nucleares. E daí?

Eu nasci nos últimos anos da Guerra Fria e enquanto passava as férias em Angra dos Reis, meu tio e minha tia, que trabalhavam com energia nuclear, gostavam de nos explicar como funcionava uma bomba atômica, como era o processo de fusão e fissão nuclear. Naqueles anos, um pouco antes de Mikhail Sergeyevich Gorbachev, vivíamos ainda sob a constante ameaça de uma guerra nuclear.

Quem nasceu depois da guerra fria pode achar esquisito o medo que tínhamos da guerra atômica e do espanto que hoje tive ao ler a notícia de que a Coreia do Norte afirmou estar pronta para atacar os EUA com armas nucleares. Durante a guerra fria falar algo assim era declarar guerra. Hoje os EUA nem deram muita importância ao assunto.

Um amigo de infância que enveredou por carreira de humanas ligou e perguntou: Você acha que isto pode acontecer? Eu respondi a ele e agora detalho um pouco mais.

Pode, mas é altamente improvável pelas razões que vão a seguir.

1) A Coréia do Norte não tem provavelmente como atingir os EUA. É fato que a Coreia do Norte conseguiu colocar um objeto em órbita. Mas daí a ter um ICBM (intercontinental balistic missile) funcionando vai uma distância razoável. O que pode acontecer é que eles joguem a bugiganga nuclear deles para cima e acertem em algum lugar dos EUA, mas daí a dizer que vai acertar em Washington vai uma boa distância.

2) A Coréia do Norte consegue acertar talvez o Havaí com o míssil Musudan-1, mas convenhamos que não é uma coisa que vá lhes ajudar em nada a não ser fazer um novo Pearl Harbor.

3) A Coréia do Norte é louca mas não é burra. Uma das consequências de um ataque nuclear é que o contra-ataque é garantido. É um dos pilares do Mutual Assured Destruction que garantiu a paz durante a guerra fria.

4) É importante notar que China e Rússia, que tem armas atômicas que funcionam, não vão curtir muito um míssil norte coreano que pode estar desgovernado com armas atômicas. Também não vão gostar muito do contra-ataque dos americanos que transformaria Pyongyang e redondezas num grande deserto.

E o que o Kim Jong-un ganha com a bravata? Por enquanto ele ganhou mais sanções e corte de comida que os americanos forneciam como ajuda humanitária. Talvez seja um jogo de cena para manter o poder, talvez seja uma maluquice que lhe custe o poder.

Imagem do Dailymail

Comments on this entry are closed.