Profecias para 2013

Chegamos ao fim de um novo ano e o profeta da Cinelândia vai mostrar toda a sua sabedoria neste post. E dará dicas fantásticas que farão você saber tudo antes que as coisas aconteçam.

Empolgado com o novo talento de ler o futuro na casca do ovo cozido que como no bar da Cinelândia, vi que muitas coisas interessantes acontecerão em 2013 e desta vez não vou separar por empresa, mas vou escrever conforme os espíritos do ovo cozido me mostrem.

  • Lentamente o BlackBerry vai se recuperar, o BlackBerry 10 vai servir para arrumar a casa até que chegue o momento de ser vendida para a Oracle.
  • Tim Cook encontrará em Jonny Ive o novo líder de inovação com plenos poderes para fazer a Apple voltar a inovar.
  • A Apple perderá espaço para a Microsoft no mercado de celulares.
  • A Apple terá uma TV, não só uma Apple TV, mas uma TV Completa.
  • A Nokia será comprada pela Microsoft.
  • A Microsoft fará o Windows Phone 8 ter mais de 10% de marketshare.
  • O Android vai continuar fragmentado.
  • O Android vai continuar sendo um pesadelo para os desenvolvedores.
  • Os SSD começarão a substituir os HD nos equipamentos da Dell.
  • O Bing chegará a 30% de marketshare nos EUA.
  • O 4G no Brasil fará com que tenhamos saudades do EDGE.
  • O Google comprará o Twitter.
  • O Facebook comprará o Pinterest.
  • O Facebook lançará um celular. O celular do Facebook não será um sucesso.

Assim falou o profeta da Cinelândia. Feliz 2013 para todos.

crystal-ball_1488510c

O Piratogate do Meio Bit

O Marcel Dias já escreveu muitos textos que achei bastante interessante, inclusive este que iniciou o “piratogate”.

Sem entrar no mérito do tema da pirataria, concordo com a maior parte dos argumentos dele e deixo para outro momento um texto sobre o assunto; o fato é que pelas tantas ele afirma: “Algo que aprendi: se eu não tenho dinheiro pra adquirir um bem, eu simplesmente não compro. No caso de material digital, há meios ilícitos de conseguir, mas eu prefiro não utilizá-los.”

Aí que o povo foi vasculhar a vida do Marcel usando seu nome no Twitter, bqeg, e encontrou, a bem da verdade nada de 2012, vários torrents compartilhados por ele no Twitter.

Depois disto, nos comentários do post dele, muita gente começou a trollar dizendo que ele é hipócrita, que é pirata também, etc.

O fato é que o Marcel fala uma coisa certa mas na empolgação do momento escreveu uma frase infeliz que foi refutada pelas redes sociais. Talvez se ele tivesse escrito algo como “eu tento não utilizá-los” ou “eu já usei no passado, mas estou tentando não usar” tivesse evitado a fúria das redes sociais.

A lição que fica para todos nós que escrevemos é: nossas vidas estão bastante expostas nas redes sociais. Portanto se for afirmar que faz ou não faz alguma coisa fale a verdade ou então reconheça que errou e peça desculpas.

http://www.pbase.com/image/132962847
Nota do Zeletron: Copyright of this image is the sole property of Carla Resh Photography

 

Feliz Natal – Lembrança de um leitor

Um leitor, Carlos, lembrou bem que não fizemos um post de Feliz Natal. Ele pergunta se virou politicamente incorreto desejar Feliz Natal.

Carlos, infelizmente em muitos lugares, principalmente aqui no Brasil se tem vergonha em ambientes não familiares de desejar um Feliz Natal e de se decorar os lugares com símbolos natalinos.

O motivo de fundo é que ser cristão e portanto lembrar que o Natal é o nascimento de Jesus Cristo, o Salvador, é “out” numa sociedade em que o pior crime que há é ser católico, homem, não gay e ter a pele branca. Dura veritas, sed veritas

Mas chega de mostrar coisas tristes.

Feliz Natal, Quadro B.E. Murillo

Desejamos a todos nossos leitores um Feliz Natal.

P.S. – Quem quiser, amanhã às 9:00 horário de Brasília assistir à benção Urbi et Orbi pode usar o novo Vatican Player: http://www.vatican.va/video/index.html

Está preparado para ganhar na Megasena da Virada?

O Zeletron já ensinou você como ganhar na Megasena da virada há dois anos atrás. Tudo bem que nosso leitor que ganhou não deu nem um cafezinho para o Zeletron Master 🙂

Mas aqui vai o caminho das pedras:

http://www.zeletron.com.br/2010/12/megasena-da-virada-zeletron-ensina-voce-a-ganhar.html

http://www.zeletron.com.br/2010/06/acerte-na-loteria-com-nosso-metodo-infalivel.html

Do texto de 2010 uma das partes em que continuo pensando é:

Agora ganhar na loteria, por mais paradoxal que parece, além de muito raro pode ser uma maldição. Maldição??? Como você ousa dizer que ganhar 200 milhões de reais pode ser uma maldição, perguntaria você. Eu respondo dizendo: pense em todas as transformações que aconteceriam na sua vida se você ganhasse 200 milhões na loteria. Na facilidade em gastar, em parar de trabalhar, em mudar as relações familiares e de amizade. É um bom exercício mental pensar nisto e ajuda a conhecer-nos.

Você está preparado para ganhar na loteria? Eu tenho minhas dúvidas se seria bom eu ganhar.

Em todo caso, se você for fazer um bolão eu acho que poderia perguntar ao José Antonio qual é o algoritmo de cercar quinas…

Maldição da Loteria

 

Você pode dar uma opinião?

O fim do NokiaBR foi uma mudança de paradigma no blog. Se antes só se falava de Nokia agora o blog é bem mais eclético, tem até o Mobile Analyst.

Não sabemos o quanto isto agrada a você e por isso pedimos sua ajuda para votar em duas perguntas.

O que você mais gosta de ler no Zeletron?

View Results

Carregando ... Carregando ...

Como você lê o Zeletron?

View Results

Carregando ... Carregando ...

Poll

Balanço de 2012 do ponto de vista da Cinelândia

Vai chegando o fim do ano e é o momento que meus fregueses pedem previsões, este analista, famoso pelas suas previsões diz que ainda não é a hora para isto. Previsões acontecerão por volta do dia 31.

No entanto, para não deixar você com síndrome de abstinência deste escriba, faço um balanço de tecnologia de 2012 separado por empresas.

Apple – A maior empresa de Tecnologia do mundo de acordo com o valor de mercado vai bem. Não se pode negar, porém que algo não foi tão bem este ano, o primeiro depois da morte de Steve Jobs e acendeu uma luz vermelha entre nós que temos o dom da vidência tecnológica. A Apple mandou embora dois de seus VP, vocês podem dizer que eles saíram em busca de novos desafios, mas isto é um eufemismo para o velho e bom pé no local onde as costas perdem seu digno nome. Depois o iPhone 5, que realmente não empolgou; o garçom do bar onde comemos nosso ovo cozido na Cinelândia dizia que ia comprar um Galaxy porque o iPhone está muito caro e “não é mais estas coisas”. Em outros países o iPhone 5 foi bem vendido mas muita gente não viu ele como algo que fizesse querer trocar do 4S. Alguns desenvolvedores não estão muito felizes com a Apple, parece que a loja nova de Apps não agradou e tem gente perdendo dinheiro ao desenvolver para o iOS.

Resumo da ópera: a Apple tem muita gordura para queimar, mas queimou um pouco este ano, outro ano assim e vai ter gente falando que a mágica acabou. Inovação, cuidar com carinho dos desenvolvedores e melhorar estes preços no Brasil: são boas metas para 2013.

Microsoft – O Windows 8 é realmente fantástico. Acho que desde 1995 a Microsoft não revolucionava tanto. Outro dia entre um ovo cozido e outro um companheiro dizia que a Microsoft está se tornando a nova Apple; acho exagero, mas foi um ano bom. O Windows Phone 8 também me impressionou muito bem e a parceria com a Nokia pode dar bons frutos. Não é verdade que eu veja um mar azul diante da Microsoft, mas parece que se não fizerem bobagem tem boas oportunidades de voltar a ser a número 1 em tecnologia.

Google – O Google para mim é um mistério. Vai bem, tem o buscador, o e-mail e os mapas que todo mundo usa, mas parou de inovar. Todo ano o Google lança uma penca de produtos que ele vai enterrar no ano seguinte. Não é que os resultados estejam ruins, não estão, mas precisava alguém para por ordem na casa. A loja do Android: Google Play deu uma boa melhorada este ano, mas está longe de empolgar: a pirataria come solta, se bobear tem malware sendo até vendido lá e aquela API em Java é o desespero de muito desenvolvedor.

Outros: Blackberry, preparou o terreno para o BB10, se não der certo o prego será batido no caixão. O sistema parece interessante, precisamos ver na prática.

Nokia lançou belos aparelhos com o Windows 8 e vem aos poucos reconquistando confiança dos desenvolvedores. Fez certo este ano ao lançar seu sistema de mapas para iOS e Android.

A Intel, depois de praticamente fazer picadinho da AMD agora no fim do ano começa a se preocupar com a ARM aparecendo no retrovisor. A batalha de Ghz de transformou numa batalha de mW este ano.

Produto do Ano na modesta mas infalível opinião deste analista é o que vai abaixo, mostrado na série NCIS desta semana:

Windows 8 NCIS S10

Espero que você tenha um feliz Natal e aguarde em breve as previsões para 2013.

Números Lychrel e reminiscências do ensino fundamental

Era um sábado de calor no Rio de Janeiro no ano de 1987. Estávamos na sexta série do Colégio São Bento e a prof. Sandra Carelli percebendo que naquele dia não iríamos conseguir desvendar os mistérios da matemática de Papy, era o que se ensinava lá, mostrou-nos uma curiosidade matemática que nunca esqueci.

Suponha que você tem um número, por exemplo 124. Se você inverter os dígitos do número e somar com o número original é grande a possibilidade de obter um número palíndromo.

124 + 421 = 565

No entanto para alguns números a operação precisa ser repetida algumas vezes para obter um palíndromo: 279 por exemplo:

279 + 972 = 1251; 1251 + 1521 = 2772

Tendo captado nossa atenção ela prometeu um chocolate para quem achasse um número para o qual isto não funcionasse. Depois de muito tentar ela nos falou que um número para o qual isto não teria, a princípio, como se formar um palíndromo seria 196.

Quase 25 anos depois eu fui procurar sobre o assunto na Internet e descobri os chamados números de Lychrel. Os números de Lychrel seriam os que tem a mesma propriedade que 196. Embora nem mesmo 196 seja comprovadamente um número de Lychrel há outros candidatos como por exemplo: 295, 394, 493, 592, 689, 691, 788, 790, 879, 887, 978, 986

Abaixo, como homenagem a minha professora Sandra, vai um programa em Python para encontrar números de Lychrel.

#!/usr/bin/env python
def reverseNum(n):
        st = str(n)
        return int("".join([st[i] for i in xrange(len(st)-1,-1,-1)]))
 
def isPalindrome (n):
        st = str(n)
        rev = str(reverseNum(st))
        return st==rev
 
def isLychrel (n, num_interations):
        p = n
        for i in xrange(num_interations):
                if isPalindrome(p):
                        return i
                p = p + reverseNum(p)
        return -1
 
for i in xrange(1000):
        p = isLychrel(i,100)
        if (p < 0):
                print i,p

Para saber mais sobre os números de Lychrel e a busca por um palíndromo para 196 veja: http://www.p196.org

O massacre em Sandy Hook: algumas considerações

Ontem foi um dia triste nos EUA e isto repercutiu em todo o mundo. O massacre na escola em Connecticut trouxe tristeza e preocupação, mas também foi usado por oportunistas que, vampiros do sangue alheio, aproveitam uma situação trágica para vender suas idéias, no caso o desarmamento.

A constituição americana, em sua segunda emenda garante que os cidadãos tem o direito de ter armas. Sendo a primeira emenda a liberdade de expressão e de religião, ler algo logo em seguida como o que vai abaixo:

A well regulated militia being necessary to the security of a free state, the right of the people to keep and bear arms shall not be infringed

Nos mostra que é um direito que está nos fundamentos da sociedade americana. Você poderá dizer: que sociedade retrógada! E pode estar seguro que estará falando uma bobagem.

Sem contar a de San Marino, a constituição dos EUA é a mais antiga em vigor. Além das 10 emendas iniciais (1789) sofreu apenas mais 17 emendas desde que foi promulgada em 1788. Só em termos de comparação, o Brasil teve sete constituições sendo que a atual tem 250 artigos e já foi emendada 70 vezes. Portanto, pode-se inferir que a fidelidade aos fundamento do sonho americano:  direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade estão bastante arraigados e não serão mudados por mais que a imprensa tupiniquim insista em dar pitacos sobre como eles deveriam viver.

Não digo que a sociedade americana seja perfeita, admiro a sociedade americana, mas ela tem muitos defeitos como em todos os lugares. O direito de ter armas não é um dos defeitos dela.

Você poderá dizer: se não houvesse armas não teria acontecido o massacre de ontem. Será? Ou então, se não houvesse armas liberadas haveria menos mortes. Não é bem assim que a coisa funciona; vamos ver?

Na Venezuela do ditador Chavez há 45 homicídios para cada 100.000 habitantes. No Brasil há 21 / 100k. Nos EUA há apenas 4.2 / 100k. No Brasil onde comprar uma arma legalmente é mais difícil que conseguir um doutorado houve em 2011 o maior número de homicídios no planeta: 40974!

Mas eu me desviei do tema. Queria fazer uma consideração sobre uma medida simples mas eficaz para reduzir massacres como este.

Muitos, senão todos, os indivíduos que fizeram massacres como este são psicopatas e/ou com um distúrbio narcisista de personalidade. Para eles, o grande ganho da matança é a publicidade que terão após a sua morte durante o massacre. Se cortarmos a divulgação de seus feitos, eles perdem um dos seus importantes motivos.

Então devemos proibir a imprensa de reportar estes eventos? Não! De forma alguma. Sou defensor da total liberdade de imprensa. No entanto, nada impede que cada veículo de comunicação pense numa política interna de dar a notícia sem destacar o assassino. Deixar ele no ostracismo, nem mencionar seu nome pode ser uma forma de evitar que outras pessoas perturbadas como ele busquem inspiração para fazer atos similares.

O massacre em Sandy Hook nos deve levar a pensar na formação dos adolescentes, em rezar pelas famílias afetadas, não em fazer proselitismo barato pregando o controle de armas sobre o cadáver de 20 crianças.

Foto Washington Post - Massacre Sandy Hook

P.S.: Aos leitores do blog: tenham claro que esta é minha opinião. Se você pensa diferente a área de comentários está aberta para você expor suas idéias e colocar argumentos favoráveis ou não à minha opinião.

Jornalismo brasileiro mostra todo o esplendor de sua ignorância

Célula de urina? Sério? O animal nem consegue traduzir direito um press release que já vem mastigadinho para ele.

O título original do artigo, que a bem da verdade é bem mais complexo que parece, é: “Generation of integration-free neural progenitor cells from cells in human urine”.

Uma coisa é célula na urina outra coisa é “célula de urina”.

Não confunda a obra prima do mestre Picasso catraca de canhão …

Palavra do dia, Geocoding

Imagine que você tem um banco de dados grande de pontos de interesse (padarias, lojas, restaurantes, escolas, monumentos, museus, etc.) com as posições geográficas (latitude e longitude) de cada um e deseja saber qual deles está mais próximo de um certo endereço.

Sabendo a latitude e longitude do endereço, descobrir a distância em “linha reta”, na verdade é um arco, entre cada ponto é uma conta bem simples.

Distância entre duas coordenadas geográficas

Onde  e são respectivamente as latitudes dos dois pontos, é a diferença das longitudes e S é o arco que queremos descobrir. Para saber a distância em km, é preciso multiplicar o valor de S pelo raio da Terra, que, na média é igual a 6367,5km.

Por exemplo, suponhamos que quiséssemos saber a distância entre a Torre Eiffel (48.8582780, 2.2942540) e o museu do Louvre (48.86063610, 2.33760960) em Paris.

= 48.8582780˚ = 0.852737818rad
= 48.86063610˚ = 0.852778975rad
= (2.33760960 – 2.2942540) = 0.0433556˚ = 0.000756697969rad

cos(S) = sin(0.852778975) * sin(0.852737818) + cos(0.852778975) * cos(0.852737818) * cos(0.000756697969) = 0.99999987523

Srad = acos(0.99999987523) = 0.000499539793

Skm = 0.000499539793 * 6367.5 = 3.18km

Antes que me xinguem, esta conta não é muito precisa, visto que o raio da Terra não é constante e a Terra não é uma esfera, mas é uma boa aproximação e serve para podermos comparar distâncias.

Então o problema está resolvido, diria um leitor mais afoito. Infelizmente, não. A pergunta é: “Como eu sei que a posição da Torre Eiffel é (48.8582780, 2.2942540)?”

Para isso, precisamos saber como descobrimos a latitude e longitude de um certo endereço (Ex.: Av. Nações Unidas, 12.901, São Paulo, SP) ou local (Tour Eiffel) para podermos resolver o problema. A ação de converter um endereço em latitude e longitude é chamada de “Geocoding”

Algum esperto poderia dizer de gozação: “Ah, procura no Google!” e eu responderia que ele estava certo. O Google disponibiliza gratuitamente um serviço de Geocoding que resolve esse problema, mas tem algumas limitações. A maior delas é o limite de 2.500 buscas por dia, e também a restrição de ter que exibir o resultado da busca num mapa. O endereço de busca é o seguinte:

http://maps.googleapis.com/maps/api/geocode/json?address=[Endereço]&sensor=false

Existem outras soluções gratuitas, como o Bing Maps, o Mapbox e o OpenStreetMaps, dentre outras.

Este último é o único que realmente é gratuito e sem limites, se você quiser hospedar os dados num servidor próprio. O problema é que os dados e o sistema de Geocoding do OpenStreetMaps, chamado de Nominatim, do planeta inteiro ocupam aproximadamente 600GB de HD e sugerem um servidor com 32GB de RAM para rodar bem. Caso contrário, eles sugerem usar um serviço hospedado em sites de terceiros.

Eu encontrei no site da Mapquest, um serviço gratuito de Geocoding, baseado no Nominatim, que parece não ter as limitações do Google.

O endereço é http://open.mapquestapi.com/nominatim/#search_basic

Ainda não sei qual serviço vou usar no projeto que estou terminando, mas estou tendendo a usar este último.

E você? Já fez algum projeto usando Geocoding? Tem alguma dica para passar? Deixe seu recado nos comentários!

Uma prancheta à prova de balas

Eis um objeto inútil, que alguma vez pode salva sua vida.

Por apenas US$ 44,99 você adquire uma prancheta com blindagem II-A. Para quem não sabe, blindagem II-A aguenta .22LR, .380, .38SP, 9mm, .45ACP entre outros calibres de pistola.

Provavelmente não vai parar uma .357 Magnum ou uma 10mm Auto ou mesmo uma .44 Magnum, mas já ajuda no dia a dia do Rio de Janeiro 🙂

Veja o vídeo

Pic Something – Novo jogo que você vai gostar

Compartilhamento de fotos? Rede social? Mini blogger? O que é o Pic Something?

Segundo a QDF, publicadora do jogo:

Em um jogo com conceito de quiz, Pic Something é também um App para compartilhar momentos, emoções e informações capturadas em fotos.

O usuário tira fotos de lugares, viagens, pessoas, animais, objetos, acontecimentos, detalhes do cotidiano e envia para seus amigos adivinharem o que ele está querendo mostrar. Diferente de outros jogos, no Pic Something é o usuário que propõe a resposta correta. Veja algumas formas de jogar:

Para tornar o jogo mais desafiador, é possível aplicar filtros e efeitos nas fotos que apresentam maior grau de dificuldade para os jogadores, mas também pontuam mais.

Mas no Pic Something é o usuário que coloca a criatividade para funcionar, compartilha fotos e cria infinitas formas de jogar.

Principais características:

■      Envio de convites a amigos do Facebook ou por e-mail

■      Automatch: permite encontrar automaticamente novos amigos para jogar

■      As fotos podem ser tiradas na hora ou podem ser do seu próprio arquivo

■      Possui filtros e efeitos para aplicar nas fotos

■      Mais pontos podem ser ganhos alterando o nível de detalhe da imagem

■      Os pontos podem ser utilizados para aumentar o poder de acerto da resposta correta

■      As fotos podem ser compartilhadas no Facebook e Twitter

Pic Something é uma resposta ao desejo que as pessoas têm de compartilhar fotos. Mas o Pic Something torna lúdico esse hábito e ainda estimula a competitividade e o desafio. Assim como tirar fotos e compartilhar experiências e emoções, Pic Something é um jogo para todas as idades.

Pic Something: 1 imagem, 3 olhares.

picsomethinggame.com