A falta que Steve Jobs faz

Você pode confessar que estava com saudades de mim. Depois de encher as burras dos meus clientes com o nabo que o Google tomou fui passar as férias no Caribe, mais concretamente em Saint Marteen, pegar um jetblast de 747 e um pouco de sol (se bem que aqui no Rio agora está um calor do capeta…)

Mas vamos ao que interessa, caro leitor, dependente deste agora afortunado Analista.

Os ventos que sopram na Apple não são bons. O iOS6 com seus mapas micados tem sido considerado por muitos colegas meus aqui na Cinelândia quando comemos nossos ovos cozidos, não os nossos, mas você me entende, como o pior release que a Apple fez. Não fosse só a qualidade dos mapas, mas também o WiFi que é pior que mulher na TPM, além de bugs no teclado, no bluetooth, etc.

Além disso nosso amigo Scott Forstall, chefe do iOS, tomou o bilhete azul, não que isto seja ruim para ele pois alguma grana ele ganhou, além disso os funcionários, segundo fontes secretas, estão fazendo festa pela rolada de cabeça do chefe.

O fato é que a Apple de 2012 tem feito muito mais lambanças que a Apple de 2011 quando o velho Steve ainda vivia. Não que a Apple esteja mal, longe disto, valendo 550 bilhões de Obamas (ou Romneys, dia 6 se aproxima) a coisa está folgada, mas estamos percebendo que algo do seu poder de inovação foi-se com a morte de Steve Jobs.

E por fim o Windows 8. Nisto concordo com o Pedro Paulo aqui do Zeletron. O Windows 8 é bacana. E digo mais, o Windows Phone 8 com o apoio da Nokia vai incomodar os Androids da vida. O Google que se cuide porque Windows 8 RT comendo tablets Android e Windows Phone 8 comendo telefones Android, vai ter muito Android comido.

E o BlackBerry 10? Ouvi falar que o João Bernardo tomou um porre de RedBull lá no evento, mas não sei se o BB10 vai ser suficiente para ressuscitar a RIM. Vale a pena desenvolvedor gastar vela com defunto ruim?

Windows 8

Há alguns meses que venho utilizando o Windows 8 e, com o lançamento deste na sexta-feira, vale à pena escrever um pouco sobre isto.

Talvez, se você acompanha o blog, possa estar se perguntando: porque você escreveu na hora sobre o lançamento do iPad Mini e dos outros produtos da Apple e levou mais de 24 horas para falar do Windows 8?

Eu diria que a principal razão é o fato de os eventos da Apple serem algo bacana mas que acontecem com muita frequência. Já o lançamento de um sistema operacional “for end users” da Microsoft é um evento que de 1995 até 2012 aconteceu 8 vezes (95, 98, Me, 2000, XP, Vista, 7 e 8).

Em 24 de Agosto de 1995, na Noite de São Bartolomeu (AKA: Noite das Garrafadas), a Microsoft lançou seu sistema mais revolucionário em termos de “end-user”. O Windows 95 mudou a computação pessoal e foi um sucesso absoluto.

O mesmo ocorreu em 25 de Junho de 1998, o Windows 98 foi um excelente salto de qualidade, principalmente a versão 2 dele lançada 10 meses depois.

Outro acerto da Microsoft ocorreu em 17 de Fevereiro de 2000, quando resolveram fazer uma grande modernização no Windows NT que servia para desktop. O Windows 2000, apesar de ter tido pouco tempo como o topo de linha da Microsoft foi um excelente sistema.

O mesmo não pode ser dito do malfadado Windows Me, lançado em 14 de Setembro de 2000. Aquele que era chamado de Millenium Edition foi apelidado de Mistaken Edition. De fato o Me não foi um bom sistema.

Mas em 25 de Outubro de 2001 veio aquele que foi um dos mais importantes lançamentos da Microsoft de todos os tempos, o Windows XP. Mesmo onze anos depois o XP é ainda utilizado por 34% dos PC’s no mundo.

Em 2007, em 30 de Janeiro, a Microsoft lançou o Windows Vista. Embora fosse um avanço com relação ao XP, foi visto por muitos como um novo Windows Me e devido a demanda de Hardware que tinha muitos diziam que era lento. Definitivamente não agradou, tanto que passados 5 anos é usado por 5% dos PC’s no mundo.

Então em 22 de Julho de 2009 a Microsoft acertou novamente no alvo e o Windows 7 foi um sistema muito redondo que  conseguiu ser rapidamente adotado e hoje é o sistema operacional mais usado no mundo.

E por fim chegamos ao dia de ontem, 26 de Outubro de 2012, quando o mundo todo teve acesso ao Windows 8. Com uma interface bastante nova em termos de sistema operacional gráfico e com uma proposta de atender o mundo PC mas também o mundo Tablet e com modificações o mundo Celular parece estar muito mais para os casos do XP, 95, Windows 7 que para os casos do Me e Vista.

Minha avaliação do Windows 8 até agora tem sido muito positiva. No mínimo é um grande avanço com relação ao Windows 7, provavelmente vai ajudar a Microsoft a continuar dominando o mundo PC por muitos anos.

Não custa lembrar que no mundo PC (ou desktop/notebook) a Microsoft tem 92%, a Apple 7% e o Linux coitado 1% (arredondando para cima).

Vida longa ao Windows 8, vida longa à Microsoft!

Telefonica / Vivo: se seu serviço é um lixo, pelo menos não tente me enganar.

Há dois problemas com o sistema de telecomunicações no Brasil. Um deles diz respeito a falta de qualidade do serviço. A outra é tratar o usuário como se fosse idiota.

Ontem, mais uma vez, o serviço Speedy Fibra da Telecomica, ops digitei errado, Telefonica; se bem que agora eles querem ser chamados de Vivo, estava por assim dizer morto.

Já conheço o drama: Liga 10315, digita seu numero (eles já sabem seu número), ouve musiquinha irritante, diz seu número para o atendente (isso, o mesmo número que você já digitou para eles), ele gera um número de protocolo que não serve para nada, fala que está sem internet há X horas, ele diz que vai verificar, demora seis minutos, volta, diz que vai mandar um técnico no local, o técnico vem, diz que o problema é na central e que eles só mandam técnico para ganhar tempo, e por aí vai.

Acontece que por coincidência, I don’t believe in coincidences, estou sem 3G da Vivo. Opa, Vivo = Telefonica, portanto as coisas devem estar relacionadas. Ligo para a Vivo, *8486, mesmo procedimento, blá, blá, blá. Dizem que vão fazer testes na minha linha, dizem que há um problema na região e que deve normalizar em 1 hora, passam dois dias e não normaliza.

Acredito que você, se leu até aqui, deve estar cansado. Imagine o cliente. Imagine o cliente que usa a Internet para seu sustento e que perde dinheiro quando fica sem ela.

Até quando vamos ficar a mercê da incompetência que tomou conta do setor de Telecomunicações do Brasil desde 01/Jan/2003?

Atualizou hoje seu Mountain Lion? Perdeu os Applets Java no browser.

Interrompo brevemente meu silêncio forçado pela quantidade de trabalho, para falar de um problema da atualização de hoje do Mac OS X Mountain Lion.

Depois que eu atualizei meu Macbook hoje, não consegui mais entrar no site de nenhum banco. Desconfiado da atualização, fui ver o que ela trazia de novidade (Eu sei, devia ter feito isso antes de instalar) e, para minha surpresa, ela dizia simplesmente o seguinte:

http://support.apple.com/kb/HT5493
This update uninstalls the Apple-provided Java applet plug-in from all web browsers. To use applets on a web page, click on the region labeled “Missing plug-in” to go download the latest version of the Java applet plug-in from Oracle.”

Ou, na minha versão, “Retiramos o plug-in do Java que já estava pré-instalado pela Apple para todos os browsers. Se quiser usar alguma coisa com Java, baixe novamente no site da Oracle”.

A solução para essa baboseira que a Apple fez, é justamente baixar de novo o Java, que já tem uma atualização para corrigir essa “atualização” da Apple.

http://www.java.com/en/download/mac_download.jsp?locale=en

Já não é a primeira vez que eles fazem uma coisa dessas.

Vou te contar, a Apple está cansando minha beleza…

Apple anuncia novos produtos, iPad 4 e iPad Mini

Há poucos minutos a Apple anunciou o lançamento do iPad 4 e do iPad Mini.
– iPad 4 – A6X (2x mais rápido que o iPad3), Cabo Lightning.
– iPad Mini – Tela 7.9″, 768×1024, Apple A5, Facetime HD, 5MP Camera, 4G LTE, Cabo Lightning, 10 horas bateria. A partir de US$ 329.00

Novo iBooks (3.0)
– Scroll contínuo, iCloud, Share via Facebook e Twitter, novas fontes.

Novo iBooks Author
– Novas fontes, fórmulas matemáticas, livros atualizáveis.

Novos Macs
MacBook 13″ com retina display 2560×1600. 1,9cm de espessura. 8GB Ram, Intel i5 ou i7, Bluetooth 4.0, HD SSD 128 até 768GB
Mac Mini – i5 ou i7 Ivy Bridge, Bluetooth 4.0.
iMac – Este foi a grande novidade em termos de Mac. 5mm de espessura. Nvidia Kepler, Bluetooth 4.0, i5 ou i7, 8GB Ram, Apple Fusion Drive (128 GB SSD, 1TB a 3TB HD).

Algumas curiosidades: 200 milhões de aparelhos já foram atualizados para o iOS6 (escutou Android?)

Resumo dos Números:

  • 5 milhões iPhone 5s vendidos no primeiro fim de semana.
  • 3 milhões iPods vendidos ( os nano novos e os touch novos)
  • 124 milhões docs no iCloud.
  • 300 bilhões de iMessages (28000/seg)
  • 160 milhões contas no game center
  • 70 milhões fotos compartilhadas.
  • 700,000 apps na app store
  • 275,000 iPad apps
  • 35 bilhões de apps downloads
  • US$6.5 bilhões pagos a desenvolvedores (e a minha parte??? :)..
  • 100 milhões de iPads vendidos até agora.

Colocaram um iPad ao lado do Nexus 7″ e deram uma detonada no Nexus: “They failed miserably

Sete Leituras para o domingo – (VII)

Apesar de que alguns leitores dizem que só temos publicado as sete leituras de domingo, é verdade porque o dono deste blog está com uma carga de trabalho que nunca experimentou antes, fazendo mais de 100 horas por semana; vamos continuar publicando pelo menos as leituras e tentar aos poucos ir voltando ao ritmo antigo.

1) Se você não leu, precisa ler o estudo estatístico do Zeletron sobre o Ibope. Tem até uma simulação em Python

2) Você já pensou qual é o custo real de seu carro? Existe uma app para ajudar a manter sob controle estas despesas. Veja a análise no 9to5mac.

3) Esta semana vai ser quente. Dia 23 haverá um evento em que deve ser lançado o iPad Mini (que alguns dizem que vai ser chamado de iPad Air) e o Macbook 13″ Retina (este é uma forte especulação).

4) Já no mundo Microsoft o evento será gigante. O lançamento mundial do Windows 8, dia 26. O lançamento do Microsoft Surface com Windows 8 RT dia 25 e o provável começo das vendas dos primeiros Nokia com Windows Phone 8.

5) No mundo Google um SNAFU na quinta-feira quando vazou que os resultados do trimestre não seriam bons e as ações despencaram espetacularmente ativando o circuit breaker da NASDAQ para o GOOG. Parece que a compra da Motorola está cobrando seu preço.

6) Nas linguagens de programação JAVA perdeu seu longo reinado para o velho e bom C. Objective-C vem subindo assustadoramente e já passou C++ no Ranking.

7) Google lança oficialmente a linguagem Dart como proposta para substituir o Javascript.

O Ibope e o problema de amostragem

Ontem li sobre a pesquisa do Ibope que mostra Fernando Haddad na frente de José Serra por 49×33 com margem de erro de 3%. Eu pessoalmente espero que Haddad perca, mas isto não vem ao caso agora, queria mostrar como são feitas as pesquisas e como são feitos os erros (propositais ou não).

Se você quiser ler o texto do Reinaldo Azevedo de hoje que compila os erros do Ibope no primeiro turno em todo o Brasil, em alguns casos muito fora da margem de erro. Reproduzo abaixo o caso do Amazonas.

Como se vê o erro foi enorme.

Como se calcula a precisão da amostragem de uma pesquisa de opinião?

A grosso modo, sem refinar muito o modelo pode-se dizer que para uma amostragem aleatória de n indivíduos de uma população grande a margem de error (com um intervalo de confiança de 99%) é:

e = 1.29 / \sqrt{n}

Esta fórmula mostra que a taxa de erro converte assintóticamente para 0 e que a partir de um certo número (1000 por exemplo, não adianta aumentar o n que o erro não muda muito).

Isto quer dizer que feitas 100 pesquisas somente uma poderia ficar fora da margem de erro. Como no primeiro turno erraram a maior parte das pesquisas, isto quer dizer que há problemas. E o Zeletron vai mostrar onde estão estes problemas.

O programa abaixo em Python mostra para você incréu como funciona.

#!/usr/bin/env python
import urllib2
import random
import math
 
random.seed()
group1 = ['a','A','e','E','i','I','o','O','f','l','r']
AmostragemHonesta = False
 
genesis = [i for i in urllib2.urlopen('http://pastebin.com/raw.php?i=uuAYXcjm').read()]
genesis.sort()
rndGenesis = []
if AmostragemHonesta:
        for i in xrange(2000):
                rndGenesis.append(random.choice(genesis))
else:
        for i in xrange(2000):
                rndGenesis.append(genesis[24*i+7000])
 
n_es = [i for i in genesis if i in group1]
n_as = [i for i in genesis if i not in group1]
 
n_r_es = [i for i in rndGenesis if i in group1]
n_r_as = [i for i in rndGenesis if i not in group1]
 
num_as = float(len(n_as))
num_es = float(len(n_es))
num_r_as = float(len(n_r_as))
num_r_es = float(len(n_r_es))
 
num_gen = float(len(genesis))
num_sample = float(len(rndGenesis))
 
print "Real: %.2f %.2f"%(num_as/num_gen,num_es/num_gen)
print "Amostra: %.2f %.2f"%(num_r_as/num_sample,num_r_es/num_sample)
print "Margem de Erro: %.2f"%(1.29/math.sqrt(num_sample))

Resultado:

 Real: 0.61 0.39 Amostra: 0.59 0.41 Margem de Erro: 0.03

Mas o que acontece se a amostra não é aleatória? Bom aí, simplesmente a coisa não funciona bem. Vamos ver?

Basta trocar no programa acima a variável AmostragemHonesta de True para False.

Resultado:

Real: 0.61 0.39 Amostra: 0.46 0.54 Margem de Erro: 0.03

Mas como um instituto de pesquisa pode amostrar errado? Fácil. Introduzindo no método de amostragem um viés que privilegie determinado lado. No nosso exemplo amostrando mais para o final do array gera uma desvantagem para o um dos lados.

Mas e numa população? Como fazer um erro?

Se um determinado candidato tem um público preferencial de mais baixo nível aquisitivo você privilegia este candidato amostrando em pontos de fluxo (em SP na praça da Sé). Se amostrar em domicílio também pois o acesso a condomínios fechados é mais restrito que a casas de baixa renda.

Vamos aguardar a eleição, mas agora você pode entender melhor a razão do erro gigante de alguns institutos de pesquisa. Chamam de margem de erro, mas algumas vezes pode ser margem de lucro…

Sete Leituras para o Domingo (VI)

Ainda é domingo pessoal.

1) Piada da semana: A Motorola convocou um evento em São Paulo para anunciar o lançamento do fantástico RAZR i com o sistema Ice Cream Sandwich. Isso mesmo! Compre agora, por 1299 dilmas, o celular com o sistema operacional do ano passado.

2) Você não pode deixar de conhecer a nova metodologia de desenvolvimento de Software: Extreme Go Horse.

3) Discussões de como a morte de Steve Jobs pode ter afetado a forma como a Apple está lidando com o MapGate.

4) Dicas de Tim Cook para se safar do MapGate. Das que testei o Waze é o melhor para o Brasil.



5) Os lasers verdes e os aviões: FBI se manifesta. Eu já vi um laser verde no Airbus da Avianca aproximando em Congonhas e aposto que em breve um moleque vai derrubar um avião.

6) Coisas bacanas que o pessoal tem feito com a API do Google: https://developers.google.com/showcase/

7) Um site que vale a pena conhecer é o InformationIsBeautiful. Confira o post deles sobre os melhores infográficos do ano.