Entrevista – Desenvolvimento Mobile

Conforme prometido, segue abaixo a entrevista com Mr C., que prefere revelar apenas uma das suas iniciais.

Há quanto tempo o sr desenvolve para o setor Mobile?
Há dois anos, mas a produção neste tempo foi bem intensa.

Qual sua plataforma preferida?
Do ponto de vista de conjunto, onde incluo aí a parte financeira, o iOS é disparado o melhor. Convém notar que outras plataformas tem coisas interessantes também. Eu gostei muito do QT nos Nokia, não sei qual será o futuro da plataforma.

Quais são os pontos fortes do iOS?
Apesar de muitos reclamarem da mão de ferro que a Apple coloca naquilo que vai dentro de seus produtos, é fato que o iOS é a plataforma mais uniforme e que faz com que o desenvolvedor seja disciplinado. Eu destacaria alguns pontos: uniformidade de resoluções: 320×480 ou 768×1024 (há o retina display, mas é transparente para o desenvolvedor). Outro ponto forte são as ferramentas de desenvolvimento: o XCode 4 está muito maduro e o simulador que vem com ele é muito bom. As API da Apple são muito bem documentadas e bastante coerentes. No entanto, a principal vantagem da plataforma é a capacidade e o potencial de fazer dinheiro com a aplicação. O modelo de loja do iOS é matador.

E os pontos fracos?
O principal ponto fraco do iOS, na minha opinião, é só permitir desenvolvimento em plataformas OSX. Isto encarece o desenvolvimento e dificulta a contratação de profissionais que já tenham sido expostos ao XCode. Outro ponto fraco é o balanço entre a loja ser monitorada (que é ótimo) e o tempo de avaliação dos aplicativos (que não poucas vezes chega a 8 dias). O uso de Objective-C pode ser também uma barreira, no entanto minha dica é: insista no Objective-C que você acabará vendo que ele é melhor que parece.

E o Android? Poderia nos falar de pontos fortes e fracos?
O Android é a plataforma mais exasperante que já vi em toda a minha vida. O Inferno de Dante deveria ter um círculo para a combinação Eclipse + Java + Fragmentação. Imagine desenvolver um aplicativo ou um jogo, tendo que levar em conta resoluções 320×240, 240×400, 320×480, 800×480, 1024×768, além disso cada aparelho pode ter tela resistiva ou capacitiva, para piorar a sopa há pessoas rodando Android 1.5 até 3.0. Há coisas que precisariam ser refeitas do zero para que o Android seja developer friendly.
Pode parecer implicância minha, reconheço que tenho bastante reserva para com a plataforma, mas a loja Android Market está mais próxima de um sexshop que de uma loja séria de aplicativos. O fato de você não ter nenhum tipo de controle prévio na loja faz com que aberrações abundem por lá.

E um ponto positivo do Android?
(risos) De fato só falei mal dele. Eu diria que a integração com os serviços Google pode ser útil para os desenvolvedores.

Alguma outra plataforma merece destaque?
Eu nunca deixaria de fora o Blackberry. É uma plataforma que tem usuários com muito poder aquisitivo e isto é interessante, mesmo considerando que compartilha alguns dos problemas do Android. Outra plataforma promissora é a do Windows Phone 7. A Microsoft é, na minha opinião, a que tem as melhores ferramentas de desenvolvimento.

Você fala do Visual Studio?
Sim. O Visual Studio é a IDE mais madura e mais poderosa que conheço. Gosto muito do Visual Studio. Pena que Steve Jobs não permite desenvolvimento iOS no Visual Studio (risos)

 

Comments on this entry are closed.

  • Guilherme

    Seria esse o Steve Jobs Jr.? 🙂

  • Nunca mexi com desenvolvimento mobile, mas esses meses atrás desenvolvi um pouco pra Android e achei bem fácil. Não sei porque isso tudo. Sei que tem esses problemas de resolução e o Eclipse as vezes decide não ajudar. Já a Market é bem porca mesmo comparada a App Store, mas isso não tem ligação direta com o contexto de desenvolvimento.