Observação sobre os celulares na Europa

Desde 2003, quando vim pela primeira vez à Europa, sempre reparava que todo mundo por aqui usava um celular da Nokia. Era quase uma unanimidade.

Quando fui em 2009 aos EUA, a convite da Nokia, reparei que por lá o mercado era o oposto, quase ninguém usava Nokia. Na terra do Tio Sam era mais comum ver um o iPhone ou, principalmente, os diversos tipos de Blackberry.

No mesmo ano de 2009 fui à Inglaterra, Itália e Portugal, e ainda naquele ano a Nokia reinava no velho continente. Quase não se via iPhone por aqui.

De lá para cá muita coisa mudou. Em janeiro fui a trabalho a Madri e agora estou de volta à Europa de férias. Já fui à Alemanha e agora estou na Escócia. Amanhã sigo para a Hungria. Nos três primeiros países, a quantidade de iPhones e aparelhos Blackberry que eu vi foi muitíssimo maior do que celulares da Nokia. Uma mudança brutal. Vamos ver como estará a Hungria amanhã.

Curiosamente vi poucos aparelhos com Android e nenhum com WP7 nas mãos das pessoas. Nas vitrines vi vários dos dois tipos, mas em uso na rua, poucos. A quantidade de iPhone 3G S e iPhone 4 que eu estou vendo em uso é impressionante. O Blackberry também está bem.

Acredito que isso ainda pode ser revertido, ainda que parcialmente, com essa decisão de fazer aparelhos com Windows Phone 7. Resta só saber quanto tempo vai demorar para eles recuperarem o mercado perdido. Os aparelhos com WP7 precisam ser lançados o quanto antes para estancar o sangramento da Nokia e fazê-la voltar a ser pelo menos uma das maiores competidores deste mercado.

Comments on this entry are closed.

  • Um exemplo: estou numa cafeteria agora e vi uns 2 Android, 8 iPhone 4, 1 Nokia N95 e uns dumbphones…

  • Tomas

    José
    Você diz que viu isso ai na europa?
    poderia fazer uma conversão de quanto seria comprar, para um europeu de classe media, um iPhone e quanto seria para um Brasileiro de classe media? Pois sempre tive essa duvida e gostaria de entender como acontece esse tipo de coisa por ai.
    Grato 🙂

  • Boa pergunta, mas não sei quanto é o ganho de um sujeito de classe media por aqui…

    Aqui as operadoras ainda vendem os aparelhos subsidiados com contratos de 1 ou 2 anos. Tem iPhone que sai até de graça, dependendo do plano.

    Por causa do nosso querido “desbloqueio”, que a Oi pregou e todo mundo gostou, agora fica difícil termos subsidio nos aparelhos… Por um lado isso foi bom, podemos usar o chip que quisermos no nossos aparelhos, mas agora, na maior parte dos casos, temos que desembolsar o preço total dos aparelhos de uma vez só na hora da compra.

  • Alessandro

    Olá José Antonio.
    Sou seu leitor desde o velhinho NokiaBR! Engraçado é que eu pensei que o blog perderia muito se o foco saísse só dos aparelhos Nokia, mas aconteceu que a Nokia é que saiu do foco! Relativamente à sua questão posso dar um depoimento, pois moro em Portugal. O iPhone é indiscutivelmente a plataforma de smartphone de topo mais utilizada a nível europeu. Se formos para os telefones médios, entre € 150 e 250 o Android prevalece, principalmente com “marcas brancas”, fabricadas na China e que levam o selo da própria operadora (a Vodafone foi pioneira nisso). Posso te dizer que o salário médio aqui é de cerca de € 900, e um iPhone 4 32 Gb fica entre o € 690 (sem nenhum plano) e € 360 (com plano mensal de € 60). Claro que a Europa está em crise e Portugal em especial., mas as estatísticas da operadoras dizem que nunca se vendeu tantos iPhones como agora. Um abraço e continuação de boa viagem.