O mal a ser combatido chama-se GPL

GPL, Richard Stallman e parece que o carente de melancia no pescoço agora é um francesinho chamado Rémi Denis-Courmont, a quem já tive o desprazer de conhecer nos fóruns do VLC.

Qual é a palhaçada do momento: o VLC é distribuido sobre a licença GPL, tem ports dele para quase tudo, até que uma empresa doou tempo de programação para fazer um port totalmente gratuito do VLC para o IPhone e IPad e publicar gratuitamente, sem nenhum custo e com apoio da fundação VideoLan que mantém o VLC na App Store.

Com isto, a GPL mostra todo o poder do Open Source. Você contribui para um projeto Open Source e depois vem um dos membros da equipe de desenvolvimento do projeto, dá uma …… (complete aqui como quiser) para você e fica sem o projeto.

Por isso a regra que procuro seguir é: nunca usar se possível qualquer porcaria que use GPL. Use BSD, MIT, PHP, Apache, qualquer outro licenciamento, mas deixe o Stallman e o Remi ficarem com seus GPL enquanto navegam na internet usando browser em modo texto (pelo menos o Stallman).

Detalhe: O aprendiz de Bozo queria que a Apple mudasse os termos da App Store para que o VLC pudesse continuar lá, a Apple chutou o VLC da App Store e o cara se faz de coitadinho no blog dele. Se você quiser trollar ele, seja bem vindo: remi@remlab.net

Agora adivinha onde o rapaz trabalha? O país é a Finlândia ….

Comments on this entry are closed.

  • Ele tem o direito de liberar o software como quiser. Afinal, é ele que desenvolve ou você?
    Acho que aí o problema é o modelo louco de funcionamento da App Store.

    Se o usuário pudesse baixar programas onde quisesse, o VLC para ip[o|a]d ainda estaria existindo.

  • Pedro Paulo

    Sim ele tem o direito de liberar o dele como quiser.

    O problema é que eu e muitos outros contribuimos com código, patchs e outras coisas para aquele projeto.

    Se a App Store é maluca, o pessoal da GPL é muito mais insano. Mas tudo bem a Apple não precisa do VLC, nós usuários que precisamos.

    A hipocrisia de chamar de software livre algo com licença GPL faz surgir em mim meus instintos trollisticos mais primitivos.

  • Bucabala

    @jbvsmo: o que voce nao entendeu é: tudo gira em torno de $$$ (quem reclama, só o faz porque perdeu $$$, aki no zeletron ou na finlandia, hehe)

    Serio mesmo que o Zeletron é o melhor palco pra isto?
    Acho que a metade destes leitores nem sabem o que é html.

    Mas fazer o que, né? ta aqui pra gente ler mesmo…

  • Pedro Paulo

    Eu escrevi o texto sobre o GPL e não tinha nada a ver com o affair Nokia. O Zeletron não dá dinheiro nem para manter o custo de hospedagem, se vocês notarem, quase não há anúncios.

    No caso do Antigo NokiaBR a empresa finlandesa pagava uma propaganda em forma de banner no valor de incríveis 150 reais mensais.

    Acho que demonstrei que minhas críticas nada tem a ver com $$$, até porque o caso que relatei é de um App free, no qual não tenho nenhuma participação.

    Meu problema é com a GPL.

  • Dinheiro? Zeletron? Huahuahuahua!

    Sobre os 150 que o Pedro Paulo falou acima, aquilo só foi feito por 3 meses.

  • marcelobarros

    Já devo estar no zeletron por mais de um ano e até hoje não me registraram, meu salário não está em dia e nunca tirei férias. Vou processar vocês! Não vem com esta de não dar dinheiro não!

    PS: é brincadeira

  • Bucabala

    Ai, meu Deus, me desculpem. Nao quero gerar conflitos.

    Bom, tentando me explicar, pelo que entendi, e comentei, o Pedro Paulo acabou perdendo dinheiro quando recebeu uma banana (foi ele mesmo quem disse, rs).
    Por isso comentei, que tudo girava em torno do dinheiro, aki ou la.
    Sobre o que comentei do post, reconheco que foi impertinente.
    Me desculpem.

    Acho que o problema é troll mesmo: so de ler esta palavrinha no seu texto, deve ter baixado a pombagira troll em mim, kkk e ja era madrugada, o sono batendo, tudo pra gerar um troll, rs

    E admito, foi ao ler sobre a finlandia que o sentimento troll veio a tona.
    Sera que to virando um fanboy? ou ja era e nao percebi?
    (alguem ai sabe uma mandinga forte pra me libertar disso? kkk)

  • @marcelobarros você também não apresenta a folha de ponto, como quer receber? 😀

    @bucabala uma mandinga garantida para se libertar disso é comprar um aparelho com iOS 4 (pode ser até um iPod Touch). Resolve em poucos dias de uso. 😀

    Uma outra mandinga que nem sempre funciona, é comprar um aparelho com Android 2.2. Costuma funcionar na maioria dos casos.

  • @bucabala a segunda mandinga é indicada para pessoas que têm alergia a iOS 4. 😀

  • Bucabala

    To tentando, to tentando, mas ainda ta dificil chegar nesse ios4, hehe
    Acabei pegando um galaxy 5 por causa das indicacoes do PedroPaulo, saiu di gratiz.

    SE eu conseguir vender meus n96 e n97mini, compro um iphone4, ai fico somente com o e72 e alguns acessorios pra matar a saudade da nokia.

  • Pedro Paulo

    O rapaz francês mala trabalha na Nokia. Em concreto no N900 …

  • Como membro de diversas comunidades de software livre e usuário da licença GPL, diria que a proposta de SL de Stallman é que está incompreendida. No modelo da GPL, uma app store toda fechada não pode nem deve existir.

    A GPL foi feita para garantir que o software que tenha sido disponibilizado como SL possa continuar sendo livre pra sempre. Licenças permissivas como as que você citou permitem que o software deixe de ser livre. E isso não é bom pra ninguém, do ponto de vista da liberdade. Alguém pode argumentar que é bom pra outros fins, mas não para a liberdade.

    Exemplo claro disso é o Android, um sistema teoricamente livre (porque usa a licença “livre” Apache), mas que você nunca verá o código, a não ser nos repositórios do Google, porque todas as empresas que tem aparelhos Android criam suas próprias variações proprietárias, o que a licença permite. Um sistema que tinha tudo pra ser totalmente livre (se a licença forçasse isso), nunca será.

    A Apple é uma das grandes “potências anti-liberdade” no mundo hoje. Ela pode trazer tantos benefícios quando alguém possa enumerar, mas é inegável que ela não aumenta a liberdade de ninguém, em nenhum aspecto. Exigir que a empresa seja um pouco menos fechada é um direito que qualquer um tem. Se não tivesse, mais uma vez a liberdade estaria cerceada.

    Ninguém quer que a Apple mude sua forma de ganhar dinheiro, ninguém quer que a Apple permita nada bizarro: a única coisa que foi pedida era que a app store fosse capaz de aceitar software livre. Mas isso, como é bem possível especular e imaginar, é impossível. Não vejo nenhum problema no que o cara tenha feito. Ele não fez nada fora do seu direito. A Apple também não. Mas ela é que não ajuda em termos de liberdade, e não a comunidade de SL.

  • Ismael

    A questão é mais simples.

    A licença tem de ser obedecida. A Apple agiu certo ao retirar, o desenvolvedor agiu certo ao pedir para cumprirem ou retirarem.

    O mal a ser combatido é a pregação anti cumprimento de licenças.

    Quando alguém baixa um Office e não cumpre a EULA, é classificado de pirata. O princípio é o mesmo.

    Caso contrário, voltamos a selva: cada um faz suas leis ou cumpre só as que lhe convém.

  • concordo com o Ismael , galera xinga e reclama , o Criador do software tem todo direito de colocar a licença que quiser , assim como a Apple tem o direito de remover o software que quiser…

    Concordo com o autor , que realmente é um saco contribuir com um projeto GPL e depois ver a licença impedir sua publicação , a minha recomendação , se você pensa como ele não escreva código para projetos GPL , viva a Licença MIT.

    Ricardo Panaggio , Segundo os principios do cristianismo(velho testamento) os ateus tem que ser mortos e ninguem quer isso né… só os extremistas , o mesmo vale para a App Store , a diversidade é boa para nosso mundo , você NAO tem o direito de exigir que a App Store faça nada… ela não é sua. se você não gosta , vende seu iDevice e compra um android e seja feliz… sou membro da FSF porque uso vários projetos GNU , mas parei de usar a GPL faz um tempo.

    Esse negocio de exigir me irrita muito pois me lembra a turma de sindicato que grita que tem que exigir salários maiores… se você acha que seu trabalho vale mais procure alguém que concorde com isso , o mesmo se aplica nesse caso não exija que a App Store seja do seu jeito…

    Resumindo: São ideologias distintas , se você concorda ou não tome suas ações de forma condizente e não tente mudar a forma de pensar de todo mundo , adeque seu mundo a sua forma de pensar.

  • @Ismael

    É bem por aí 🙂

    @Régis Mesquita
    >você NAO tem o direito de exigir que a App Store faça nada… ela não é sua.

    Nunca exigi nada. E nem pedi. Só disse que o cara tem direito de pedir. E isso ele tem.

    > se você não gosta , vende seu iDevice e compra um android e seja feliz…

    Nunca tive um iQualquerCoisa, e não pretendo ter. Não vou financiar a maior industria de produtos fechados do mundo.

    > Esse negocio de exigir me irrita muito

    Ninguém exigiu nada. Nem o cara, nem eu.

    > se você acha que seu trabalho vale mais procure alguém que concorde com isso , o mesmo se aplica nesse caso não exija que a App Store seja do seu jeito…

    A app store não tem que ser do meu jeito. E também não precisa ser como é. Se o mecanismo de entrada dos produtos móveis da Apple fosse diferente, como bem mencionou o @jbvsmo, já seria um benefício muito grande, pra todo mundo.

    > Resumindo: São ideologias distintas , se você concorda ou não tome suas ações de forma condizente e não tente mudar a forma de pensar de todo mundo , adeque seu mundo a sua forma de pensar.

    Novamente, ninguém quer mudar a forma das outras pessoas pensarem. Estamos tentando tornar possível que o mundo seja um lugar melhor, mais livre.

    @Pedro Paulo
    Você está atraindo uma orda de trolls com o post :o)

  • Post animado esse! Tô gostando de ver! 😀

  • Avelino de Almeida Bego

    Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

    Culpar a GPL por que o desenvolvedor do VLC não quis publicar o aplicativo na AppStore é ilógico.

    Mas concordo que o ego é algo que atrapalha a todos, inclusive dos que usam Mac. 😉

  • Lucaugusto

    pequenos pontos:

    1) a gplv2 existe há 20 anos com as mesmas regras. se você não as conhecia, problema seu. acho que o Bozo mudou de nome.
    2) o Remi conhecia as regras, e provavelmente só contribuiu para o projeto porque concorda e apóia aquelas regras.
    3) se o Remí for o único que não quer aceitar a mudança da licença, basta remover o código produzido por ele. mas há um problema nesse raciocínio: o tal do Remi já produziu muito no VLC… provavelmente muito mais do que você.
    4) sim, a gpl mostra seu poder: o poder de manter as 4 liberdades, e não apenas a que lhe convém.

  • Pedro Paulo

    o troll acima: @lucaugusto é um prodígio. Tem 3 blogs de software livre sem nenhum post. (mygesture, lucaugusto, lucasdeters). Devem ser blogs GPL…

    A frase mais sem pé nem cabeça que ele escreveu: “sim, a gpl mostra seu poder: o poder de manter as 4 liberdades, e não apenas a que lhe convém.”

  • Tércio Martins

    @Pedro Paulo:

    1) O problema dos desenvolvedores do VLC não mudarem a licença não é por causa dos desenvolvedores em si, e sim porque o player utiliza *muito* código do Projeto FFmpeg:

    http://en.wikipedia.org/wiki/FFmpeg#Projects_using_FFmpeg

    E, como o VLC utiliza codecs licenciados como GPL2+ pelo projeto acima, não pode mudar a licença do código-fonte alheio. Se o pessoal fizesse o VLC com outra licença mais permissiva, não poderia usar o código dos codecs, mas poderia entrar na App Store sem problemas. Talvez o player não seria tão bom como é hoje (por causa do código de terceiros)…

    2) Quase todos os media players “livres” são licenciados com a GPL. Só o Banshee que não é.

    http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_media_players#General

    3) E, no mais, várias empresas desrespeitam a licença do FFmpeg, o que é uma injustiça com os desenvolvedores dos codecs:

    http://www.ffmpeg.org/shame.html

  • Marcelo Barros

    Realmente, foi um post divertido 🙂
    Estou com o Ricardo Panaggio em termos de opinião, apenas pra deixar claro o meu posicionamento, como autor do blog também.