Google Beat, o que está sendo mais procurado e aonde

Quando temos muitos dados uma dificuldade é fazer com que eles sejam úteis e o Google tem algumas ferramentas para isto como o Google Trends e o Insight For Search

Agora estão publicando uma série de vídeos mostrando formas interessantes de ver estes dados:

Veja o vídeo abaixo e se gostar assine o canal do Youtube do Google Beat

Fonte: Google Blogs

Job trends em mobilidade

Achei interessante o resultado de tendências de emprego encontrada no site www.indeed.com. Abaixo, uma amostra com a lista das principais tecnologias/plataformas atuais. É claro que a palavra chave usada pode não representar bem o que se deseja, por exemplo, Android pode englobar muito mais do que “empregos de desenvolvimento para trabalhar com Android”, o que talvez justifique a subida exponencial recente. No entanto, é um resultado, no mínimo, curioso e pode servir para entender melhor o mercado e projetar algumas mudanças de direção.

O império contra ataca

Quem achava que o Google ia tomar o processo da Oracle e ficar de boca calada hoje teve sua resposta no comunicado postado no blog de desenvolvimento do Google:

Segue o texto (tradução minha):

Como muitos de vocês, a cada ano ficamos com muita expectativa dos workshops, conferências e eventos relacionados a software livre. Em nossa opinião, estas estão entre as melhores formas de relacionar com a comunidade, compartilhando nossas experiências e aprendendo com vocês. Então, nós estamos tristes em anunciar que não poderemos estar presentes ao JavaOne deste ano. Nós queríamos, mas ação judicial recente da Oracle contra o Google e o código aberto tornou impossível para nós expressar livremente os nossos pensamentos sobre o futuro do Java e do código aberto em geral. Esta foi uma decisão dolorosa para nós, pois participamos em todas as JavaOne desde 2004, e eu, pessoalmente, tenho falado em todas, menos  na primeira em 1996.
Entendemos que isso pode desapontar e incomodar muitos de vocês, mas estamos ansiosos para apresentar em outros eventos em breve. Estamos orgulhosos de participar da comunidade open source Java, e queremos encontrar outras maneiras de participar e contribuir.
Por Joshua Bloch, Escritório de Programas Open Source do Google

Só vão sobreviver 3!

Este é meu primeiro post no Zeletron e procurarei escrever de vez em quando aqui analisando a indústria de celulares.

O título indica que só sobreviverão 3 sistemas operacionais, esta é a minha opinião. Pode ser que venha um troll e diga: Acabou de chegar no Blog e já está falando assim. Questão justa. É minha opinião e vou tentar explica-la neste post e nos seguintes.

1) Só sobreviverão 3 – É uma afirmativa que se baseia na questão desenvolvedores. Cada plataforma hoje tem um sistema de desenvolvimento, vendas e monetização distinto. Um código escrito para o iOS tem que ser muito mexido para rodar num Android. Há diferentes níveis de suporte a HTML5 nas diversas plataformas. Isto leva a creer que as fábricas de software vão escolher uma plataforma ou duas e sem software não há OS no mundo que sobreviva. Se olharmos para o mercado de videogames algo semelhante aconteceu com Microsoft, Nintendo e Sony.

2) Só sobreviverão iOS, Windows 7 e BlackBerry – As razões para esta afirmação são mais uma intuição, no entanto fazendo esforço é possível explicar algumas razões. O iOS está consolidado, tem uma loja com 250K apps, muitas de qualidade e mais de 5 bilhões de downloads. O BlackBerry é lider absoluto no mercado corporativo e parece muito pouco ameaçado neste setor, além disso o Blackberry OS6 com suporte a HTML5 vai vedar uma das atuais fragilidades da plataforma. E o Windows Mobile 7 é da Microsoft que tem na minha opinião a melhor IDE existente no mercado, que responde pelo nome de Visual Studio, e está com apetite para mobilizar os milhões de desenvolvedores de plataforma Microsoft ao redor do mundo.

3) Android, Symbian e outros vão morrer – O Android tomou dois golpes mortais recentemente, um deles diz respeito ao processo da Oracle e o outro a heterogeneidade das versões de Android. Some-se a isto o fato da Motorola ter anunciado que não irá oferecer upgrade para Android 2.1 e 2.2 nos aparelhos vendidos na América Latina e você tem um belo problema. Com uma loja (a Android Marketplace) lotada de aplicativos pornográficos e com uma plataforma que não vem remunerando bem desenvolvedores fora dos EUA e mais meia dúzia de países, o Android deve começar a definhar em breve. Eu vejo o Android se juntando ao defunto Wave e ao moribundo Buzz.

Opa, você não falou do Symbian. Pois é. Este só falta enterrar. Uma interface bem antiquada, um modelo de negócios da Ovi Store muito pouco atraente e um tiro atrás do outro que a gigante finlandesa vai dando no pé (N97, N900, fechamento de blogs, etc.) e com isso o que outrora foi um grande sistema operacional virou um espectro.

Puxa, mas eu não gostei da sua opinião e penso diferente. Beleza, a área dos comentários serve para isto.

Boa semana a todos e até a próxima.

UPDATE: Olha minha profecia se concretizando aí pessoal: http://www.zeletron.com.br/2011/02/a-nova-estrategia-da-nokia.html

Motofail 2.2

Vamos lá, já tenho quase 38 anos e moro num país “piada pronta” chamado Brasil. Confesso que não colocava fé em nenhum update para versão 2.2 por parte da Motorola. Imaginei que somente os novos aparelhos com Android, como o Droid X e Droid 2, teriam este privilégio, segmentando bem o mercado após baixar o preço do Milestone.

Este sentimento se fortaleceu ao ver vídeos comparativos entre o Milestone atual e seu descendente, que deixavam claro que hardware não seria problema para o Milestone atual rodar o sistema 2.2. Logo, o update tiraria dos usuário o “desejo do aparelho novo”, vendendo menos os novos.

No entanto, ao voltar de minha última viagem aos EUA onde era fácil ver propagandas na TV e aparelhos 2.2 nas lojas, fiquei pensando o quanto seria bom atualizar o Milestone que venho usando. O Milestone tem sido muito útil para aprender um pouco sobre o desenvolvimento para Android, principal objetivo da aquisição (ok, 600 reais apenas, na Vivo, ajudaram na decisão, confesso). Pelo menos o Milestone tem a versão 2.1, com muitas melhorias. Imagine agora os donos de um Dext ou Backflip que não chegarão nem mesmo na 2.1 ? O mundo atual vive de updates, patches, upgrades. Todos estão acostumados com isso.

Agora, atualizar vários aparelhos pelo mundo e não os aparelhos brasileiros é, no mínimo, chamar o consumidor brasileiro de idiota. É jogar no lixo uma oportunidade de consolidar o mercado recém adquirido graças ao emprego do Android pela Motorola em seus novos aparelhos. Não tiro o mérito do hardware dela, de forma nenhuma, mas se eles viessem com Windows Mobile, por exemplo, seria diferente.

Se você, idiota, quiser fazer alguma coisa, recomendo reclamar. Siga o @motoFAIL_BR, leia este post (http://bit.ly/cGcGdv), fale o que pensa para a @motorola_br, comente este post e divulgue.

A lista com o que receberá ou não update está neste link da Motorola.

PS1: O meu E72 continua na família 😉
PS2: A foto veio deste blog. Não sei quem é o autor original, infelizmente.

Há 15 anos a Microsoft fazia história

Dia de São Bartolomeu, a noite das garrafadas na história, em 1995 foi o dia em que a Microsoft mordeu a jugular dos computadores pessoais e não soltou mais.

Naquele dia 24 de Agosto foi lançado o Windows 95, talvez o mais revolucionário lançamento da Microsoft em termos de mudanças. Ali o OS/2 foi ferido de morte (menos para meu amigo Rafael que acompanhou o sistema da IBM até a morte, do sistema). Ali a poderosa IBM foi dobrada.

Para todos que aguardamos os 20 disquetes de instalação: parabéns pelo aniversario de hoje.

se bobear tem mais gente usando Windows 95 que Linux como desktop.

matéria no JN

TK85, meu amigo Yossef e uma sugestão

Mil desculpas por fazer outro post com evocações de memórias pessoais, mas acontece que os comentários que escreveram no post de ontem sobre o Hello World fizeram com que eu resgatasse um monte de lembranças de infância e o motivo deste post é para contar uma história e fazer uma sugestão.

Em 1985, então um pirralho de 10 anos, ganhamos o nosso primeiro computador. Era um TK85 da Microdigital como o da foto deste post, ele possuia um processador Z80, 16kB de RAM, 10kB de ROM, Display de 22×32 em modo texto e 64×44 em modo gráfico e pesava menos de meio quilo. A maior parte dos celulares atuais tem mais de 1.000.000 mais poder de processamento e armazenamento que o pequeno TK85 mas para nós aquilo era muito legal.

Uns anos depois conheci um cara chamado Yossef (que aliás tem histórias inacreditáveis, especialmente com o motorista que ele tinha em seus anos de DJ), ficamos muito amigos e sei que ele vem montando um museu de computadores. Quase consegui para ele um DEC PDP-11 que o InCor estava descartando. Sei que ele tem no Rio de Janeiro atualmente uma bela coleção de peças desta época inesquecível da computação e vou tentar que ele escreva um post para o Zeletron contando a história das raridades que há no acervo dele.

Agora a sugestão: cada um dos leitores do Zeletron tem a sua história com relação a tecnologia. Quer tenham começado com um LINC ou com um Core i7 esta história pode ser interessante. Escrevam sua história nos comentários deste post, vamos escolher as melhores e caso os autores concordem podemos transformá-las num post para a leitura de fim de semana para a próxima semana. Que tal?

Aguardo vossos comentários.

Hello World – Leitura de Final de Semana

Quando as pessoas aprendem a programar, a primeira coisa que talvez façam é testar a coisa mais simples que se faz naquela linguagem de programação.

Em 1974 no Bell Labs quando Brian Kernhigan escrevia seu livro sobre a linguagem C, ele colocou o seguinte exemplo:

 #include <stdio.h>
 int main() 
 {
        printf("hello, world");
        return 0;
 }

Apesar do fato do próprio Kernighan já ter usado o hello world num exemplo da linguagem B o código acima foi o que ficou famoso.

De lá para cá, em muitas linguagens de programação se fez exemplos de Hello World.

Eu lembro que quando aprendi a programar, era o ano de 1985, tinha 10 anos na época e o computador era um TK85 rodando Basic. O primeiro programa que escrevi nele foi:

10 PRINT "OI"
20 GOTO 10

Nada sofisticado, mas para um garoto de 10 anos era algo fascinante.

O legal dos programas deste tipo é que para o programador experiente dão uma idéia do jeitão da sintaxe daquela linguagem:

program hello;
 
begin
  Writeln('Hello, world!');
end.

Quem adivinha qual é a linguagem abaixo?

:- write('Seu mane nao use o Google!'),nl.

Para quem tiver curiosidade de ver como é o hello world em quase todas as linguagens de programação, dê uma olhada neste texto do WikiBooks ou nesta coleção com 400 exemplos.

Ou então clique abaixo e se divirta com a piadinha famosa…
Continuar lendo Hello World – Leitura de Final de Semana

Filtro para iPhone um marco histórico

Hoje foi lançado, após meses de desenvolvimento, a primeira versão do Netfilter para iPhone e iPod Touch, com o valor promocional de US$ 2,99:

http://itunes.apple.com/br/app/netfilter-content-filter/id386618854?mt=8

Um pouco de história

Há dez anos, surgia, primeiro como uma divisão da SpeedComm e logo a seguir como uma empresa separada subsidiária, a Netfilter. Apesar de não estar na empresa desde o começo posso atestar que durante 10 anos a Netfilter viu muito da história da Internet ser feita e participou ativamente dela. Não foi uma participação espetacular como as gigantes do setor mas acredito que demos nossa contribuição para tornar a internet um ambiente produtivo e saudável. Quando ela completar os 10 anos de fundação, farei um histórico completo.

Netfilter no iPhone/iPod Touch

Os aparelhos móveis são, como todos já notamos, uma plataforma onde cada vez o acesso à Internet será comum. Já há alguns anos percebemos isto, mas devido a heterogeneidade dos modelos era, e ainda é, difícil fazer um filtro de conteúdo para cada modelo de aparelho. Nossa estratégia tem sido procurar implantar filtragem nas operadoras e fornecer filtros para os aparelhos que apresentam um maior potencial de acesso à internet.

Neste contexto o lançamento de hoje, do Netfilter for iPhone, é um marco na nossa história como empresa e todos os funcionários da Netfilter estão orgulhosos desta conquista. Por outro lado, é um fato importante para os pais terem mais tranquilidade ao permitirem que seus filhos acessem a Internet nos seus iPhones ou, mais comumente, nos iPod Touch.

Esperamos em breve poder fornecer o mesmo serviço para usuários de outras plataformas móveis.

WordPress 3 – Resolvendo o wp-admin em branco

Hoje perdi um bom tempo com um problema no WordPress de um outro blog que eu mantenho, que foi resolvido com uma mísera linha de configuração do PHP. Eu vi outras pessoas reclamando do mesmo problema, sem resposta. Só depois de procurar muito foi que encontrei a solução do problema aqui.

Depois que eu atualizei o WordPress desse outro blog para a versão 3.0.1, não consegui mais escrever nenhum post nem atualizar nenhum plugin. A atualização dos plugins gerava um erro no arquivo de log do apache assim:

PHP Fatal error:  Trying to clone an uncloneable object of class ZipArchive

e também assim: (substituí o IP por XXX.XXX.XXX.XXX)

[error] [client XXX.XXX.XXX.XXX] ALERT - canary mismatch on efree() - heap overflow 
detected (attacker 'XXX.XXX.XXX.XXX', file 'wp-admin/includes/template.php', line
 3549), referer: wp-admin/plugins.php?deactivate-multi=true&plugin_status=all&
paged=1

A página de novo post mostrava um erro semelhante a esse acima.

Tentei de tudo! Desativei todos os plugins, reinstalei o WordPress do zero, atualizei o PHP, Apache, MySQL, e tudo mais, apaguei a pasta de plugins… Nada. Até que achei a tal página lá de cima que me deu a resposta para o problema.

A solução foi desligar a configuração de compatibilidade com o PHP 4.X no arquivo php.ini e reiniciar o apache. Assim:

; Enable compatibility mode with Zend Engine 1 (PHP 4.x)
zend.ze1_compatibility_mode = Off

Depois de mudar essa configuração no seu php.ini, não se esqueça de reiniciar o seu apache.

Atualização: Depois de escrever esse post, vi na home do WP-Admin a seguinte notícia:

“Our approach with WordPress has always been to make it run on common server configurations. We want users to have flexibility when choosing a host for their precious content. Because of this strategy, WordPress runs pretty much anywhere. Web hosting platforms, however, change over time, and we occasionally are able to reevaluate some of the requirements for running WordPress. Now is one of those times. You probably guessed it from the title — we’re finally ready to announce the end of support for PHP 4 and MySQL 4!”

Ah se eu tivesse lido isso antes…

Porque desenvolver para o IPhone

Algumas pessoas perguntam:
– Porque você desenvolve para o IPhone e não para o Android?

Por duas razões:

1) O Android Marketplace, além de ser uma baderna, não aceita aplicativos pagos de desenvolvedores brasileiros. Tudo bem que não é culpa do Google sozinho, mas sim dos últimos oito anos de desgoverno IMHO.

2) O que mostra o vídeo abaixo:



Ressurreição do Flight Simulator

A Microsoft anunciou que dentro de sua proposta de jogos usando a plataforma Windows Live, irá relançar o lendário Microsoft Flight Simulator.

Agora sob o nome de Microsoft Flight o produto mantém a fidelidade de um simulador semi-profissional e mostra gráficos bem impressionantes.

Ainda não há data de lançamento oficial, mas há boatos de que apareça uma versão para o Windows Phone 7, o que seria matador.

O vídeo abaixo é um trailer, se seu computador aguenta veja em 1080p.