Review do HTC Touch Pro

Na semana passada, conforme contei por aqui, recebi o HTC Touch Pro para testar. Hoje o devolvi para a HTC. Vamos ao review!

O último aparelho que eu tive que rodava Windows Mobile (está bem, nem era Windows Mobile, era Windows CE) foi meu saudoso Compaq Aero 1550 que tinha uma CPU de 70MHz (não esqueci um zero não). Isso foi lá pelos idos do ano 2000. Aliás, nem celular ele era, era um pré Pocket PC da Compaq, que concorria com os Palms IIIe.

Depois disso, nunca mais usei nenhum aparelho com o Windows Mobile e, confesso, tenho um bom preconceito contra esse sistema operacional.

Depois que comecei a testar aparelhos da HTC, descobri uma porção de amigos que são fãs não só da HTC como do Windows Mobile. Tenho um amigo, por exemplo, que tem um HTC TyTN e ama o bicho de paixão. Descobri também que o legado de programas desenvolvidos para a plataforma é muito grande (principalmente para o mercado corporativo). Hoje em dia não se vê um distribuidor de qualquer mercadoria que não tenha um aparelho com Windows Mobile conectado via celular à rede da empresa.

A tentativa da HTC em melhorar a interface do Windows Mobile foi muito bem sucedida. Se ele estiver bem configurado, você não vai passar muito tempo procurando seu programa no Menu Iniciar. Ele tem uma interface TouchFLO™ 3D e isso ajuda muito na utilização do celular. Em alguns casos você não precisa nem usar a stylus.

Interface TouchFLO

Além do Windows Mobile, existem na internet várias comunidades que ensinam a instalar o Android nos aparelhos da HTC. Com isso, você pode usar o sistema operacional do Google no HTC Touch Pro. Eu não cheguei a testar, mas várias pessoas já conseguiram instalar. Aliás, existe a possibilidade de fazer a instalação até sem apagar o Windows Mobile, caso você queira testar podendo voltar ao sistema original. Maiores informações nesse site aqui (em inglês).

HTC Touch Pro rodando Android

Agora vamos ao hardware do HTC Touch Pro. Nesse quesito, ele dá um banho em muito aparelho por aí, vem equipado com Teclado QWERTY (que merece um capítulo à parte) deslizante, dualband 3G HSDPA, quadriband GSM/EDGE, A-GPS, Câmera de 3.2MPx com flash de LED e auto foco, tela resistiva de 480×640 (VGA), Acelerômetro, câmera frontal para videochamadas, bateria de 1340mAh, WiFi, Bluetooth, NaviKey touch (tecla direcional), CPU Qualcomm MSM 7201A 528 MHz e Rádio FM com RDS.

Como eu falei, o teclado do HTC Touch Pro é maravilhoso. Ele não é tão bom quanto o teclado do E71, mas dá de 1000 a zero no teclado medonho do N97. As teclas são muito bem distribuídas, têm um tamanho bom (até para quem tem mãos de ogro como eu), existe uma fileira de teclas numéricas, o que evita bastante as teclas de função e é muito macio.

O único problema do hardware dele é a espessura. O bicho é muito gordo. Não que isso seja um problema, né? Nós gordos temos nosso charme ;). Mas fora o charme, usar um celular com aquela espessura no bolso é um incômodo. Para o HTC Touch Pro, o ideal é uma capinha no cinto. Quem usa um N95 sabe do que eu estou falando.

A bateria do aparelho também não faz feio. Comigo, ela durou quase dois dias, façanha que só o E71 tinha conseguido até hoje, com o meu uso de internet 3G e WiFi. Nesse ponto, prefiro essa bateria à do meu N82 que não dura nem um dia inteiro.

Bom, para uma pessoa que tinha preconceitos contra o Windows Mobile, até que o HTC Touch Pro conseguiu mudar um pouco a visão que eu tinha do Sistema. Além disso, com a possibilidade de instalar um Android no aparelho, ele ganhou muitos pontos comigo. E você? O que achou dele?

Comments on this entry are closed.

  • Vincius Schlee Tessmann

    Muito bom esse review, parabéns. Me lembrei do meu n95 que eu era obrigado a usar na cintura devido ao tamanho.Abraço.