Pô, Marcelo, E72 ?

Já que andam me questionando bastante por eu ter escolhido um E72, resolvi apresentar as minhas justificativas. Meus argumentos estão abaixo, em geral ligados a produtividade e alto poder de comunicação, e talvez possam ser úteis para você se decidir ou não por um equipamento da série E.

  1. A navegação por voz gratuita no E72 foi sem dúvida um fator bem forte. O programa de mapas está muito melhor agora, bem maduro. Fiz três testes em São Paulo e o resultado foi excelente. Cheguei no destino sem conhecer nada da região e sem perder tempo. Todas as navegações foram no modo offline, apenas conectei para ajudar no posicionamento do GPS.
  2. Não gosto de teclado na tela, não são tão produtivos como o teclado do E72 e similares (E71 e E63, por exemplo). Fora que se fica apenas com uma pequena fração do texto visível, algo que me deixa incomodado. Também não gostei dos teclados qwerty longitudinais, como N97 e similares. Mesmo investindo um bom tempo para me acostumar com eles, o qwerty do E72 é mais rápido por causa da proximidade das teclas, do bom feedback ao se pressionar e do design abaulado das teclas.
  3. A bateria do E72 é perfeita para hard users como eu. Quem tem sabe como vai longe e não te deixa na mão. O carregador veicular, agora presente na caixa do E72, remove qualquer medo residual de ficar sem bateria.
  4. O consumo do seu plano de dados acaba sendo melhor já que existem vários aplicativos para acesso a uma API do que uma consulta direta a um site. O Wordmobi é um caso desses, consumindo muito pouco quando comparado com o acesso direto ao site do WordPress. O Opera é um monstro nestas horas também, ajustando todos os sites. Sentia o meu bolso doer ao abrir um site no N900: ele abre tudo, é perfeito nisso, mas com o custo de tráfego de um desktop.
  5. Gosto de ter flash e java disponíveis hoje, não no futuro. Aprecio a ideia do HTML 5 mas não vou comprar um aparelho para usar no futuro. Eu preciso disso tudo agora. No mais, sem Java, muitas aplicações interessantes são ignoradas, como o cliente do Gmail, por exemplo. Não gostaria de ter que abrir mão delas.
  6. Que o Symbian já é velhinho e tem uma interface ultrapassada não tem nenhuma novidade. Mas daí concluir que ele não presta por causa disso é cair num enorme preconceito. Só a multitarefa real do Symbian já me faria pensar nele com um pouco mais de carinho. Não compraria um smartphone sem uma forma decente de multitarefa já que tenho a mania de fazer várias coisas ao mesmo tempo.
  7. Para o desenvolvedor, se por um lado o Symbian C++ pode ser muito difícil de aprender, por outro o Python, WRT e Flash Light permitem que uma aplicação seja feita em tempo recorde e sem necessidade de assinatura. Em breve, quando o Qt estiver mais maduro para o Symbian, o desenvolvimento nativo (C++) irá se tornar ágil também.
  8. O E72 tem suporte a 3G com altas taxas de download, pode ser usado como modem, suporta hands free e audio streaming via bluetooth que funcionam bem assim que eu entro no meu carro e troca dados facilmente com outros aparelhos. Tudo isso nativamente, sem precisar ficar instalando um monte de programinhas.
  9. O suporte de backup no PC, no cartão e via rede (OVI), além de todo o sincronismo com o restante das características do portal OVI é bem legal e útil. Não gosto da sensação de não ter backup.
  10. Por mais que alguns modelos de outras séries apresentem muitos bugs, a série E vem evoluindo sólida como uma rocha. Quem teve mais de um aparelho dela irá me entender.
  11. A quantidade de aplicações para S60 é bem grande, mesmo que sem o visual moderno presente em outros aparelhos.
  12. Eu não jogo nem paciência no telefone, logo não é requisito pra mim ter um smartphone com bom suporte a jogos. Isto poderia mudar bastante a escolha do aparelho. Também não invisto tempo em redes sociais ou leitura de ebooks, algo certamente que polarizaria a decisão.

É claro que as minhas razões só valem para mim e é importantíssimo que você conheça bem o seu perfil para não se arrepender depois. Na dúvida, liste-as e coloque um peso para cada uma de 0 a 10. Assim vai ser mais fácil na hora de abrir mão de alguma coisa, algo que será inevitável.

Também me perguntam se update do E71 para E72 vale a pena. O E71 já é muito bom, com poucos problemas. Se você usa muito o GPS e os problemas do E71 lhe incomodam bastante, talvez o update seja bom para você. Eu tinha problemas frequentes com a qualidade do áudio, por não ter saída 3,5mm para fone de ouvido e com a baixa qualidade das fotos e vídeos. Acabei decidindo trocar e vendi o E71. Poderia ter esperado um pouco mais, até o preço baixar um pouco, mas decidi encarar o E72 com um desconto de 15% e levando um cartão de 16GB de graça. Não me arrependi, o E72 é exatamente o meu perfil de uso. Estou anotando as diferenças entre os dois e publico em breve.

Via Wordmobi

17 comentários em “Pô, Marcelo, E72 ?”