Celulares com baterias 30x mais duráveis e Performance 7x maior?


(Detalhe de um processador Pentium)

Essa notícia foi publicada quinta-feira no IntoMobile, mas vale a nota aqui.

Um pesquisador chamado Krishna, da Palem of Rice University e Director do NTU’s Institute for Sustainable Nanoelectronics (ISNE), inventou com sua equipe uma nova tecnologia de desenho de chips chamada PCMOS (Probabilistic Complementary Metal-Oxide Semiconductor).

O maior problema em se criar processadores mais poderosos está em se colocar mais e mais transistores dentro de um chip. Quando a densidade de transistores aumenta, o tamanho deles diminui. No entanto, transitores menores carregam consigo mais ruído dentro do processador. Geralmente, para compensar isso, os engenheiros aumentam a tensão, o que tem por efeito colateral a redução do tempo de duração das baterias.

A solução do design probabilístico do do chip abraça o inevitável cálculo dos erros, em vez de os ignorar. A equipe do professor Krishna foi capaz de desenvolver um processador com menos ruído e, consequentemente, com necessidade de tensões menores. O processador ficou mais eficiente, em termos de consumo de energia, e mais poderoso.

De acordo com o professor, isso poderá significar que os usuários, por exemplo, só precisem carregar seus aparelhos em semanas, ao invés de dias. Incrível, não acham?

Que venham logo esses processadores PCMOS! 🙂

Comments on this entry are closed.

  • Marcos

    Vale lembrar que não é só o processador que consome energia da bateria.
    A tela, a memória RAM , número de programas em background, o uso da rede (UTMS HSDPA ou HSUPA), também são grandes gastadores!

    Além disso, as vezes o cara fala que tem uma tecnologia que vai resolver o problema de todos, mas o custo é inviável, como os diamantes artificiais 🙂